‘Hospital Flutuante’ da Marinha chilena atende na Patagônia

Chilean Navy’s ‘Floating Hospital’ Treats 6,000 Patients in Patagonia

Por Dialogo
dezembro 10, 2012



SANTIAGO – A Marinha do Chile concluiu a Operação Machitún Antares 2012 – a maior missão médica de sua história – em que examinou e tratou mais de 6.000 pacientes a bordo da embarcação Sargento Aldea.
A missão, que terminou em 22 de outubro, ofereceu assistência médica urgente necessária aos habitantes ao longo da remota XI Região de Aysén, na Patagônia chilena, no extremo sul do país. A oficial de Marinha, Sandra Paredes, disse que a operação de US$ 2 milhões (R$ 4 milhões), parcialmente financiada por doações privadas, diminuiu listas de espera em algumas localidades em mais de 30%.
Federico Jara Cartes, comandante da Reserva da Marinha, disse que a equipe de 74 oftalmologistas, ginecologistas, dentistas, dermatologistas, cardiologistas, ortopedistas, especialistas em implantes e parteiras ofereceu serviços médicos a 6.271 pacientes. Além disso, os profissionais de saúde forneceram aparelhos auditivos e lentes doadas, material odontológico e medicamentos.
“Houve uma simbiose perfeita entre a Marinha, reservistas, médicos, dentistas e técnicos, almas generosas que uniram-se para auxiliar cidadãos em situação vulnerável em áreas isoladas, tais como Aysén, Coyhaique, Mañiguales and Puerto Chacabuco”, declarou Cartes.
O comandante acrescentou que os profissionais de saúde examinaram os pacientes a bordo e, em seguida, mandaram exames de raios-X por e-mail a clínicas particulares em Santiago, onde os resultados foram apresentados em menos de cinco minutos. Médicos da Marinha também realizaram diversas cirurgias nos hospitais de Aysén e Coyhaique.

A Marinha chilena, ao adquirir o Sargento Aldea (LSDH-91) no ano passado, informou que o navio de assalto anfíbio seria utilizado para fins tanto humanitários quanto militares. Além de defender a soberania do país, a Marinha também transporta passageiros através da Patagônia, especialmente durante o ano escolar e durante emergências e desastres naturais.
Hoje, a terceira maior embarcação da Marinha do Chile, Sargento Aldea, transporta dois helicópteros e pode alcançar a velocidade de 20 nós, informou Sandra.
A oficial também informou que esse “hospital flutuante” possui 224 tripulantes e pode transportar até 1.300 pessoas. Somente a área hospitalar do navio possui 51 leitos, duas salas de cirurgia, uma clínica dentária e uma sala de raios-x, uma unidade de queimados, um laboratório de análises clínicas e 12 conveses, dos quais três estão abaixo do nível da água.
Sandra, ao citar a participação dos governos regionais e do Ministério da Saúde do Chile, disse que somente em um dia a equipe de saúde tratou 25 pessoas que residem em Maitén, Quellin, Guar e outras ilhas.
“Estamos muito satisfeitos em ajudar esses pacientes em regiões remotas”, diz Juan Salazar, membro da equipe e cirurgião vinculado à Reserva da Marinha.
Estou orgulhoso de sua humanidade e gentileza com pessoas que realmente precisam do apoio de toda Marinha Chilena e da Reserva.
Espero que outros países sul-americanos aprendam com todos vocês.
Obrigado

John Barrels
Share