Colômbia cria comando contra dissidências das FARC

Colômbia cria comando contra dissidências das FARC

Por Julieta Pelcastre/Diálogo
agosto 06, 2021

O ministro da Defesa da Colômbia, Diego Molano, anunciou, no dia 24 de julho de 2021, na sede da Brigada 30 em Cúcuta, a criação do Comando Específico do Norte de Santander, integrado por 14.000 membros do Exército Nacional, para desarticular a Frente 33 das dissidências das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e controlar as ameaças terroristas.

“O principal objetivo é capturar o indivíduo conhecido como John Mechas, chefe da Frente 33”, informou Molano no lançamento do comando. Esse destacamento militar considera o grupo criminoso uma nova prioridade de segurança, informou a InSight Crime, uma organização dedicada à investigação do crime transnacional na América Latina e no Caribe.

“Mechas ordenou os atentados contra o presidente Iván Duque e a Brigada 30 em Cúcuta, em junho”, disse pelo Twitter o General de Exército Jorge Luis Vargas Valencia, diretor geral da Polícia Nacional. Uma recompensa de US$ 150.000 é oferecida por sua captura, informou o jornal colombiano El Espectador, no dia 26 de julho.

Investigações de atentados

Durante o anúncio da criação do Comando, o Gen Ex Vargas falou sobre a captura de 10 integrantes da Frente 33, acusados de participar do ataque onde explodiram uma camionete, deixando 36 feridos na brigada militar em Cúcuta, bem como do atentado ao helicóptero que transportava o presidente Duque e sua comitiva.

O Gen Ex Vargas disse que graças a essas detenções foram expostos os planos de outros atentados terroristas contra a força pública e a procuradoria no Norte de Santander; entre eles, um ataque com drone à Operação Esparta, em Tibú, bem como o recrutamento de menores de idade na Venezuela, para cometerem atentados na Colômbia.

“Desde o início das atividades investigativas [há] uma colaboração próxima com o FBI. A instituição está nos ajudando com questões de criminalística e cientistas, para a realização de provas periciais nos explosivos encontrados”, disse o Gen Ex Vargas. “Estamos realizando o rastreamento internacional das armas encontradas […], com a ajuda da INTERPOL e dos Estados Unidos.”

“A Frente 33 tem conexões diretas com o cartel dos Beltrán Leyva, um cartel mexicano de tráfico de entorpecentes, principalmente cocaína”, revelou o Gen Ex Vargas. “As reuniões entre os emissários desse cartel e os integrantes da Frente 33 são realizadas na Venezuela.”

Depois das ações de inspeção na Brigada 30, “surgiu uma série de recomendações para melhorar a segurança, não apenas da brigada, mas também de todas as guarnições militares do país, como uma lição aprendida”, disse o General de Exército Luis Fernando Navarro, comandante das Forças Militares da Colômbia. “O Comando Sul dos EUA nos assessorou com capacidades e com tecnologia, para garantir maior segurança em nossas instalações e evitar que esses fatos se repitam”, acrescentou o oficial.

Share