Força Aérea da Colômbia moderniza helicópteros UH-1H

Colombian Air Force Upgrades Its UH-1H Helicopters

Por Yolima Dussán/Diálogo
abril 07, 2017

Sobre a rampa do Comando Aéreo de Manutenção (CAMAN) da Força Aérea da Colômbia (FAC), o helicóptero Huey II, a versão modernizada do UH-1H, está pronto para voar. Nove meses atrás, quando chegou ao CAMAN, em Cundinamarca, o UH-1H foi totalmente desmontado. Seus componentes estruturais foram retirados; o mesmo foi feito com o motor e os sistemas elétricos, para então continuar com as rigorosas inspeções visuais na estrutura, pré-requisito indispensável para garantir seu funcionamento, após o qual foi necessário corrigir 355 relatórios. De tanto voar sobre a Colômbia, o UH-1H já tinha partes desgastadas. Efetividade para potencializar recursos Foram necessárias 17.195 horas-homem em tarefas de conversão, modernização de aviônica integrada e voos de teste para certificar a aeronavegabilidade do helicóptero, no qual instalaram novo motor, nova transmissão e novo trem de força para potencializar melhor a cabine de pilotos, onde os instrumentos similares foram substituídos por telas digitais, que otimizam as informações necessárias à tripulação para o desenvolvimento de operações aéreas. Foi uma mudança extrema, sem dúvida. Mais de 20 homens e todos os grupos técnicos do CAMAN trabalharam na modernização da versão Huey II da aeronave com asa rotativa, que foi entregue às tripulações do Comando Aéreo de Combate N.º 4, localizado em Melgar, Tolima. A partir daí, continuará a serviço dos colombianos, cumprindo missões de resgate de pessoas, apoio em desastres naturais, combate a incêndios com o sistema Bamby Bucket, evacuação aeromédica e transporte de tropas, entre outras. Liderança em conversão e modernização “A força conta com 10 helicópteros dessa categoria”, disse o Brigadeiro Luis Eduardo Contreras Meléndez, comandante do CAMAN, à Diálogo. “Na América Latina, somos o único país que faz esse tipo de modernização, procedimento possível graças à relação com a fabricante dos helicópteros, a companhia americana Bell, que certifica todo o processo”, acrescentou. Com quatro anos no comando do CAMAN, o Brig Contreras presidiu a cerimônia de entrega, em 10 de março, e também comandou a conversão e modernização de outros quatro helicópteros Huey II. Sua meta é reformar toda a frota de UH-1H, composta por 10 aeronaves. Já conseguiram fazê-lo com a metade. Originalmente, a FAC precisava esperar muito tempo e gastar muito para a modernização das aeronaves. Dependiam também da programação da fábrica. Para remediar isso, a força tomou a decisão de se capacitar para fazê-lo localmente. Eles conseguiram. Estão inclusive preparados para compartilhar essa experiência com a região e esperam a assinatura de acordos com outros países para transmitir o conhecimento. Nova aviônica, inovação colombiana “A evolução natural de um helicóptero UH-1H é transformá-lo em um Huey II. O ponto central do processo é a substituição do motor”, disse o Coronel Abelardo Moreno, comandante do grupo técnico 93 do CAMAN, à Diálogo. “O motor original, um T53L3B é trocado por um T53703. Com mais potência, é necessário fazer mudanças estruturais no trem de força, ou seja, na caixa de transmissão e em todo o sistema mecânico, até o rotor de cauda. Tudo deve ser novo”, garantiu. O Cel Moreno conhece cada centímetro dessa aeronave e toda a história que a antecede. Por isso, ele tem certeza absoluta de que desenvolver a instalação de uma nova aviônica na Colômbia é a grande vantagem do processo de conversão e modernização da aeronave. “A eletrônica antiga tinha instrumentos baseados em sinais analógicos, com relógios. Agora, mudamos tudo para um sistema digital, no qual o piloto tem uma única tela onde, por páginas, pode ver as informações desejadas sobre as condições do motor, temperatura, navegação aérea etc. Esta é uma enorme contribuição de nosso país a este processo, que envolve uma calibragem muito complexa”, acrescentou. Para as próximas conversões, o CAMAN espera obter autorização do fabricante da aviônica para criar um programa de realidade virtual, que permitirá ao piloto ter uma ideia tridimensional do terreno e de como operar em condições críticas, sem nenhuma visibilidade, por meio do georreferenciamento. Mais 20 anos de vida útil O Huey II, com matrícula 4423, e outros quatro iguais a ele, já voam pelo território nacional em missões diárias. Agora, o fazem com mais potência, maior capacidade de carga, uma nova eletrônica e um novo arreio, um equipamento que os torna aeronaves de maior confiabilidade e desempenho. A partir de agora, sua vida útil será de 15 a 20 anos. O UH-1H é um helicóptero militar utilitário médio, desenvolvido pela fabricante Bell para as Forças Armadas dos Estados Unidos. Ele foi usado para fins militares pela primeira vez em 1959 e começou a ser produzido em 1962 sob a designação UH-1 e sobrenome Iroquois, mas é amplamente conhecido como Huey. Este é um dos helicópteros de maior sucesso da história. Com mais de 16.000 unidades produzidas no total, ele é famoso por sua participação na guerra do Vietnã, na qual os Estados Unidos utilizaram cerca de 7.000 unidades. Após tantos anos, a aeronave evoluiu. Em 2011, os técnicos do CAMAN formularam um projeto para transformar dez aeronaves em Huey II, com o objetivo de ampliar a frota existente, não desperdiçar suas capacidades e otimizar os recursos, ao evitar descartá-los e comprar um equipamento novo para substituição. Emocionada, a tripulação do UH-1H 4423 recebeu a aeronave. Seu piloto, o Primeiro-Tenente Julio Muñoz Peláez, sabe que começa uma nova etapa. “Sinto uma grande satisfação, porque esta aeronave tem uma nova tecnologia, desenvolvida em grande parte pela engenharia colombiana”, garantiu. “Profissionalmente, representa crescimento e desenvolvimento para cada comandante da aeronave. Nela, nos sentimos mais seguros. Ela é muito ergonômica e tem melhor desempenho. Tivemos que nos capacitar para a interpretação correta das telas de funcionamento, mas já estamos prontos para continuar voando nessa esperada aeronave”, concluiu.
Share