Capturado vulgo Z-40, líder do cartel mexicano Los Zetas

Por Dialogo
julho 17, 2013


Miguel Ángel Treviño, vulgo “Z-40”, considerado o sanguinário líder do cartel mexicano Los Zetas, foi capturado na madrugada de segunda-feira, dia 15 de julho, em uma operação militar perto da cidade fronteiriça de Nuevo Laredo (nordeste), o principal golpe contra o narcotráfico do atual governo de Enrique Peña Nieto.

“Foi detido nesta madrugada por elementos da Marinha mexicana Miguel Ángel Treviño Morales, de 40 anos (…). Ele é acusado de crime organizado, homicídios, delitos contra a saúde, tortura, lavagem de dinheiro”, além de assassinatos de imigrantes, disse aos jornalistas Eduardo Sánchez, porta-voz do gabinete de segurança do governo.

Treviño tornou-se o chefe máximo de Los Zetas, o cartel mais violento do país, ao qual são também atribuídas matanças na América Central, depois de ter sido abatido o líder Heriberto Lazcano em outubro passado, poucas semanas antes do final do mandato de Felipe Calderón (2006-2012), cujo governo foi marcado pela violência da luta frontal contra o narcotráfico.

A Marinha do México, que há meses vinha seguindo Treviño, montou uma operação com pessoal terrestre e um helicóptero em uma região a cerca de 27 quilômetros a sudoeste de Nuevo Laredo, limítrofe com Laredo (Texas), onde foi possível localizar o narcotraficante, explicou Sánchez.

Sem que fosse disparado um só tiro, Treviño foi detido com outros dois homens quando viajavam em uma camionete por uma estrada de terra. Com eles foram encontrados “US$ 2 milhões, além de 8 armas grandes”, explicou o porta-voz.

Acredita-se que os outros dois homens capturados sejam um operador financeiro de Los Zetas e um guarda-costas de Treviño, afirmou.

Nuevo Laredo pertence ao estado de Tamaulipas, um dos feudos de Los Zetas e onde os mesmos foram acusados de praticar, em agosto de 2010, um dos piores massacres do narcotráfico mexicano: o assassinato a sangue frio de 72 imigrantes das Américas Central e Sul, encontrados em um rancho no município de San Fernando.

Sánchez afirmou que Treviño é apontado como o chefe de Los Zetas que deu a ordem para essa matança, além do assassinato de outras 193 pessoas que também haviam sido sequestradas quando viajavam em ônibus na fronteira com os Estados Unidos e cujos corpos apareceram enterrados em fossas clandestinas em San Fernando, em 2011.



Share