• Home »
  • Uncategory »
  • Guerrilla Numbers Dwindle as Colombian Army Embarks on Fierce Media and Social Campaign

Número de guerrilheiros diminui enquanto Exército Colombiano realiza agressiva campanha na mídia

Guerrilla Numbers Dwindle as Colombian Army Embarks on Fierce Media and Social Campaign

Por Dialogo
dezembro 23, 2014




Grupos guerrilheiros estão sofrendo com o contínuo sucesso das agressivas campanhas sociais, militares e de mídia promovidas pelo governo colombiano com foco na desmobilização.

Somente no estado de Caquetá, no sudeste do país, mais de 130 membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) abandonaram o grupo guerrilheiro neste ano – e, no total, mais de 1.240 homens, mulheres e crianças se desmobilizaram em todo o país, de acordo com o Ministério da Defesa.

“Ultimamente, membros de longa data da guerrilha vem se desmobilizando”, diz o capitão Ronal Romero, chefe de Planejamento do Grupo de Atenção ao Desmobilizado do Ministério da Defesa (GAHD), organização que oferece apoio financeiro, social e psicológico a guerrilheiros que se entregam. “Vemos que muitos deles estão descontentes com o jeito como as coisas vêm sendo feitas na guerrilha.”

A recente onda de desmobilizações é resultado da crescente pressão militar, de um lado, e de esforços conjuntos de seis instituições governamentais, de outro. Esses esforços, geridos pelo GAHD e pela Agência Colombiana de Reintegração (ACR), oferecem benefícios para aqueles que renunciam às armas e prometem seguir o caminho rumo à reinserção social. Ao todo, essa dupla estratégia levou à desmobilização de quase 13.000 guerrilheiros desde 2008.

Ex-guerrilheiros que desejam se desmobilizar e desfrutar de todos os benefícios jurídicos e financeiros oferecidos pelo governo seguem um caminho relativamente estrito. Primeiro, eles precisam se entregar em uma delegacia de polícia ou uma unidade do exército, onde receberão abrigo, alimentação e roupas por cerca de duas semanas.

“O caminho rumo à reintegração começa com um processo de reconciliação”, diz o capitão Romero. “O soldado dá as boas-vindas ao guerrilheiro que decide se desmobilizar. Estende a mão a seu antigo inimigo.”

Depois de se entregar, ex-guerrilheiros são entrevistados e precisam assinar uma declaração, indicando a qual grupo pertenciam e renunciando a qualquer envolvimento futuro com ele. As autoridades reúnem essas informações em um arquivo e o enviam a Bogotá, onde os dados são avaliados por um comitê especial formado por enviados do Ministério da Defesa, do Ministério da Justiça e de outras instituições estatais. O comitê analisa os pedidos de cada indivíduo e sua ficha criminal, para que sejam aprovados e possam receber diversos benefícios financeiros e jurídicos. Neste ano, 82% dos pedidos foram aceitos até o momento.

Todos os homens e mulheres desmobilizados recebem alojamento em residências rurais conhecidas como "Lares de Paz". Há instalações específicas para homens, mulheres e famílias. A maioria das pessoas permanece nessas casas comunitárias de 60 a 90 dias, recebendo alimentação, avaliações psicológicas, educação básica, serviços de saúde e tickets para compra de roupas de cerca de US$ 300. Além disso, recebem cerca de US$ 3 por dia para gastar no que quiserem. O processo de reintegração de cada ex-membro da guerrilha custa cerca de US$ 1.300 ao GADH e tudo é financiado pelo governo colombiano.

Do ponto de vista legal, os crimes associados à rebelião armada – como posse ilegal de armas de fogo, uso de comunicações privilegiadas e uso ilegal de uniformes do Exército – são perdoados. Mas crimes como assassinato, sequestro e tráfico de drogas são condenados normalmente.

