Marinha da Colômbia inaugura força tarefa contra o narcotráfico

Por Dialogo
fevereiro 17, 2012


Com sede em Tumaco em uma plataforma naval e sob o comando operacional da Força Naval do Pacífico, a Marinha Nacional inaugurará a Força Tarefa Contra o Narcotráfico “Poseidón”, cuja missão será neutralizar os objetivos estratégicos das FARC e redes de apoio ao terrorismo, relacionadas ao tráfico de entorpecentes.

A cerimônia de inauguração realizada no Porto de Tumaco no dia 17 de fevereiro foi presidida pelo ministro da Defesa, Juan Carlos Pinzón, e pelo comandante da Marinha Nacional, Almirante Roberto García Márquez.

Para desenvolver sua estratégia, esta Força Tarefa sob o comando do Capitão-de-Mar-e-Guerra Luis Jorge Tovar Neira, disporá de unidades de superfície, da Guarda-Costeira, submarinas e de aviação naval, um batalhão com 500 Fuzileiros Navais profissionais que se alistaram nesta Força, bem como um grupo de apoio da Polícia Judicial. Receberá ainda o apoio de unidades do Exército Nacional e da Força Aérea Colombiana.

A Força Tarefa Contra o Narcotráfico contará com o navio multifuncional ARC “Valle del Cauca” e espera receber o patrulheiro oceânico ARC “20 de Julio”, que zarpará de Cartagena no final de fevereiro para juntar-se a esta nova estratégia que, através de operações de interdição marítima, aspersão e erradicação, com uma conotação marítima e fluvial, procurará atingir as finanças das FARC, fazendo com que se tornem uma fonte inviável de recursos.

Atacar a cadeia de produção e embarcações de transporte:

A Força Tarefa contra o narcotráfico atacará toda a cadeia de produção de entorpecentes nos litorais dos estados de Nariño e Cauca, identificará os corredores de precursores químicos, compradores de base, os locais de alta concentração de cultivos de folha de coca, e ao mesmo tempo continuará neutralizando as embarcações a serviço do narcotráfico.

As organizações de narcotraficantes utilizam submersíveis e semissubmersíveis para o transporte de grandes quantidades de cloridrato de cocaína dos centros de armazenamento localizados no litoral colombiano até o litoral dos países centro-americanos.

O Pacífico colombiano foi identificado como a região mais utilizada para a criação de oficinas artesanais para a fabricação de tais embarcações, e isto se deve em parte a suas áreas pantanosas e às chuvas constantes, marés altas e baixas que facilitam a saída das embarcações nos períodos de marés altas, e a produção e armazenamento da droga nos períodos de marés baixas.

Desde 1993, quando foi registrada a primeira apreensão de um semissubmersível a serviço do narcotráfico, já foram neutralizadas e apreendidas 73 embarcações, 57 no Pacífico colombiano, sendo que duas delas são submersíveis.





bem, as forças militares devem estar bem conscientes de que existe terrorismo não apenas naquelas partes em que se vê o narcotráfico.
Share