Colômbia intercepta mais de 19 toneladas de drogas em três semanas

Colômbia intercepta mais de 19 toneladas de drogas em três semanas

Por Julieta Pelcastre/Diálogo
maio 06, 2021

As forças de ordem da Colômbia desferiram duros golpes contra as organizações do narcotráfico com a interceptação de 19.249 quilos de cloridrato de cocaína e maconha em diferentes operações realizadas entre os dias 16 de março e 5 de abril de 2021.

No dia 5 de abril, o Comando Geral das Forças Militares da Colômbia (CGFM) anunciou a apreensão de 1.085 kg de maconha em dois centros de armazenamento ilegais em Ciénaga, estado de Magdalena. A cannabis seria enviada ao exterior e estava em diferentes etapas de produção.

Em outra operação, no dia 3 de abril, as autoridades impediram a saída do estado de Chocó de 1.323 kg de cocaína pertencentes ao grupo armado Clã do Golfo. A droga seria transportada em lanchas rápidas para a América Central, informou por Twitter a Marinha da Colômbia (ARC, em espanhol). O alcaloide estava escondido em 40 pacotes em um armazém subterrâneo camuflado em uma região de bosques, acrescentou o portal colombiano Cable Noticias TV.

No dia 29 de março, o CGFM revelou que confiscaram mais de 1 tonelada de cloridrato de cocaína e maconha em Buenaventura, Valle del Cauca. Esse golpe contra as dissidências das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) ocorreu na região do Rio Naya, onde foi feita a interdição de uma lancha rápida que escondia a droga.

No dia 28 de março, o ministro da Defesa Diego Molano comunicou através do Twitter a apreensão de 1.893 kg de maconha das dissidências das FARC, que eram transportados em uma embarcação em Buenaventura. No mesmo dia, em Caloto, Cauca, o Exército confiscou 2.100 kg de maconha que pertenceriam às dissidências das FARC, ocultos em caixas de ovos cobertas com bolsas impregnadas com enxofre, para impedir que a umidade danificasse a cannabis.

Dois dias antes, em 26 de março, a ARC anunciou a apreensão de 2.875 kg de cloridrato de cocaína e 111 kg de pasta base de coca, transportados em duas lanchas rápidas pelas águas do Golfo de Urabá. Na primeira lancha, foram detidos três colombianos, e, na segunda, apreenderam quatro colombianos e um panamenho.

Em outra operação, a ARC informou no dia 22 de março que apreendeu um semissubmersível com 402 kg de cocaína no Rio Micay, entre Valle del Cauca e Cauca, que tinha como destino o litoral do México. Esse foi o nono semissubmersível apreendido pela Marinha no Pacífico em 2021, informou a ARC.

No dia 20 de março, tropas militares apreenderam mais de 500 kg de entorpecentes e insumos para seu processamento em um laboratório pertencente ao Exército de Libertação Nacional (ELN), em Norte de Santander, informou via Twitter o General de Exército Enrique Zapateiro, comandante do Exército Nacional da Colômbia.

A ARC informou que no dia 19 de março, em três operações com os Estados Unidos, Honduras e Porto Rico, apreendeu 3.759 kg de cloridrato de cocaína transportados em duas lanchas rápidas e uma aeronave que se dirigiam à América Central. Sete criminosos foram presos durante as interdições.

No dia 18 de março, a Polícia Nacional da Colômbia informou em um comunicado a descoberta de 931 kg de cocaína em Buenaventura, em um contêiner procedente do Equador com destino à Guatemala. No mesmo dia 18 de março, no município de Tesalia, Huila, após 30 minutos de perseguição, o Exército e a Polícia impediram que um carregamento com 579 kg de maconha chegasse a um grupo de dissidentes das FARC, informou o CGFM.

Em Norte de Santander, no dia 17 de março, os oficiais localizaram três laboratórios para processamento de cloridrato de cocaína e dois laboratórios para o processamento de pasta base de coca pertencentes ao ELN. Durante a operação, foram apreendidos 1.277 kg de cloridrato de cocaína e 543 kg de pasta base de coca, segundo o CGFM.

Em outra operação, realizada em 16 de março, a ARC informou a apreensão de 871 kg de maconha em uma embarcação que seguia para o Panamá.

Share