Traficante Rainha do Pacífico é condenada a 70 meses de prisão

Por Dialogo
julho 29, 2013


A narcotraficante mexicana Sandra Ávila Beltrán, conhecida como a “Rainha do Pacífico”, foi condenada em 25 de julho, em uma corte federal de Miami, a 70 meses de detenção por assessoramento a outro líder do tráfico de drogas, mas o juiz considerou sua pena cumprida no México e ela será deportada brevemente.



O juiz federal Michael Moore condenou Ávila Beltrán a 70 meses de prisão – cinco anos e 8 meses – mas levou em conta os quase cinco anos cumpridos no México, mais os 11 meses de detenção na Flórida depois de sua extradição de seu país, no ano passado.



Avila Beltrán, de 52 anos, que foi uma figura proeminente do cartel de Sinaloa, mas chegou a um acordo com a Promotoria e por isto foi condenada por um só crime: ter ajudado um narcotraficante a fugir da justiça, seu ex-companheiro, o colombiano Juan Diego Espinosa, vulgo “El Tigre”, figura chave entre o cartel de Sinaloa e o do Norte del Valle, na Colômbia.



Com o uniforme bege dos detentos e algemas nos pés, “La Reina del Pacífico” sorriu ao ouvir a sentença que a manterá sob as ordens dos serviços migratórios norte-americanos nos próximos dias para ser em seguida deportada para o México.



“Estimamos que esse processo demore mais ou menos um mês”, disse em espanhol o advogado de defesa que trabalha no Arizona (sudoeste dos Estados Unidos).



Avila Beltrán foi acusada nos Estados Unidos de conspirar para importar para este país até cinco quilos de cocaína entre 1999 e 2004, sendo também responsável pela distribuição de cocaína no mesmo período.



No entanto, no início deste ano ela se declarou culpada por essas acusações para fazer um acordo com a Promotoria, que não levou em consideração as acusações mais graves.






Share