CANSEC reúne nações amigas contra ameaças comuns

CANSEC Brings Partner Nations Together against Common Threats

Por Geraldine Cook/Diálogo
dezembro 12, 2018

“Bem-vindos a Trinidad e Tobago, bem-vindos à Conferência Anual de Segurança das Nações Caribenhas (CANSEC) 2018”, disse o Contra-Almirante Hayden Pritchard, chefe do Estado-Maior da Força de Defesa de Trinidad e Tobago, durante seu discurso de boas-vindas aos líderes de defesa e segurança da 16ª CANSEC, realizada em Porto de Espanha, Trinidad e Tobago, de 4 a 6 de dezembro. “A CANSEC é um programa de parceria, um pilar da estabilidade regional.”

O C Alte Pritchard dedicou um momento do seu discurso para dar as boas-vindas ao Almirante de Esquadra da Marinha dos EUA Craig S. Faller, que assumiu a função de comandante do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) no dia 16 de novembro de 2018. O oficial convidou o novo comandante e os líderes de defesa das nações parceiras a enfrentar as ameaças regionais que atingem o Caribe, encorajando-os a trabalhar juntos, como em uma rede sincronizada.

“Somos bons vizinhos. Na nossa região, o hemisfério ocidental, temos mais em comum do que quaisquer outros países no mundo e isso nos abre mais oportunidades. Respeitamos os direitos humanos, compartilhamos valores similares, com poucas exceções, fortes tradições democráticas. Respeitamos mutuamente nossa soberania, zelamos uns pelos outros, buscando maximizar nossos escassos recursos, e trabalhamos juntos”, disse o Alte Esq Faller em seu primeiro discurso aos líderes militares caribenhos. “O fluxo de drogas, armas e a imigração ilegal, citando apenas alguns dos muitos desafios que enfrentamos em nossa região, tudo isso demanda - e nossos cidadãos demandam - que atinjamos resultados, e é por isso que estamos aqui hoje, para concretizar o que temos que fazer.”

O SOUTHCOM patrocina o fórum regional anual de segurança para promover o diálogo entre as lideranças de defesa e segurança, para consolidar suas conexões, para trabalhar em conjunto e derrotar as ameaças regionais, e para estarmos mais preparados para responder às crises. A edição 2018 da CANSEC foi a terceira vez em que Trinidad e Tobago sediou o evento. Sob o tema “Fortalecendo a estrutura para combater as ameaças e responder às crises”, os participantes de Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Belize, Dominica, Granada, Guiana, Haiti, Jamaica, São Cristóvão e Névis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Suriname, República Dominicana, Trinidad e Tobago, Estados Unidos, da Agência de Gestão de Emergências em Casos de Desastres do Caribe (CDEMA, em inglês), da Agência de Implementação para Crime e Segurança (IMPACS, em inglês) da Comunidade Caribenha (CARICOM, em inglês) e do Sistema de Segurança Regional (RSS, em inglês) debateram sobre problemas comuns, como as redes de ameaças e a resposta às crises regionais para assistência humanitária e ajuda em desastres. Canadá, França, Países Baixos e Reino Unido participaram como observadores.

Ameaças à segurança do Caribe

“Os temas da CANSEC são muito importantes para o que estamos fazendo em relação aos desafios que enfrentamos na região”, disse o Coronel da Força de Defesa de Antígua e Barbuda Sir Trevor Thomas, chefe do Estado-Maior do órgão. “Nossa cooperação regional para combater as ameaças à segurança é saudável. O que devemos continuar fazendo é dialogar e determinar os pontos fortes e fracos uns dos outros, para ver como podemos compensar os mesmos. Não precisamos duplicar esforços, precisamos fazer uma análise das nossas capacidades e determinar as lacunas para tentar preenchê-las na medida do possível.”

Os participantes realizaram mesas redondas e reuniões bilaterais para discutir as ameaças à segurança do Caribe. O narcotráfico, a proliferação do tráfico de armas de pequeno porte, as ligações do crime organizado, as atividades das gangues, a violência e a corrupção pública, os terroristas estrangeiros e as possíveis fontes de radicalização, as pandemias e os desastres naturais estão entre os principais desafios à segurança regional. No entanto, os participantes concordaram que a deterioração da estabilidade na Venezuela também afeta os países da CARICOM.

“A CANSEC é uma oportunidade que temos de interagir com os demais líderes regionais das forças de segurança, para que possamos coordenar melhor nossa resposta aos desastres naturais e nossa resposta às ameaças que a região caribenha enfrenta”, disse o Capitão de Mar e Guerra de São Cristóvão e Névis Walter Bass, comandante da Guarda-Costeira. “Temos confiança de que o mecanismo existente na região inclui a própria CDEMA, a RSS e a CARICOM IMPACS, e que com o apoio do SOUTHCOM seremos capazes de combater os problemas regionais.”

Resposta à crise

A resposta à assistência humanitária e à ajuda em desastres fez parte da agenda da conferência. Líderes de defesa e segurança discutiram seus papéis militares na resposta às crises na região, considerada a segunda no mundo a sofrer com intempéries e outras catástrofes naturais.

“Não se trata de uma questão de se, e sim de de quando ocorrerá o próximo desastre, ato terrorista ou migração em massa, e precisamos estar preparados”, disse o Alte Esq Faller. Ele mostrou a importância da prontidão e a necessidade de que todos conheçam as capacidades dos demais.

A CDEMA criou a ferramenta Gestão Abrangente de Desastres (CDM, em inglês) como um conceito inovador para reduzir os riscos e as perdas associados aos desastres naturais. A CDM administra todos os riscos através das fases do ciclo de gestão de desastres – prevenção e mitigação, prontidão, resposta, recuperação e reabilitação. Entretanto, ela precisa ser aperfeiçoada nos níveis locais, regionais e internacionais.

“As duas estruturas da CARICOM – a CDEMA e a IMPACS – demonstram que a região se torna mais efetiva quando há colaboração, tal como ocorreu durante a devastadora estação de furacões do ano passado [2017]”, disse o Alte Esq Faller. “Uma coisa que aprendemos na sequência, com todos esses desastres em nossas missões militares e em nossa região, é que o trabalho em equipe sempre triunfa.”

Desenvolvimento de suboficiais

Paralelamente ao evento principal, a CANSEC 2018 reuniu os suboficiais seniores do Caribe para discutir suas funções. Eles tiveram a oportunidade de falar sobre suas experiências e de trocar ideias sobre como os corpos de suboficiais profissionais podem melhorar.

“A CANSEC é uma grande oportunidade para continuarmos a criação do nosso programa de suboficiais seniores”, disse o Suboficial Neil W. R. Lashley, do Comando da Força de Defesa de Trinidad e Tobago. “Precisamos continuar avançando, criar um relacionamento forte e manter o diálogo uns com os outros.”

Compromisso futuro

Face às ameaças reais, os líderes regionais concluíram que é importante manter a segurança coletiva, o compartilhamento de informações e os exercícios contra as principais ameaças entre as nações parceiras. Ao mesmo tempo, todos concordaram, é preciso reforçar a comunicação entre as organizações regionais e consolidar as redes de resposta durante as emergências e os desastres.

“As ações envolvem responsabilidade. Eu me comprometo a trabalhar em conjunto”, disse o Alte Esq Faller. “Trata-se da segurança coletiva para todos nós.”
Share