A Colômbia treina nações parceiras em combate avançado

Colombia Trains Partner Nations in Advanced Combat

Por Julieta Pelcastre/Diálogo
agosto 02, 2016

Oficiais do Exército da Colômbia treinaram 18 membros dos exércitos de três nações parceiras em combate irregular, sobrevivência, inteligência e direitos humanos durante o Primeiro Curso Internacional de Combate Avançado (CAC na sigla em espanhol) na Colômbia. O treinamento auxiliará os alunos a aumentar sua capacitação operacional durante as missões de segurança. Um total de 114 cadetes da Colômbia e 18 de outros países latino-americanos – inclusive 16 da República Dominicana, um do Peru e um do Panamá – participaram do primeiro CAC. O treinamento ocorreu de 21 de março a 14 de junho na Escola Militar de Cadetes José María Córdova, na Base Militar de Tolemaida. O CAC consistiu em "treinamento e ensino, encorajando a liderança responsável entre [os alunos] na tomada de decisões ao encetarem operações de combate em pequenas unidades, bem como trabalho em equipe no âmbito da segurança e defesa nacional", disse à Diálogo o Coronel Faustino Almonte, diretor de Planos, Operações e Treinamento para o Exército dominicano. "O objetivo da instrução é aumentar a capacitação nas operações de combate tático tanto regulares quanto irregulares." Após oito semanas de treinamento intensivo, uma cerimônia de encerramento contou com a presença de autoridades dos exércitos dominicano e colombiano. O Exército colombiano confiou à Escola Militar de Cadetes José María Córdova (ESMIC, da sigla em espanhol) a responsabilidade pelo treinamento e desenvolvimento de seus membros para enfrentar cenários distintos em tempos de guerra e de paz, com o intuito de compartilhar os pontos fortes da instituição com o mundo. O CAC é um pré-requisito obrigatório para galgar ao posto de Segundo-Tenente. No final do treinamento, os alunos que conseguiram os primeiros lugares na classificação geral em cada área receberam honrarias como a Medalha do Espírito de Combate. A Segundo-Tenente colombiana Yina Paola Montenegro Villanueva foi distinguida como a única mulher a participar do curso. O Gen de Brig Matos disse que "essa é a primeira vez que membros e cadetes do Exército dominicano estão sendo treinados por outro país latino-americano, e é também a primeira vez desde 1844 que estão sendo treinados em uma academia militar irmã. Hoje, em um evento sem precedentes, a primeira turma de cadetes – uma turma que teve o privilégio de receber instrução no CAC – está se graduando da Academia MilitarBatalla de las Carreras", de acordo com um comunicado de imprensa da ESMIC de 21 de maio. Oficiais experientes colombianos ensinaram aos participantes as melhores técnicas de combate irregular, inclusive: sinalização de alvos militares em terra, assalto aéreo, estação de comando, lições aprendidas, combate urbano, manobras de combate irregular, comunicações, sobrevivência de combate na água, geografia militar, inteligência, saúde e minas e dispositivos explosivos. Ao mesmo tempo, os alunos participaram de workshops sobre direitos humanos e sobre o uso de sistemas GPS (Sistemas de Posicionamento Global) de navegação por satélite. O trabalho em equipe de diferentes unidades militares da Colômbia tornou-se evidente durante os exercícios de treinamento físico do CAC. A Força Aérea, Forças Especiais, Escola de Direitos Humanos, Corpo de Fuzileiros Navais, Escola de Rangers e Escola de Suboficiais prestaram seu apoio aos exercícios conjuntos e compartilharam conhecimento com os alunos de acordo com cada parte do programa. "Esse intercâmbio foi solicitado pelo Comandante Geral do Exército dominicano, General-de-Brigada José Eugenio Matos de la Cruz", disse o Cel Almonte. O intercâmbio foi resultado de acordos firmados na Conferência de Exércitos Americanos, que ocorreu em Bogotá em novembro de 2015. "Estamos muito agradecidos e sabemos que será de enorme benefício para os nossos oficiais e cadetes", acrescentou o Cel Almonte. Os cadetes e a segundo-tenente, todos com idades entre 20 e 24 anos, foram selecionados após serem submetidos a rigorosos testes de confiança e habilidade. "A importância deste interessante Curso de Combate Avançado é o enriquecimento do conhecimento tático em uma doutrina que é diferente da nossa, especificamente, o profissionalismo que o Exército Nacional da Colômbia adquiriu de sua experiência e treinamento rigoroso", disse o Cel Almonte. "Os cadetes compartilharão sua experiência com seus compatriotas." O relacionamento de cooperação entre os exércitos dos dois países é de uma solidariedade permanente. "Vinculamos nossos exércitos eternamente; aspiramos a criar uma conexão que dure para sempre e seja um modelo de fraternidade e solidariedade permanente", disse o Gen de Brig Matos durante a cerimônia de formatura. "Duas instituições militares criaram caminhos de amizade e cooperação mútua, caminhos de laços sólidos e indestrutíveis." Daniel Pou, pesquisador associado do Instituto Latino-Americano de Ciências Sociais da República Dominicana, disse: "É uma boa coisa que os cadetes dominicanos estejam começando a conhecer experiências que são diferentes das tradicionais que eles sempre tiveram. Esperamos que este treinamento seja mais coerente com a visão holística do que chamamos de defesa."
Share