Unidade de Resgate Humanitário de El Salvador ajuda vítimas de desastres

El Salvador’s Humanitarian Rescue Unit Aids Disaster Victims

Por Dialogo
fevereiro 06, 2015




Membros da Unidade de Resgate Humanitário (URH) das Forças Armadas de El Salvador (FAES) consistentemente exibem coragem, resiliência e determinação enquanto realizam sua missão para resgatar e proteger as vítimas de desastres naturais e outras situações de risco de vida, como incêndios.

Durante inundações, terremotos, deslizamentos de terra ou erupções vulcânicas, a URH envia seus 250 membros para realizar operações de busca e salvamento, prestar apoio médico e assegurar que os abrigos são seguros, de acordo com a General Rafael Melara Rivera, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de El Salvador.

“Quando há uma emergência nacional, o Sistema de Protecção Civil é ativado e a URH se mobiliza imediatamente para reduzir o impacto de desastres”, afirmou o Gal. Melara. “Nossas equipes estão disponíveis para diferentes instituições governamentais para ajudar as vítimas.”

A URH responde rapidamente e, às vezes, trabalha em cooperação com outros socorristas em situações de emergência.

Por exemplo, em 3 de janeiro, um grande incêndio eclodiu no shopping Las Cascadas, no município de Antiguo Cuscatlán. A URH respondeu rapidamente trabalhando com o Corpo de Bombeiros para apagar o incêndio. A URH ajudou a apagar o fogo usando helicópteros UH-1H equipados com “Bambi Buckets”, recipientes de 1,22 m de altura que retém grandes quantidades de água. Os operadores de helicópteros os utilizaram para jogar a água coletada do Lago Ilopango sobre o incêndio.

O Corpo de Bombeiros de El Salvador pôde conter o fogo em parte do centro de compras, mas o fogo avançava em outras partes porque havia uma grande quantidade de material inflamável”, lembrou Julio Salvador Monroy, um segurança de 36 anos que trabalhava em uma universidade próxima. “Os helicópteros ajudaram a criar um barreira para evitar que ele se espalhasse ainda mais.”

Ajudando a população civil há 18 anos



A URH tem respondido a situações de emergência para proteger os civis durante os últimos 18 anos.

A unidade foi criada em 1997, no contexto da Conferência das Forças Armadas Centro-Americanas (CFAC), que propôs que todos os países da região devem ter unidades para ajudar sua população civil em casos de emergência.

Desde sua criação, a URH prestou ajuda não apenas em El Salvador, mas além fronteiras do país.

Em 2012, a URH prestou assistência à população civil do Haiti após o terremoto de 2010, que matou mais de 220 mil pessoas e destruiu 300 mil casas e edifícios comerciais.

A URH também ajudou a Nicarágua durante as cheias do Atlântico de 2013.

Em El Salvador, a URH ajudou a população civil durante os grandes terremotos que atingiram o país em janeiro e fevereiro de 2001. Juntos, os dois tremores mataram mais de 1.200 pessoas e destruíram ou danificaram mais de 300 mil casas.

A unidade também ajudou a população civil durante as erupções vulcânicas em maio de 2014, o que levou as autoridades a evacuar cerca de 1.400 pessoas de suas casas a cerca de 145 km a leste de San Salvador.

Treinamento, apoio e cooperação


Para estarem preparados para qualquer situação de emergência, os membros da URH participam de vários programas de treinamento. Por exemplo, em agosto de 2011, a URH participou de um curso tático de combate realizado pelas Forças Armadas do Peru, em coordenação com O Comando Sul dos Estados Unidos (SOUTHCOM).

“O SOUTHCOM nos deu muito apoio durante os exercícios militares em nível local e regional por meio das Forças Aliadas Humanitárias (FAHUM) para avaliar os níveis do sistema de emergência e suas capacidades de resposta”, declarou o Gal. Melara. “Lá, nós treinamos líderes em simulações.”

Em 2014, a URH participou de um programa de treinamento de duas semanas envolvendo diversas situações simuladas de emergência, como uma estrutura desmoronada e um acidente de estrada envolvendo materiais perigosos.

Autoridades militares estão desenvolvendo um plano de treinamento para responder a terremotos, inundações, erupções vulcânicas e outras ameaças naturais. Estas ações vão maximizar a capacidade da URH de proteger e abrigar as vítimas, e ajudar a fornecer-lhes cuidados médicos.

