Forças Militares da Colômbia neutralizam líder da guerrilha ELN

Forças Militares da Colômbia neutralizam líder da guerrilha ELN

Por AFP
julho 15, 2020

As Forças Militares da Colômbia neutralizaram um líder do Exército de Libertação Nacional (ELN) apontado por ser a mão direita do principal líder militar desse grupo guerrilheiro, reconhecido como o último do país, informou no dia 4 de julho o presidente Iván Duque.

“Foi neutralizado o indivíduo conhecido como Dumar ou Culebrito, mão direita de vulgo Pablito, líder militar do ELN, e comandante da frente Efraín Pabón Pabón, também encarregado da [frente] Domingo Laín Sáenz”, disse o governante em um ato virtual.

Jhon Fredy Cortés Buritica morreu durante uma operação militar no estado de Norte de Santander, na fronteira com a Venezuela e epicentro de uma luta de sangue e fogo entre o ELN e as quadrilhas criminosas, pelos cultivos de folha de coca, matéria-prima da cocaína.

“Foi uma operação contundente contra a máfia, contra o terrorismo, contra o crime”, acrescentou Duque.

As autoridades ofereciam até US$ 22.500 de recompensa por informação que levasse à prisão de Cortés Buritica.

Segundo o presidente, Culebrito era homem de confiança de Gustavo Aníbal Giraldo, conhecido como Pablito, um temido comandante guerrilheiro que, de acordo com autoridades e especialistas, tem a maior capacidade militar do ELN.

Membro do Comando Central, o órgão máximo da direção do grupo guevarista, Pablito se refugia na Venezuela, segundo o alto comando militar colombiano.

Reconhecido como o último grupo guerrilheiro do país após o acordo de paz de 2016 que levou ao desarmamento das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, o ELN conta com cerca de 2.300 combatentes e com uma extensa rede de apoio em pontos urbanos.

Criada em 1964, a organização armada opera em 10 por cento dos 1.100 municípios colombianos, segundo investigações independentes.

Share