Força Aérea Brasileira instala estação radar para reforçar monitoramento da fronteira

Força Aérea Brasileira instala estação radar para reforçar monitoramento da fronteira

Por Taciana Moury/Diálogo
dezembro 11, 2020

Select Language

A Força Aérea Brasileira (FAB) está reforçando a vigilância e o monitoramento do controle dos tráfegos na região de fronteira do Brasil com o Paraguai e a Bolívia, com a instalação de novas estações radar nas cidades de Corumbá, Porto Murtinho e Ponta Porã, todas no estado de Mato Grosso do Sul.

A Estação Radar de Corumbá foi a primeira a entrar em funcionamento, inaugurada em 18 de agosto de 2020. Os novos equipamentos ampliam principalmente a capacidade da cobertura em baixas altitudes, para a identificação da presença de aeronaves não-autorizadas com cargas ilícitas no território brasileiro.

Os radares captam qualquer objeto que esteja na área de cobertura. (Foto: Força Aérea Brasileira)

De acordo com a assessoria de comunicação da FAB, os equipamentos proporcionam uma capacidade de vigilância do espaço aéreo em uma área circular de raio de 450 quilômetros, ou seja, aproximadamente 635.000 quilômetros quadrados. “Com a entrada em funcionamento desses radares é possível apontar todos os tipos de aeronaves que circulem na área de cobertura. Dessa forma, as decisões de natureza operacional, sejam de controle ou de defesa aérea, podem ser tomadas de forma bastante efetiva”, destacou o comunicado.

Segundo o diretor-geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Tenente-Brigadeiro do Ar da FAB Heraldo Luiz Rodrigues, a nova estação potencializa consideravelmente o controle do tráfego aéreo na região. “Com a implantação desses radares em Corumbá, o DECEA poderá identificar qualquer aeronave que estiver voando dentro do território brasileiro nessa região, vindo da Bolívia ou do Paraguai e, se for uma aeronave ilícita, ela será interceptada e as medidas de policiamento no espaço aéreo serão adotadas”, reforçou.

Desde o início do ano, de acordo com a FAB, já foram apreendidas mais de 3,5 toneladas de cocaína em voos clandestinos da Bolívia para o Brasil, por meio da atuação das aeronaves de caça.

As interceptações de voos clandestinos na fronteira são feitas, em sua maioria, por aeronaves A-29 Super Tucano, com o apoio do avião-radar E-99.

A montagem da estação radar de Porto Murtinho já está em fase de conclusão, segundo informações do Porto Murtinho Notícias. A nova estação radar vai monitorar as aeronaves voando em baixas altitudes na região de fronteira e reforçar a capacidade de identificação de voos não autorizados, que são essenciais nas ações de combate ao narcotráfico. Segundo a FAB, a previsão é de que tanto a estação Porto Murtinho como a de Ponta Porã estejam operacionais no primeiro semestre de 2021.

Share