Execução do Plano de Ação de Segurança Regional EUA-Colômbia no ambiente da COVID-19

Execução do Plano de Ação de Segurança Regional EUA-Colômbia no ambiente da COVID-19

Por Steve Roman, Gerente do Programa USCAP do Comando Sul dos EUA
maio 19, 2021

Select Language

O Plano de Ação Conjunta de Segurança Regional (USCAP, em inglês) entre os Estados Unidos e a Colômbia retomará os treinamentos em maio de 2021. O treinamento do USCAP foi suspenso quando as nações envolvidas implementaram estratégias para mitigar a COVID-19 e proteger suas populações. A combinação da ameaça à saúde humana da COVID-19 com a implementação de estratégias de mitigação criou um ambiente não permissivo para o treinamento. Os administradores do USCAP aproveitaram o período de paralisação para projetar e adotar novos protocolos para a COVID-19. Após uma paralisação de um ano, as nações parceiras do USCAP estão flexibilizando as restrições às viagens internacionais e o programa USCAP está pronto para ser retomado.

Desafios da COVID-19 à execução do USCAP

No dia 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde classificou a COVID-19 como uma pandemia. O repentino anúncio colaborou para a criação de um ambiente não permissivo para o treinamento – o ambiente da COVID-19. As características do meio ambiente da COVID-19 incluem a incerteza quanto às ameaças ao ser humano, a disponibilidade limitada de equipamentos de proteção individual e a reação da comunidade internacional. As nações participantes do USCAP – Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai e Estados Unidos – fecharam aeroportos, portos marítimos e fronteiras terrestres para controlar as viagens. Elas também decretaram restrições ao movimento interno da população e quarentenas. Consequentemente, os viajantes do USCAP – instrutores colombianos que realizam o treinamento do USCAP na região e alunos das nações parceiras que participam do treinamento nas escolas militares da Colômbia – não puderam retornar a seus países de origem.

Devido à situação criada pela COVID-19, os administradores do USCAP do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) decidiram suspender os treinamentos do programa até que as condições voltassem ao normal. A equipe do USCAP e as Organizações de Cooperação em Segurança (SCO, em inglês) dos EUA localizadas nas nações parceiras afetadas, que recebem os integrantes do USCAP, criaram procedimentos de notificações para os viajantes. A equipe do USCAP e as SCO enviaram informações sobre o pessoal à liderança do SOUTHCOM bem como à liderança das nações parceiras afetadas. A equipe do USCAP também incrementou os esforços de coordenação com as Forças Armadas da Colômbia com foco na segurança e no apoio aos viajantes do USCAP impedidos de sair. Em alguns casos, o pessoal impedido de viajar retornou ao seu país de origem dentro de uma ou duas semanas, mas alguns permaneceram na Colômbia em isolamento seguro durante diversos meses.

Retomada do treinamento do USCAP

Os administradores do USCAP do SOUTHCOM e as Forças Armadas da Colômbia iniciaram ações de colaboração para a retomada segura do treinamento do USCAP. Essa retomada rápida é importante porque, nas palavras do General de Exército do Exército dos EUA Mark A. Miley, “treinar é a tarefa chave para melhorar nossa prontidão [dos EUA]”. A prontidão das forças de segurança das nações parceiras do USCAP depende de treinamento contínuo. Qualquer lapso nesse treinamento pode afetar negativamente o progresso acadêmico e técnico do pessoal das nações parceiras para manter suas habilidades e/ou obter outras, cada vez mais sofisticadas. Apesar da ansiedade para reiniciar as atividades de treinamento e dos compromissos de coordenação do USCAP, a crise da COVID-19 impediu a execução segura dos treinamentos do programa durante 12 meses consecutivos.

As equipes norte-americanas e colombianas do USCAP decidiram consolidar, em um único documento, um conjunto de protocolos de proteção à saúde baseados no sentido comum e aceitos pela comunidade internacional. O documento de protocolos fornece orientações aos participantes do USCAP para garantir um treinamento seguro, quando a crise da COVID-19 começar a diminuir e as nações parceiras reduzirem seus esforços de mitigação, principalmente abrindo aeroportos e portos, e também suspendendo as políticas de restrição de circulação para os viajantes. A equipe analisou as recomendações dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças e buscou aconselhamento de especialistas militares em saúde do SOUTHCOM e do sistema militar colombiano.

