Chile inaugura exercício militar internacional

Chile Opens International Military Exercise

Por Dialogo
julho 13, 2011


Com a formação de uma força conjunta com 600 efetivos militares, integrantes dos exércitos do Brasil, Canadá, Equador, El Salvador, Estados Unidos, México, Uruguai e Chile iniciaram o exercício multinacional de operações militares de paz “Huemul” no Campo Militar “Peldehue”, em 11 de julho.

O treinamento de caráter internacional, onde atuam forças de países membros da Conferência dos Exércitos Americanos (CEA), é o primeiro do gênero e recria a simulação de uma situação de crise a fim de pôr em prática a regulamentação, manuais e procedimentos existentes pelos pelotões ou forças das instituições militares participantes, segundo o que foi proposto pelo Exército do Chile em 2010 no Peru, no XXIX ciclo realizado pela CEA.

Na oportunidade, o secretário de Estado disse que “ter uma presença tão alta dos exércitos das Américas é muito importante e, em primeiro lugar, o Governo quer agradecer e, em segundo lugar dizer que esses exercícios que marcam as novas tarefas que os exércitos estão assumindo, ou seja, um compromisso muito forte com as tarefas de ajuda humanitária, preservação da paz e ajuda à comunidade, para controlar situações de desastres naturais, são da maior relevância”.

Ele destacou ainda que “a magnitude desses desafios exigirá cada vez mais ações conjuntas dos exércitos, mas isto significará que deverá haver normas, procedimentos comuns, aceitos e validados”; tudo isto, acrescentou, para atuar em coordenação com outros exércitos da América, quando for necessário e solicitado pela comunidade internacional.

Os países participantes do exercício militar multinacional operarão coordenadamente até o dia 15 de julho, com forças deslocadas de acordo com um planejamento que tem como objetivo validar a normativa CEA, definida pelos países que adscrevem a conferência em questão.

O exercício organizado pelo Exército do Chile abrange o desenvolvimento de múltiplos treinamentos em comunicações e planejamento das operações de manutenção da paz e ajuda em casos de desastres, sob a normativa da Conferência, o que permitirá gerar ações coordenadas de tal forma a avançar nos estudos sobre a conveniência de se unificar os procedimentos, de agir diante de situações de crise e de promover pesquisas em ciência, tecnologia e meio ambiente.



Boa noticia para o site
Share