Exército Nacional da Colômbia oferece treinamento de forças especiais à polícia

Por Dialogo
fevereiro 18, 2016





O Centro Nacional de Treinamento (CENAE) do Exército da Colômbia está oferecendo um programa de treinamento de forças especiais com duração de um mês para 31 policiais na Base Militar de Tolemaida, no departamento de Tolima. Dirigido pelo Coronel Henry Palomino Cano, chefe da Escola de Forças Especiais do Exército Nacional, o curso é focado em controle de drogas, combate e táticas de sobrevivência em áreas rurais.

“Este grupo é o primeiro que recebe este tipo de treinamento de Forças Especiais”, disse o Cel Palomino. É um grupo de erradicadores [de drogas]. E essa atividade terá um papel importante no pós-conflito, já que teremos de erradicar toda a [área de cultivo da] droga no país.”

Desde 19 de janeiro, os policiais, na maioria procedentes de áreas rurais da Colômbia, passam por exercícios exaustivos das 4h30min à meia-noite, seis dias por semana. Eles iniciam o dia com atividades físicas e exercícios militares em terra antes do amanhecer, prosseguem com prática de campo de tiro e treinamento tático especial e, à noite, realizam um conjunto de exercícios físicos e militares em ambientes aquáticos. Os instrutores do Exército fornecem orientações sobre reconhecimento, furtividade, ações diretas, explosivos, primeiros socorros, cartografia, sobrevivência e orientações militares gerais para combate rural.

O curso de quatro semanas é uma versão reduzida do treinamento original de forças especiais, que tem duração de seis meses a um ano. As Forças Armadas conduzem esses exigentes programas de capacitação em Tolemaida e nas zonas de floresta do departamento de Guaviare, no sul do país, com o objetivo de preparar os soldados para a severidade das operações contra a guerrilha em selvas, montanhas e desertos da Colômbia, de acordo com o Cel Palomino. “É um treinamento para unidades de forças especiais que consiste em preparar homens para executarem operações contra alvos de alto valor estratégico”, explica ele.

Resultados das forças especiais


As forças especiais estão desempenhando um papel importante na batalha do Exército contra organizações paramilitares e guerrilheiras. Nos últimos anos, elas mataram vários líderes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), como Alfonso Cano, morto durante a Operação Odisseu em novembro de 2011. Também mataram o líder das FARC Víctor Julio Suárez Rojas, conhecido como “Mono Jojoy”, em setembro de 2010.

Essas unidades foram criadas para realizar missões contra as organizações paramilitares e guerrilheiras, de acordo com o CENAE. A Escola de Forças Especiais começou a funcionar em 26 de agosto de 1996, sob ordens do General da reserva Harold Bedoya Pizarro, que na época comandava o Exército Nacional.

O campo de treinamento inicial foi a pequena base de Barrancón, localizada em uma área úmida e remota na floresta tropical, próximo do Rio Guaviare, no departamento de Guaviare. O local era ideal para exercícios aquáticos e terrestres rigorosos que buscavam simular as condições em que os soldados teriam de sobreviver durante dias ou semanas enquanto atacavam os grupos guerrilheiros. As forças especiais não incluiriam apenas paraquedistas e especialistas em sobrevivência, mas também atiradores e especialistas em comunicação, de acordo com o Gen Ex Bedoya.

Mais de 5.000 soldados passaram pelo treinamento do CENAE em 2015, incluindo militares de pelo menos 32 outros países, e um número semelhante deverá se formar no curso neste ano. A expectativa é que a Escola de Forças Especiais treine mais policiais neste ano.
Eu gostaria de saber como são feitos os pelotões, as companhias, os batalhões, a hierarquia, os cursos e a duração, o tipo de cursos do Exército da Colômbia, o melhor do mundo. Gostaria de saber também sobre a incorporação de soldados profissionais e graduados. Obrigado.
Share