Lutando por justiça em regimes autoritários

Lutando por justiça em regimes autoritários

Por Dialogo
fevereiro 20, 2020

O Dia Mundial da Justiça Social incentiva as pessoas a reconhecerem a importância dos direitos básicos e da liberdade humana.

Enquanto o mundo celebra o Dia Mundial da Justiça Social em 20 de fevereiro, apresentamos a seguir algumas das injustiças que regimes autoritários da China, do Irã e da Venezuela praticam contra seu próprio povo.

China
O Partido Comunista Chinês já deteve mais de um milhão de uigures, cazaques étnicos e outros muçulmanos em campos de internamento desde 2018. Dentro dos campos, os prisioneiros são obrigados a renunciar as suas identidades religiosas e étnicas e jurar lealdade ao Partido Comunista.

Na China, em 2019, o governo também prendeu mais jornalistas do que qualquer outro país, segundo o Comitê para a Proteção dos Jornalistas.

Irã
A Constituição iraniana estipula que todas as leis e regulamentações devem ser baseadas em “critérios islâmicos” e na interpretação oficial da Xaria. O regime tem como alvo aqueles que discordam de políticas e crenças aprovadas pelo Estado, incluindo membros de minorias religiosas não reconhecidas. Em 2018, autoridades prenderam pelo menos 40 membros da religião bahá’í e mais de 300 dervixes sufistas.

O regime iraniano já direcionou dezenas de milhões de dólares para organizações terroristas, enquanto a economia do Irã encolheu e a inflação aumentou. Isso torna mais difícil para os iranianos comuns chegarem ao fim do mês.

Venezuela
Nicolás Maduro e seus comparsas continuam a saquear as reservas de ouro da Venezuela, ameaçando deixar o país em bancarrota, enquanto o presidente interino, Juan Guaidó, trabalha juntamente com os partidários da democracia para reconstruir a nação.

Os pemóns, uma comunidade indígena de 30.000 pessoas que vive em uma parte da Venezuela que potencialmente possui grande riqueza, foram atacados pelo Exército e outros grupos armados, enquanto tentavam defender suas terras de mineradores e madeireiros ilegais, bem como de soldados corruptos e brutais.

Share