A Força-Tarefa Conjunta Matthew se transfere para o USS Iwo Jima

JTF-Matthew Transitions to USS Iwo Jima

Por Claudia Sánchez-Bustamante/Diálogo
outubro 18, 2016

O Almirante-de-Esquadra da Marinha dos EUA, Kurt Tidd, comandante do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM, por sua sigla em inglês), anunciou no dia 15 de outubro que o trabalho de ajuda aérea encetado para levar ajuda humanitária e assistência ao Haiti após o furacão Matthew começou a sua transição da terra para o USS Iwo Jima, que
foi destacado em águas costeiras do Haiti, para continuar a apoiar a Agência
para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (USAID). "O que vocês estão começando a ver é uma transição à medida que as autoridades civis, [organizações não governamentais] e outras entidades se engajam, chegam aos locais ... e entregam esses produtos que salvam vidas", disse o Alte Esq Kurt Tidd. "Estamos mais ou menos naquele ponto natural em que o sinal de demanda sobre nós está diminuindo à medida que eles vão assumindo a tarefa." No dia 16 de outubro, o Contra-Almirante da Marinha dos Estados Unidos, Cedric Pringle, comandante da Força-Tarefa Conjunta Matthew, transferiu o comando da operação ao Contra-Almirante Roy I. Kitchener, comandante do 2.º Grupo Expedicionário de Ataque (ESG, por sua sigla em inglês), lotado a bordo do navio de assalto anfíbio USS Iwo Jima (LHD 7). Isso permite que as tarefas de transporte aéreo sejam direcionadas a partir do Iwo Jima e os cerca de 400 militares da força-tarefa dotados de 12 helicópteros HH-53 Super Stallion, HH-60 Black Hawk e CH-47 Chinook deem apoio à FTC-Matthew desde 5 de outubro sejam realocados para suas estações-base, liberando valioso espaço de pouso no Aeroporto Internacional de Porto Príncipe para a ajuda que chega da comunidade internacional. A partir dessa data, helicópteros da FTC-Matthew já entregaram aproximadamente 239,5 toneladas de produtos de ajuda (ajuda e suprimentos) às pessoas em áreas devastadas pelo furacão Matthew. Muitas tarefas que estavam sendo realizadas pela força-tarefa foram concluídas, mas as que ainda restam serão assumidas pelos especialistas e agências de assistência a desastres civis no Haiti. O USS Iwo Jima, o maior navio anfíbio de assalto do mundo, fornece maiores capacidades e flexibilidade à força-tarefa. De acordo com a Marinha dos EUA, sua capacidade de resgate e transporte aéreo o tornam, de maneira singular, apropriado para a entrega e distribuição de suprimentos de ajuda de extrema necessidade, bem como de transporte de pessoal de assistência humanitária após um desastre natural. O Iwo Jima trouxe consigo 11 aeronaves embarcadas, dois barcos utilitários de desembarque, mais de 500 fuzileiros navais da 24ª Unidade Expedicionária de Fuzileiros, e 225 paletes de suprimentos para ajudar na tarefa realizada pela USAID. "As mesmas capacidades que fazem de nós uma força militar dominante também nos permitem fornecer assistência em casos de necessidade extrema e ajuda humanitária", disse o CF Christopher D. Hafer, oficial comandante do 24º Batalhão de Logística de Combate, falando em nome da 24ª Unidade Expedicionária de Fuzileiros, ao Relações Públicas do 2.º ESG. "Podemos trabalhar junto aos diversos órgãos governamentais dos EUA experientes e fornecer ajuda a desastres para fazer com que suprimentos de ajuda, equipamentos e mão-de-obra cheguem onde são mais necessitados." De acordo com um artigo no website Navy Times, o Alte Esq Tidd disse estar satisfeito com a maneira pela qual seus soldados se desempenharam numa missão com tão pouco tempo de antecedência. "O que é sempre gratificante de ver é quando você forma uma equipe diversificada de pessoas que vêm de todas as partes do país além das que já estão no local... elas trabalham em conjunto, coordenadas de uma maneira imperceptível", disse o Alte Esq Tidd. "Essa é a excelência em termos de operações conjuntas."
Share