“As FAES estão constantemente treinando e melhorando, porque, em El Salvador, as simulações se tornam realidade”, concluiu o Gal. Melara.



Membros da Unidade de Resgate Humanitário (URH) das Forças Armadas de El Salvador (FAES) consistentemente exibem coragem, resiliência e determinação enquanto realizam sua missão para resgatar e proteger as vítimas de desastres naturais e outras situações de risco de vida, como incêndios.

Durante inundações, terremotos, deslizamentos de terra ou erupções vulcânicas, a URH envia seus 250 membros para realizar operações de busca e salvamento, prestar apoio médico e assegurar que os abrigos são seguros, de acordo com a General Rafael Melara Rivera, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de El Salvador.

“Quando há uma emergência nacional, o Sistema de Protecção Civil é ativado e a URH se mobiliza imediatamente para reduzir o impacto de desastres”, afirmou o Gal. Melara. “Nossas equipes estão disponíveis para diferentes instituições governamentais para ajudar as vítimas.”

A URH responde rapidamente e, às vezes, trabalha em cooperação com outros socorristas em situações de emergência.

Por exemplo, em 3 de janeiro, um grande incêndio eclodiu no shopping Las Cascadas, no município de Antiguo Cuscatlán. A URH respondeu rapidamente trabalhando com o Corpo de Bombeiros para apagar o incêndio. A URH ajudou a apagar o fogo usando helicópteros UH-1H equipados com “Bambi Buckets”, recipientes de 1,22 m de altura que retém grandes quantidades de água. Os operadores de helicópteros os utilizaram para jogar a água coletada do Lago Ilopango sobre o incêndio.

O Corpo de Bombeiros de El Salvador pôde conter o fogo em parte do centro de compras, mas o fogo avançava em outras partes porque havia uma grande quantidade de material inflamável”, lembrou Julio Salvador Monroy, um segurança de 36 anos que trabalhava em uma universidade próxima. “Os helicópteros ajudaram a criar um barreira para evitar que ele se espalhasse ainda mais.”

Ajudando a população civil há 18 anos



A URH tem respondido a situações de emergência para proteger os civis durante os últimos 18 anos.

A unidade foi criada em 1997, no contexto da Conferência das Forças Armadas Centro-Americanas (CFAC), que propôs que todos os países da região devem ter unidades para ajudar sua população civil em casos de emergência.

Desde sua criação, a URH prestou ajuda não apenas em El Salvador, mas além fronteiras do país.

Em 2012, a URH prestou assistência à população civil do Haiti após o terremoto de 2010, que matou mais de 220 mil pessoas e destruiu 300 mil casas e edifícios comerciais.

A URH também ajudou a Nicarágua durante as cheias do Atlântico de 2013.

Em El Salvador, a URH ajudou a população civil durante os grandes terremotos que atingiram o país em janeiro e fevereiro de 2001. Juntos, os dois tremores mataram mais de 1.200 pessoas e destruíram ou danificaram mais de 300 mil casas.

A unidade também ajudou a população civil durante as erupções vulcânicas em maio de 2014, o que levou as autoridades a evacuar cerca de 1.400 pessoas de suas casas a cerca de 145 km a leste de San Salvador.

Treinamento, apoio e cooperação


Para estarem preparados para qualquer situação de emergência, os membros da URH participam de vários programas de treinamento. Por exemplo, em agosto de 2011, a URH participou de um curso tático de combate realizado pelas Forças Armadas do Peru, em coordenação com O Comando Sul dos Estados Unidos (SOUTHCOM).

“O SOUTHCOM nos deu muito apoio durante os exercícios militares em nível local e regional por meio das Forças Aliadas Humanitárias (FAHUM) para avaliar os níveis do sistema de emergência e suas capacidades de resposta”, declarou o Gal. Melara. “Lá, nós treinamos líderes em simulações.”

Em 2014, a URH participou de um programa de treinamento de duas semanas envolvendo diversas situações simuladas de emergência, como uma estrutura desmoronada e um acidente de estrada envolvendo materiais perigosos.

Autoridades militares estão desenvolvendo um plano de treinamento para responder a terremotos, inundações, erupções vulcânicas e outras ameaças naturais. Estas ações vão maximizar a capacidade da URH de proteger e abrigar as vítimas, e ajudar a fornecer-lhes cuidados médicos.

“As FAES estão constantemente treinando e melhorando, porque, em El Salvador, as simulações se tornam realidade”, concluiu o Gal. Melara.
Heróis nacionais
Share