FARC estão colaborando com al-Qaeda no tráfico de cocaína para a Europa

Por Dialogo
dezembro 04, 2014



Membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) se reuniram recentemente com representantes da al-Qaeda no Magreb Islâmico, no Sahel, região situada entre o deserto do Saara e a savana do Sudão, informou o diário espanhol El Mundo
em 30 de novembro.

Grupos terroristas como a Al-Qaeda usam o tráfico de cocaína para financiar suas atividades violentas no Oriente Médio e norte da África. Esses grupos transportam drogas procedentes da América do Sul para a África Ocidental e, depois, para Argélia, Marrocos e Líbia. Eles também traficam cocaína através do Mar Mediterrâneo para países como a Espanha, muitas vezes utilizando os portos de Barcelona e Valência, além do o Aeroporto de Barajas, em Madri.

Os narco-jihadistas controlam o triângulo de terra formado pelo norte do Mali e do Níger, pelo sul da Argélia, Líbia e pela Mauritânia oriental. Eles contrabandeiam grandes quantidades de cocaína para a Europa, onde há cerca de quatro milhões de usuários de cocaína.

Peru e Bolívia cooperam para apreender dois aviões do narcotráfico


A Força Especial de Luta contra o Narcotráfico da Bolívia (FELCN) apreendeu recentemente dois pequenos aviões do narcotráfico e prenderam dois pilotos por porte de drogas, disse o diretor da FELCN, Mario Centellas.

A FELCN efetuou as prisões e apreensões em duas fazendas no Estado de Beni, no nordeste do país, onde membros do tráfico de drogas estavam supostamente preparados para carregar a aeronave Cessna 210 com mais de 300 kg de cocaína. Um dos aviões tinha matrícula do Brasil, e o outro, do Paraguai.

Agentes da lei bolivianos estão investigando a procedência da cocaína. Cerca de metade das 450 toneladas de cocaína produzidas no Peru anualmente é levada pelos narcotraficantes para a Bolívia de avião, para depois ser enviada a América Central, América do Norte, Brasil, México, Europa e Ásia. A FELCN confiscou 27 pequenos aviões do narcotráfico em 2014.

Forças de segurança mexicanas reprimem ladrões de petróleo


Autoridades policiais do México efetuaram mais do que dobraram o número de prisões de ladrões de petróleo, de acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

De janeiro a setembro, as forças de segurança do México prenderam 1.415 supostos ladrões de petróleo, informou a PGR. Isso representa um aumento de 57% ante o número total de prisões por furto de petróleo efetuadas pelos agentes da lei no mesmo período em 2013. A maioria dos suspeitos foram presos nos estados de Jalisco, Guanajuato, Tamaulipas, Veracruz, Sinaloa, e Nuevo Leon.

Organizações criminosas transnacionais mexicanas, como Los Zetas e o Cartel do Golfo, furtam grandes quantidades de petróleo da companhia petrolífera estatal PEMEX – normalmente desviando o produto dos oleodutos da PEMEX. Funcionários da empresa petrolífera estimam que o furto de petróleo custará US$ 1 bilhão em 2014. As forças de segurança registraram quase 9.000 torneiras ilegais nos oleodutos da PEMEX desde 2006, de acordo com o jornal mexicano Excelsior.



Membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) se reuniram recentemente com representantes da al-Qaeda no Magreb Islâmico, no Sahel, região situada entre o deserto do Saara e a savana do Sudão, informou o diário espanhol El Mundo
em 30 de novembro.

Grupos terroristas como a Al-Qaeda usam o tráfico de cocaína para financiar suas atividades violentas no Oriente Médio e norte da África. Esses grupos transportam drogas procedentes da América do Sul para a África Ocidental e, depois, para Argélia, Marrocos e Líbia. Eles também traficam cocaína através do Mar Mediterrâneo para países como a Espanha, muitas vezes utilizando os portos de Barcelona e Valência, além do o Aeroporto de Barajas, em Madri.

Os narco-jihadistas controlam o triângulo de terra formado pelo norte do Mali e do Níger, pelo sul da Argélia, Líbia e pela Mauritânia oriental. Eles contrabandeiam grandes quantidades de cocaína para a Europa, onde há cerca de quatro milhões de usuários de cocaína.

Peru e Bolívia cooperam para apreender dois aviões do narcotráfico


A Força Especial de Luta contra o Narcotráfico da Bolívia (FELCN) apreendeu recentemente dois pequenos aviões do narcotráfico e prenderam dois pilotos por porte de drogas, disse o diretor da FELCN, Mario Centellas.

A FELCN efetuou as prisões e apreensões em duas fazendas no Estado de Beni, no nordeste do país, onde membros do tráfico de drogas estavam supostamente preparados para carregar a aeronave Cessna 210 com mais de 300 kg de cocaína. Um dos aviões tinha matrícula do Brasil, e o outro, do Paraguai.

Agentes da lei bolivianos estão investigando a procedência da cocaína. Cerca de metade das 450 toneladas de cocaína produzidas no Peru anualmente é levada pelos narcotraficantes para a Bolívia de avião, para depois ser enviada a América Central, América do Norte, Brasil, México, Europa e Ásia. A FELCN confiscou 27 pequenos aviões do narcotráfico em 2014.

Forças de segurança mexicanas reprimem ladrões de petróleo


Autoridades policiais do México efetuaram mais do que dobraram o número de prisões de ladrões de petróleo, de acordo com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

De janeiro a setembro, as forças de segurança do México prenderam 1.415 supostos ladrões de petróleo, informou a PGR. Isso representa um aumento de 57% ante o número total de prisões por furto de petróleo efetuadas pelos agentes da lei no mesmo período em 2013. A maioria dos suspeitos foram presos nos estados de Jalisco, Guanajuato, Tamaulipas, Veracruz, Sinaloa, e Nuevo Leon.

Organizações criminosas transnacionais mexicanas, como Los Zetas e o Cartel do Golfo, furtam grandes quantidades de petróleo da companhia petrolífera estatal PEMEX – normalmente desviando o produto dos oleodutos da PEMEX. Funcionários da empresa petrolífera estimam que o furto de petróleo custará US$ 1 bilhão em 2014. As forças de segurança registraram quase 9.000 torneiras ilegais nos oleodutos da PEMEX desde 2006, de acordo com o jornal mexicano Excelsior.

Excelente artigo. Gostei muito.
Em relação às FARC, acredito que seu negócio são as drogas, se o presidente colombiano acredita que pessoas que são tortas podem ser endireitadas, ele está enganado, os guerrilheiros e traficantes nunca se endireitam. Seria bom que durante as conversações de paz o governo exija que as FARC suspendam imediatamente todo o recrutamento de crianças e adolescentes. Os terroristas das FARC colocam-se como se fossem Robin Hood, enquanto isso, matam milhões na Colômbia tentando defender seus negócios com o tráfico de drogas. Eles são apenas um grupo criminoso, que vergonha.
Share