Congresso de Honduras autoriza o Exército a combater o narcotráfico

Por Dialogo
dezembro 01, 2011


O Congresso de Honduras permitiu que o Exército participasse dos trabalhos de combate à criminalidade, em meio a uma escalada da violência no país já prejudicado pelo maior índice de homicídios do mundo.

O Exército normalmente apoiava a Polícia nas operações de prevenção ao crime, mas não podia atuar livremente.

O Congresso hondurenho, formado por 128 parlamentares, tomou a decisão com 109 votos a favor, no momento em que a nação centro-americana se vê açoitada por execuções ligadas aos narcotraficantes mexicanos, que estenderam seus negócios até o sul.

“A aprovação desta lei permitirá que as Forças Armadas assumam tarefas policiais para enfrentar o crime organizado e o narcotráfico que impera em todo o país”, disse o deputado governista Oswaldo Ramos.

Os militares poderão efetuar prisões, invadir domicílios e revistar veículos, o que até agora somente as forças policiais podiam fazer.

Segundo recente informativo das Nações Unidas (ONU), Honduras tem a mais alta taxa de homicídios do mundo, com 82.1 para cada 100 mil habitantes.

Registra-se no país a média de 20 homicídios por dia, segundo as autoridades.

O fenômeno é atribuído às vinganças ou disputas de território entre quadrilhas de narcotraficantes que operam nos corredores por onde passa a cocaína da América do Sul até os Estados Unidos.



Share