Guerrilheiro “Pirinolo” das FARC alega ser inocente

Por Dialogo
março 14, 2012


O guerrilheiro das FARC Alexander Beltrán, vulgo ‘Rodrigo Pirinolo’, declarou-se inocente em 12 de março, em Washington, em todas as acusações ligadas ao sequestro de três funcionários norte-americanos, libertados em 2008 junto com Ingrid Betancourt.



‘Pirinolo’, de 35 anos, membro da denominada frente 27 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), foi extraditado em 9 de março pelo governo colombiano.



Trajando uma roupa laranja e algemado, o guerrilheiro negou sua culpa nas oito acusações que pesam contra ele, entre elas sequestro e apoio a terroristas de organizações internacionais, através de seu advogado, John Machado.



O juiz Royce C. Lamberth condenou o colombiano à prisão incondicional, e ele deverá comparecer novamente no dia 4 de maio.



As FARC sequestraram os norte-americanos Thomas Howes, Keith Stansell e Marc Gonsalves no dia 12 de fevereiro de 2003, quando a aeronave em que viajavam sobre uma região de selva do estado de Caquetá (sul) foi derrubada pelos insurgentes.



Os rebeldes mataram duas pessoas no ataque, um norte-americano e um colombiano.



Os três funcionários do Departamento de Estado foram resgatados em julho de 2008 pelo Exército colombiano na chamada ‘Operação Jaque’, quando também foram libertados a ex-candidata à presidência Ingrid Betancourt e 11 policiais e militares.



Beltrán foi detido há pouco mais de um ano em Cartagena (norte da Colômbia). O governo colombiano continua em busca dos demais responsáveis pelo sequestro, disse o promotor do caso, Fernando Campo Amar.






Share