República Dominicana: Militares e Polícia Nacional competem em Jogos Esportivos

Dominican Republic Military and National Police Compete in Sporting Games

Por Dialogo
abril 08, 2015




Cerca de 4.500 atletas do Exército, da Marinha, da Aeronáutica e da Polícia Nacional da República Dominicana participam dos 46º Jogos Esportivos das Forças Armadas e da Polícia Nacional. A competição atlética aproxima os participantes da população civil, além de ajudar os jovens a se manter longe da criminalidade.

O Ministério da Defesa, por meio do Círculo Atlético das Formas Armadas e da Polícia Nacional, presidiu a cerimônia de abertura do evento, em 26 de março, no Estádio Tetelo Vargas, na província de San Pedro de Macorís. A competição atlética começou há mais de três semanas, em 3 de março, e deve ser concluída em 22 de maio.

Os organizadores criaram o evento “para entreter e educar a família dominicana através do esporte, para que veja nossas Forças Armadas e seus componentes no papel da livre competição, da paz, da solidariedade, da irmandade, de agentes sociais úteis e corretos na hora de cumprir seu dever e demonstrar o melhor de si para toda a nação”, disse o Vice-Almirante Juan Ramón Soto de la Rosa, diretor do Círculo Atlético das Forças Armadas e da Polícia Nacional, durante a cerimônia de abertura.

Muitos atletas de alto nível são militares ou policiais


Atletas das Forças Armadas estão competindo em várias modalidades esportivas, como beisebol, futebol, tênis de mesa, atletismo, handebol, caratê e ciclismo.

“Dos atletas de alto nível da República Dominicana, 98% são membros das Forças Armadas e da Polícia”, disse o Coronel Julio César Hernández Olivero, diretor dos atletas do Exército.

E, há mais de 40 anos, eles mantêm uma tradição de excelência atlética na competição anual. Por exemplo, em 31 de março, o time da Polícia Nacional venceu o torneio de luta livre olímpica, com um total de 113 pontos. As Forças Armadas ficaram em segundo lugar, com 102 pontos; o Exército em terceiro, com 54, e a Marinha em quarto, com 19. No tiro de pistola de 9 mm, porém, a equipe do Exército venceu pelo 17º ano consecutivo, com 2.190 pontos, à frente da Força Aérea, que marcou 2.135 pontos.

Jogos constroem laços entre militares, policiais e civis


Esses eventos esportivos fazem muito mais do que apenas dar a soldados e militares a oportunidade de exibirem suas habilidades atléticas: ao se engajar em competições amistosas, eles fortalecem as relações das instituições militares com a Polícia Nacional e também com os cidadãos.

“As federações se beneficiam porque os atletas treinam o ano todo. [A competição] também nos dá a oportunidade de esses atletas serem elementos de multiplicação
das informações e da organização que temos em nossa instituições, e isso leva a uma aproximação com a população civil”, disse Hernández Olivero.

Em particular, os participantes dos jogos muitas vezes constroem relações com os membros mais jovens da comunidade. “Eles se tornam um exemplo para os jovens que estão começando suas vidas e têm um efeito positivo ao impedir que adolescentes se envolvam em atividades ilegais", disse Pou.



Cerca de 4.500 atletas do Exército, da Marinha, da Aeronáutica e da Polícia Nacional da República Dominicana participam dos 46º Jogos Esportivos das Forças Armadas e da Polícia Nacional. A competição atlética aproxima os participantes da população civil, além de ajudar os jovens a se manter longe da criminalidade.

O Ministério da Defesa, por meio do Círculo Atlético das Formas Armadas e da Polícia Nacional, presidiu a cerimônia de abertura do evento, em 26 de março, no Estádio Tetelo Vargas, na província de San Pedro de Macorís. A competição atlética começou há mais de três semanas, em 3 de março, e deve ser concluída em 22 de maio.

Os organizadores criaram o evento “para entreter e educar a família dominicana através do esporte, para que veja nossas Forças Armadas e seus componentes no papel da livre competição, da paz, da solidariedade, da irmandade, de agentes sociais úteis e corretos na hora de cumprir seu dever e demonstrar o melhor de si para toda a nação”, disse o Vice-Almirante Juan Ramón Soto de la Rosa, diretor do Círculo Atlético das Forças Armadas e da Polícia Nacional, durante a cerimônia de abertura.

Muitos atletas de alto nível são militares ou policiais


Atletas das Forças Armadas estão competindo em várias modalidades esportivas, como beisebol, futebol, tênis de mesa, atletismo, handebol, caratê e ciclismo.

“Dos atletas de alto nível da República Dominicana, 98% são membros das Forças Armadas e da Polícia”, disse o Coronel Julio César Hernández Olivero, diretor dos atletas do Exército.

E, há mais de 40 anos, eles mantêm uma tradição de excelência atlética na competição anual. Por exemplo, em 31 de março, o time da Polícia Nacional venceu o torneio de luta livre olímpica, com um total de 113 pontos. As Forças Armadas ficaram em segundo lugar, com 102 pontos; o Exército em terceiro, com 54, e a Marinha em quarto, com 19. No tiro de pistola de 9 mm, porém, a equipe do Exército venceu pelo 17º ano consecutivo, com 2.190 pontos, à frente da Força Aérea, que marcou 2.135 pontos.

Jogos constroem laços entre militares, policiais e civis


Esses eventos esportivos fazem muito mais do que apenas dar a soldados e militares a oportunidade de exibirem suas habilidades atléticas: ao se engajar em competições amistosas, eles fortalecem as relações das instituições militares com a Polícia Nacional e também com os cidadãos.

“As federações se beneficiam porque os atletas treinam o ano todo. [A competição] também nos dá a oportunidade de esses atletas serem elementos de multiplicação
das informações e da organização que temos em nossa instituições, e isso leva a uma aproximação com a população civil”, disse Hernández Olivero.

Em particular, os participantes dos jogos muitas vezes constroem relações com os membros mais jovens da comunidade. “Eles se tornam um exemplo para os jovens que estão começando suas vidas e têm um efeito positivo ao impedir que adolescentes se envolvam em atividades ilegais", disse Pou.
Share