Doação de equipamentos de proteção individual dos EUA salva vidas em Honduras

Doação de equipamentos de proteção individual dos EUA salva vidas em Honduras

Por Kay Valle/Diálogo
junho 04, 2020

Embora o surto de coronavírus tenha causado escassez de máscaras em todo o mundo, no Hospital Escola Universitário (HEU) de Tegucigalpa, Honduras, a Dra. Scheybi Miralda Méndez faz suas rondas sabendo que está usando o equipamento adequado para proteger seus pacientes e a si mesma de qualquer contágio. Sua tranquilidade se deve às doações de equipamentos de proteção individual (EPI) que o Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) enviou no final de abril, através de seu programa de assistência humanitária.

“Trabalhamos de maneira confiável porque temos o EPI adequado. Isso se reflete nos pais ou tutores que se sentem confiantes e já não têm medo de que o contágio venha através de nós”, disse à Diálogo a Dra. Miralda, chefe da Emergência Pediátrica do HEU.

Usando equipamento de proteção individual doado pelo SOUTHCOM, a Dra. Scheybi Miralda Méndez, chefe da Emergência Pediátrica do Hospital Escola Universitário de Tegucigalpa, Honduras, atende uma criança, em meados de maio de 2020. (Foto: Dra. Scheybi Miralda Méndez)

Na sala de emergência do HEU, cerca de 75 médicos atendem pacientes que chegam com sintomas similares aos da COVID-19, como pneumonias ou outras enfermidades que necessitam de cuidado urgente. O pessoal do hospital fornece máscaras a cada paciente que chega e também ao familiar que o acompanha. Para a Dra. Miralda, a medida proporciona mais do que segurança.

“O fato de ser admitido no hospital aumenta os níveis de estresse [dos pacientes]. Eles já estão estressados por serem admitidos em um hospital e, se não estivéssemos protegidos, esse temor aumentaria e traria mais desconfiança. Por isso é importante que eles vejam que estamos protegidos”, enfatizou a Dra. Miralda.

A distribuição dos equipamentos doados é altamente apreciada pelas equipes médicas do HEU, especialmente pela Emergência Pediátrica, onde são atendidas de 100 a 800 crianças e são realizadas em média 600 a 800 cirurgias por mês.

“Em cada cirurgia entram de seis a oito participantes, como cirurgiões e anestesistas, de acordo com o tipo de procedimento”, enfatizou a Dra. Miralda sobre a importância dos EPI.

Ao todo, o SOUTHCOM realizou seis entregas de EPI que consistiram de milhares de máscaras N95, luvas, álcool em gel, aventais médicos e termômetros infravermelhos, destinados às instituições de primeiro atendimento, informou em um comunicado a Comissão Permanente de Contingência de Honduras (COPECO). O HEU, o Sistema Nacional de Gerenciamento de Riscos da COPECO e a Unidade Humanitária de Resgate (UHR) das Forças Armadas de Honduras foram algumas das primeiras instituições que receberam os donativos de EPI.

“Os donativos que recebemos nos ajudam a minimizar o risco de contágio, pois contamos com o material adequado para a proteção do nosso pessoal, quando vamos de casa em casa”, disse à Diálogo o Coronel de Infantaria do Exército de Honduras Manuel Edgardo Melgar Viera, comandante da UHR. Para responder à crise do coronavírus, unidades da UHR distribuíram alimentos à população mais vulnerável do país e precisaram dos EPI para evitar a propagação.

“Agradecemos a doação do SOUTHCOM para os profissionais que estão expostos devido ao trabalho que estamos realizando atualmente, que é o de levar à nossa população os alimentos que o governo lhes está proporcionando”, disse o Cel Melgar.

Share