Iraniano que promovia contrabando de pessoas é preso no Brasil

Iraniano que promovia contrabando de pessoas é preso no Brasil

Por Andréa Barretto/Diálogo
outubro 09, 2020

O iraniano Reza Sahami, acusado dos crimes de migração ilegal e falsificação de documentos, foi preso no estado do Acre, no dia 5 de setembro de 2020, pela Operação Chacal. Segundo a Polícia Federal (PF) do Brasil, ele era o líder de uma organização que praticava, há mais de 10 anos, contrabando de pessoas provenientes do Oriente Médio, principalmente do Irã, para Estados Unidos, Canadá e países da América do Sul e Europa.

Sahami tem dupla nacionalidade, do Irã e do Canadá, e havia chamado a atenção das autoridades policiais dias antes, em 30 de agosto, quando foi flagrado guiando um grupo de seis iranianos que tentavam entrar em território brasileiro por meio de uma rota situada na tríplice fronteira de Brasil, Peru e Bolívia.

Todos os integrantes do grupo, incluindo uma criança, portavam passaportes falsos. Cinco desses documentos faziam os cidadãos passarem-se por israelenses e um por dinamarquês. De acordo com a Interpol, esses passaportes estavam na lista de alerta de documentos roubados ou perdidos e foram adulterados para serem usados pelos estrangeiros interceptados no Brasil.

Na Operação Chacal, a PF prendeu ainda uma mulher de origem iraniana que estava com passaporte falso do Canadá. Assim como Sahami, ela está presa preventivamente no Acre, enquanto as investigações continuam em andamento, e irá responder judicialmente por uso de documento falso.

No local usado como base pelos iranianos no Brasil, foram apreendidos um celular, um notebook, documentos, diversos chips telefônicos de diferentes países e cartões de crédito em nome de várias pessoas.

Share