A ênfase da equipe é acelerar a retomada dos treinamentos do USCAP e, ao mesmo tempo, garantir a segurança dos coordenadores de missões, instrutores e alunos do USCAP que participam do treinamento em salas de aula e espaços apertados em barcos e aeronaves. Os protocolos de saúde estabelecem os requerimentos para equipamentos de proteção individual, higienização de equipamentos com soluções desinfetantes, bem como procedimentos de distanciamento social. Esse trabalho precedeu o planejamento para a retomada dos treinamentos do USCAP nas escolas militares colombianas e o destacamento das Equipes Móveis de Treinamento das nações parceiras participantes.

Planejamento do treinamento de segurança contra a COVID-19

A demanda dos integrantes do USCAP pelo treinamento e estabelecimento dos preparativos para mitigar a COVID-19 fornece uma base sólida para planejar a retomada segura de todos os treinamentos do USCAP. As Forças Armadas da Colômbia reconhecem a urgência de recomeçar o treinamento na região; por essa razão, elas adotaram as precauções e medidas contra a COVID-19 em seu treinamento. Em fevereiro de 2021, a equipe do USCAP realizou um workshop virtual para coordenar e planejar o treinamento móvel colombiano disponível para a execução no restante do ano fiscal de 2021 e durante todo o ano fiscal de 2022. O workshop durou dois dias e cada representante das SCO teve uma hora para identificar os requerimentos de treinamento e coordenar as datas para sua execução. O workshop produziu 57 compromissos de treinamento móvel nas nações parceiras. O plano é treinar aproximadamente 1.261 membros das nações parceiras em seus países.

O trabalho não terminou ali; os militares colombianos continuaram a fazer com que suas escolas se tornem ambientes de treinamentos seguros contra a COVID-19. Seus esforços criaram 22 cursos presenciais com execução segura. Até março de 2021, as nações parceiras inscreveram 180 membros para treinarem nas escolas colombianas.

Avanços para uma execução segura

As escolas colombianas estão prontas para receber os alunos das nações parceiras em maio de 2021. As SCO das nações parceiras comprarão as passagens aéreas e financiarão as despesas extras dos viajantes. Uma vez na Colômbia, as Forças Armadas colombianas oferecerão treinamento em um ambiente seguro contra a COVID-19. Da mesma forma, as SCO na Colômbia patrocinarão as passagens aéreas e despesas com alojamento e alimentação dos instrutores colombianos que viajem às nações parceiras do USCAP, para avaliarem o local antes do destacamento e/ou treinamento móvel real. O pessoal dos EUA que coordena as missões de treinamento chegará à nação parceira do USCAP antes do treinamento real, para providenciar alojamento e facilitar a aquisição da logística de treinamento e transporte terrestre.

A execução do treinamento do USCAP requer um escrutínio minucioso da Lei Leahy dos participantes das nações parceiras, de acordo com a legislação dos EUA. Além disso, os instrutores dedicarão duas horas do tempo total designado para o treinamento do USCAP para educar e/ou familiarizar os alunos das nações parceiras sobre as noções básicas de Direitos Humanos e Leis de Guerra (HR & LoW, em inglês). Os viajantes deverão ter seguros de vida e saúde válidos no país para onde viajarão. O seguro de saúde deve incluir cobertura para a COVID-19.

Monitoramento e controle da execução

Após uma pausa de 12 meses dos treinamentos do USCAP, a equipe do SOUTHCOM identificou novas oportunidades para avaliar o retorno dos investimentos do programa. A equipe do USCAP continua trabalhando com as SCO e as equipes das nações parceiras para revisar o histórico de treinamento de cada nação parceira, para planejar em conjunto os cursos de ação mais efetivos para aumentar sua prontidão. O objetivo é concentrar os treinamentos do USCAP nas capacidades que requerem fortalecimento, preencher lacunas, evitar duplicação e/ou evitar a realização de treinamentos ineficazes. Haverá mais diálogos com o pessoal das nações parceiras para tentar medir o impacto dos treinamentos na prontidão das unidades e na eficácia da missão.

Share