Após a permanência inicial nos lares de paz, os ex-guerrilheiros são incentivados a ir para as cidades, onde podem trabalhar em estreita colaboração com a equipe dos centros de reintegração da ACR. Eles precisam realizar 80 horas de trabalho comunitário e seguir certos protocolos para ganhar dinheiro. No final de cada mês, podem receber até US$ 240 se frequentarem o ensino médio – aproximadamente 85% de todos os homens e mulheres desmobilizados possuem apenas ensino fundamental –, educação superior técnica totalmente paga pelo governo e encontros regulares em um dos 32 centros de reintegração da ACR.

Todos esses benefícios têm sido promovidos em campanhas massivas de mídia, incluindo panfletos jogados nas selvas, spots em estações de rádio locais e nacionais e comerciais de TV. As campanhas nos meios de comunicação geralmente são realizadas durante eventos estratégicos – como a Copa do Mundo e o Natal –, épocas em que os guerrilheiros se sentem mais sozinhos, de acordo com o capitão Romero.

O Ministério da Defesa gasta em média US$ 3 milhões por ano em campanhas massivas para promover as desmobilizações. O sucesso tem sido tão grande que, em 2012 e 2014, os anúncios de desmobilização na TV ganharam o Cannes Lions, o prêmio mais prestigiado da indústria da propaganda. Mas esse reconhecimento é apenas um pequeno indicador do sucesso da iniciativa.

“Estamos oferecendo às pessoas os serviços de que elas necessitam”, diz o capitão Romero. “E, o mais importante, elas estão retornando à sociedade.”



Grupos guerrilheiros estão sofrendo com o contínuo sucesso das agressivas campanhas sociais, militares e de mídia promovidas pelo governo colombiano com foco na desmobilização.

Somente no estado de Caquetá, no sudeste do país, mais de 130 membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) abandonaram o grupo guerrilheiro neste ano – e, no total, mais de 1.240 homens, mulheres e crianças se desmobilizaram em todo o país, de acordo com o Ministério da Defesa.

“Ultimamente, membros de longa data da guerrilha vem se desmobilizando”, diz o capitão Ronal Romero, chefe de Planejamento do Grupo de Atenção ao Desmobilizado do Ministério da Defesa (GAHD), organização que oferece apoio financeiro, social e psicológico a guerrilheiros que se entregam. “Vemos que muitos deles estão descontentes com o jeito como as coisas vêm sendo feitas na guerrilha.”

A recente onda de desmobilizações é resultado da crescente pressão militar, de um lado, e de esforços conjuntos de seis instituições governamentais, de outro. Esses esforços, geridos pelo GAHD e pela Agência Colombiana de Reintegração (ACR), oferecem benefícios para aqueles que renunciam às armas e prometem seguir o caminho rumo à reinserção social. Ao todo, essa dupla estratégia levou à desmobilização de quase 13.000 guerrilheiros desde 2008.

Ex-guerrilheiros que desejam se desmobilizar e desfrutar de todos os benefícios jurídicos e financeiros oferecidos pelo governo seguem um caminho relativamente estrito. Primeiro, eles precisam se entregar em uma delegacia de polícia ou uma unidade do exército, onde receberão abrigo, alimentação e roupas por cerca de duas semanas.

“O caminho rumo à reintegração começa com um processo de reconciliação”, diz o capitão Romero. “O soldado dá as boas-vindas ao guerrilheiro que decide se desmobilizar. Estende a mão a seu antigo inimigo.”

Depois de se entregar, ex-guerrilheiros são entrevistados e precisam assinar uma declaração, indicando a qual grupo pertenciam e renunciando a qualquer envolvimento futuro com ele. As autoridades reúnem essas informações em um arquivo e o enviam a Bogotá, onde os dados são avaliados por um comitê especial formado por enviados do Ministério da Defesa, do Ministério da Justiça e de outras instituições estatais. O comitê analisa os pedidos de cada indivíduo e sua ficha criminal, para que sejam aprovados e possam receber diversos benefícios financeiros e jurídicos. Neste ano, 82% dos pedidos foram aceitos até o momento.

