Chile expande plano Fronteira Norte para barrar narcotráfico

Por Dialogo
julho 15, 2013



SANTIAGO – O Chile está expandindo seu Plano Fronteira Norte para dentro do remoto Deserto do Atacama, em uma ação para impedir a entrada de drogas ilegais provenientes dos vizinhos Peru e Bolívia.
O governo informou que, embora tenha instaurado o plano em 2011, os traficantes passaram a evitar as áreas em que houve intensificação de patrulhas e onde foram instaladas tecnologias de detecção – transferindo suas atividades para passagens desabitadas e de acesso difícil na fronteira.
“O Plano Fronteira Norte será implementado no segundo semestre de 2013 em novas áreas do país, para reduzir a entrada clandestina de drogas, pessoas e mercadorias através das cidades do norte do Chile”, disse Alejandro Müller Gutiérrez, porta-voz do Ministério do Interior e Segurança Pública do Chile.
Segundo Müller, a decisão baseou-se em informações técnicas da polícia e da Polícia de Investigações do Chile (PDI), que mostraram que os narcotraficantes estão se deslocando de regiões bem patrulhadas como Arica, Parinacota, Tarapaca e Antofagasta para locais mais remotos.
“Essa é uma estratégia que reúne operações marítimas, aéreas e terrestres, as passagens na fronteira andina onde moram pessoas, assim como as áreas desabitadas, utilizando recursos humanos e tecnologia que permitem às autoridades observar e controlar nossas fronteiras”, disse o porta-voz.
evo morales é o pablo escobar da bolívia. O verdadeiro problema não é a droga que passa pela fronteira, que é para ser microcomercializada, mas a que entra em grande volume pelo próprio aeroporto, “paga” em notas verdes. A tecnologia não adianta quando a corrupção predomina. Muito conveniente e oportuna decisão de reforçar suas forças na área!! Espero que parem a propagação de peruanos e colombianos Espero que parem a propagação de peruanos e colombianos a foto não corresponde ao controle da fronteira da Chacalluta, nossos policiais não parecem bandoleiros e o que interessa a nós peruanos que esse país Caim traidor da América lute contra as drogas como se fosse uma novidade ou um descobrimento; rotos e incapazes, deixam as drogas passarem bem debaixo de seus narizes e não se dão conta, assim é a polícia chilena, um bando de ineptos mongoloides, a única coisa que fazem é observar as normas e não fazem nada. IMBECIS. Chilenos “maltrapilhos”, se não podem sequer cuidar de si, devolvam a soberania de Arica e Tarapaca ao Peru e Antofagasta à Bolívia. De qualquer maneira, já é impossível a recuperação desses territórios usurpados e roubados pelo Chile e seu marido Inglaterra. É curioso que não se fale do contrabando da Bolívia para o Peru a partir de portos no norte chileno. E quanto ao tráfico de drogas, deveríamos ter cuidado que isso seja uma preparação por parte do Chile de um cenário de conflito, para quando a sentença de Haia for emitida, que pode servir a seus fins de criar obstáculos no caso de a justiça ser feita e ser favorável ao Peru, como o mundo civilizado espera. Incrível! Quando nossos soldados bolivianos cruzaram a fronteira com o Chile, foram detidos na hora pelos soldados armados (estavam atentos e se armou um espetáculo da mídia); porém a realidade é que todos os dias passam caminhões carregados com contrabando, veículos ilegais e outros. O que eles fizeram? Simplesmente nada, são cúmplices de todo esse negócio ilegal que atinge a Bolívia. por que algumas pessoas criam ódio contra nosso país CHILE, se nosso único objetivo é ter paz com nossos países vizinhos, peço às autoridades desses países que divulguem a verdade sobre o que ocorreu há tantos anos, e com seus livros de história ensinem seus filhos a olhar para a frente e para o futuro com todo o respeito e fraternidade entre nós; hoje no Chile temos mais estrangeiros que nossos próprios compatriotas, em algumas cidades do norte nós damos estabilidade e trabalho a todos eles, nós os temos recebido como a qualquer ser humano do mundo. Eu convivi com vários bolivianos em Arica e nunca tive problemas com nenhum deles, e ultimamente alguns estão passando dos limites, pedindo não sei o quê, a história é o que é e ponto final, se fosse para pedir devoluções também teriam que pedir os alemães ou os japoneses, ou a tantos outros países que em algum momento perderam em um conflito armado. Crianças, sejamos irmãos, vamos dar as mãos e conviver neste mundo e seguir em frente, nosso selo é ver a claridade no fim do túnel e ali há alguém que está nos esperando, e se chama DEUS. Tchau, irmãos. O problema não é a Venezuela, mas a Bolívia de novo que, como no passado, quer convidar outro país para fazer a sua guerra para depois deixá-lo à própria sorte, como fez com seu aliado Peru, que acima de tudo perdeu território e vidas humanas por lutar uma guerra para a qual não foi convidado... Saudações, o resto é história.
Share