Membro das Farc detido no Equador é ligado a cartel mexicano

Por Dialogo
junho 30, 2011


Um dirigente da guerrilha marxista das Farc, deportado para a Colômbia após ser detido no Equador, tem ligações com o cartel mexicano de Sinaloa, segundo informações de inteligência, embora não tenha processos abertos no México, informou uma fonte policial local à AFP, em 29 de junho.

“Há informações de inteligência internacional que o vinculam a Los Rastrojos e, em particular, aos irmãos Javier e Luis Enrique Calle, chefes dessa quadrilha que supre de drogas o cartel de Sinaloa” do capo Joaquín ‘El Chapo’ Guzmán, apontado como o narcotraficante mais poderoso do México, disse a fonte policial, que pediu para não ser identificada.

O detido, Fabio Ramírez Artunduaga (vulgo ‘Danilo’), foi identificado após ser preso em 27 de junho em Quito, como o número dois da Frente 48 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Ele e sua acompanhante, Yanenci Hoyos, detidos em um centro comercial da capital equatoriana, foram entregues no dia seguinte pelo Equador aos agentes colombianos, que chegaram em um avião militar para levá-los a Bogotá.

“No México não existem processos contra eles, apenas a informação de inteligência”, declarou a fonte.

A Frente 48 das Farc, que atua em uma região da fronteira entre Equador e Colômbia, foi incluída há um ano pelo departamento do Tesouro dos Estados Unidos na lista Clinton, que marca os nomes de empresas, organizações e indivíduos vinculados aos cartéis de drogas.

Ramírez era homem de confiança de Olidem Romel Solarte Cerón (‘Oliver Solarte’), responsável pelas finanças da frente sul das Farc, morto em abril e que mantinha os contatos com o cartel de Sinaloa.

Esse cartel, que atuava principalmente sobre o Pacífico mexicano, controla grande parte das rotas de drogas na extensa faixa de fronteira que abrange desde Tijuana, no extremo noroeste, até Ciudad Juárez (norte), compreendendo os estados norte-americanos da Califórnia, Arizona, Novo México e Texas.





Share