Todos os homens e mulheres desmobilizados recebem alojamento em residências rurais conhecidas como "Lares de Paz". Há instalações específicas para homens, mulheres e famílias. A maioria das pessoas permanece nessas casas comunitárias de 60 a 90 dias, recebendo alimentação, avaliações psicológicas, educação básica, serviços de saúde e tickets para compra de roupas de cerca de US$ 300. Além disso, recebem cerca de US$ 3 por dia para gastar no que quiserem. O processo de reintegração de cada ex-membro da guerrilha custa cerca de US$ 1.300 ao GADH e tudo é financiado pelo governo colombiano.

Do ponto de vista legal, os crimes associados à rebelião armada – como posse ilegal de armas de fogo, uso de comunicações privilegiadas e uso ilegal de uniformes do Exército – são perdoados. Mas crimes como assassinato, sequestro e tráfico de drogas são condenados normalmente.

Após a permanência inicial nos lares de paz, os ex-guerrilheiros são incentivados a ir para as cidades, onde podem trabalhar em estreita colaboração com a equipe dos centros de reintegração da ACR. Eles precisam realizar 80 horas de trabalho comunitário e seguir certos protocolos para ganhar dinheiro. No final de cada mês, podem receber até US$ 240 se frequentarem o ensino médio – aproximadamente 85% de todos os homens e mulheres desmobilizados possuem apenas ensino fundamental –, educação superior técnica totalmente paga pelo governo e encontros regulares em um dos 32 centros de reintegração da ACR.

Todos esses benefícios têm sido promovidos em campanhas massivas de mídia, incluindo panfletos jogados nas selvas, spots em estações de rádio locais e nacionais e comerciais de TV. As campanhas nos meios de comunicação geralmente são realizadas durante eventos estratégicos – como a Copa do Mundo e o Natal –, épocas em que os guerrilheiros se sentem mais sozinhos, de acordo com o capitão Romero.

O Ministério da Defesa gasta em média US$ 3 milhões por ano em campanhas massivas para promover as desmobilizações. O sucesso tem sido tão grande que, em 2012 e 2014, os anúncios de desmobilização na TV ganharam o Cannes Lions, o prêmio mais prestigiado da indústria da propaganda. Mas esse reconhecimento é apenas um pequeno indicador do sucesso da iniciativa.

“Estamos oferecendo às pessoas os serviços de que elas necessitam”, diz o capitão Romero. “E, o mais importante, elas estão retornando à sociedade.”
Bacana, assim tudo vai melhorar. Eles continuam insistindo na mentira de que este país está pior a cada dia, mas só Santos acredita. Precisamos entender as ações tomadas por um grupo que está a caminho para a assinatura de um acordo de paz na Colômbia, são também uma indicação da falta de intenção de desistir de suas atividades criminosas. É ótimo que a Rádio Melodia nos informa 24 horas por dia sobre o que está acontecendo e uma música clássica excelente.... O que aconteceu com a deputada de Itagui Angela Maria Cano? Vamos, Santa Marta, nós vamos vencer. A medida para retirar o benefício de cobrar pedágio na Rua 13 para Mosquera tem sua razão de ser, eu me pergunto se eles fizerem isso, vão prejudicar muitas pessoas que moram em Mosquera e que trabalham naquele município. Será que vão melhorar as condições, colocando pontes nas três esquinas e em frente ao Sena, ou a concessionária está perdendo muito dinheiro e quer recuperar o seu investimento na manutenção da rua. Quem nos pode responder? Eles dizem que a guerra está terminando, mas o que dizer sobre todos os ataques que as forças armadas estão realizando agora? Eu ainda não acredito em nada. Os comandantes regionais não se submetem a um processo de paz, eles não renunciaram facilmente ao poder que adquiriram em suas regiões, e eles controlam a produção e comércio de coca lá. Então? Que processo de paz está sendo firmado em Cuba? Vou continuar a rezar a Deus, o Altíssimo, para que tenha misericórdia dessas crianças inocentes que não são culpadas pelo que fazem as pessoas equivocadas, que pensam que podem conseguir muito com o mal e não têm nada, porque no final a justiça divina reina.. . É hora de refletir ... Não parece absurdo que os profissionais responsáveis por avaliar o comportamento cotidiano das crianças, referem-se aos pais ao dizer que ser um exemplo é a coisa mais importante, mais até que muitas outras, e que as crianças gravam e imitam tudo o que veem ao seu redor, principalmente nos primeiros anos de vida; portanto, adolescentes viciados em drogas, em bebidas alcoólicas, agressivos, ladrões, violentos ... ou aqueles traumatizados com diferentes comportamentos anormais. ELES VISUALIZAM O FUTURO DE NOSSAS CRIANÇAS, NETOS, BISNETOS DE DENTRO DO CAOS E depois saem dizendo que estamos errados. Bem, sobre quais estudos científicos eles estão falando, ou quem realmente acompanhou um número significativo de crianças como uma amostra representativa verdadeira de crianças adotadas por casais disfuncionais que mostra o que está sendo dito, se eles continuam a lutar por essa condição? Atualmente, eles acreditam que nada acontece se as crianças crescerem com duas mães ou dois pais que se acariciam na frente delas. PRECISAMOS JOGAR FORA ESTE CONSELHO SOBRE BOM COMPORTAMENTO EM CASA, para que as crianças possam reproduzir bons modelos de vida. Espero que eles deem uma boa mostra em entregar a ex-chefe do DAS, Maria del Pilar Hurtado, e desta forma mostrar que há democracia para informar e que seja em primeira página, porque é um grande golpe para a A.U. Uribe sim sim muito certo Gosto muito que me informem sobre o que se passa em nível mundial. Grato pelas notícias. Isso não é verdade, só dizem a mesma coisa. Como é que vão dizer para as pessoas essas coisas quando não podem ser evitadas no campo? O Governo não deve oferecer veículos e outras coisas para os guerrilheiros desmobilizados como incentivo para atraí-los para a vida civil, mas deveria oferecer-lhes um emprego seguro, habitação decente ou uma maneira de consegui-la com facilidade, estudos, etc. Uns lutam para sobreviver, outros lutam em defesa de causas justas. Me parece tão ingênuo digo que notícias tecnológicas Eu acho que isso também é muito bom. Eu não acredito na transparência dessa informação.
O que eu acredito é que as FARC SÃO E SERÃO TERRORISTAS.
ISSO NÃO É UM TRATADO DE PAZ, É MAIS UM ACORDO DE PAZ, POR QUE ELES CONTINUAM A INTIMIDAÇÃO ENQUANTO ELES NÃO ENTREGAM SUAS ARMAS, NÃO LIMPAM AS MINAS TERRESTRES E NÃO LIBERTAM OS PRISIONEIROS DE GUERRA.
NO MEU MODO DE VER, ELES DEVEM APODRECER NA CADEIA. O processo de paz é para esse punhado de bandidos de Cuba, porque o resto foi sequestrado e, com o passar do tempo, eles fizeram lavagem cerebral neles com terror físico e psicológico. Suas mentes foram sequestradas. Mas a liberdade vive como um instinto dentro de cada ser vivo e, por favor, não parem de tentar persuadir pacificamente para que se entreguem. E tratamento duro para o resto, que são os verdadeiros terroristas assassinos, estupradores, sequestradores, patifes, narcos extorsionários, etc. Não são muitos, todos os que estão em Cuba e mais alguns na Venezuela e um punhado na Colômbia. Parabéns , GLORIOSO EXÉRCITO COLOMBIANO.
Share