Escola da Marinha do Brasil prepara militares para as missões de paz

Brazilian Naval Academy Prepares Service Members for Peacekeeping Missions

Por Taciana Moury/Diálogo
maio 22, 2018

O Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo, localizado na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, abriga desde 2008 a Escola de Operações de Paz de Caráter Naval (EsOpPazNav) da Marinha do Brasil (MB). A escola é responsável pela preparação dos militares da MB que participam de operações de paz conduzidas pela Organização das Nações Unidas (ONU), ou as executadas em atendimento aos compromissos internacionais firmados pela MB.

Segundo o Capitão-de-Fragata do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) Bruno Kochulinski Caldas, encarregado da EsOpPazNav, a unidade surgiu com o objetivo de preencher uma lacuna existente na formação individual e coletiva dos militares designados para as operações de paz que se apresentavam, “principalmente os Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais que integraram a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH)”, explicou o CF Kochulinski.

Com a nova estrutura, o CFN passou a contar com um órgão capaz de armazenar as experiências adquiridas, organizar estágios e jornadas que permitam a troca de conhecimentos direcionados às missões, além de representar o CFN no Brasil e no exterior em eventos ligados às operações de paz. A preparação específica para a MINUSTAH permaneceu até o término da missão, em 2017.

“A participação do Brasil no Haiti possibilitou um contato mais estreito com as atividades desenvolvidas em uma missão de paz e incrementou o conhecimento da doutrina das Nações Unidas pelos militares da MB. O trabalho realizado pela EsOpPazNav tem o objetivo de multiplicar esse conhecimento, permitindo o aprimoramento e a disseminação de novas táticas, técnicas e procedimentos nos diversos níveis de atuação”, avaliou o CF Kochulinski .

A escola é composta de uma estrutura permanente e um banco de dados atualizado de aproximadamente 100 instrutores capacitados em cursos no Brasil e no exterior, com reconhecida experiência em missões de paz. “Os instrutores são oriundos de outras organizações militares da Marinha e são empregados, com elevado grau de prioridade, nas instruções e demais atividades afetas ao tema de operações de paz, sempre que necessário”, revelou o oficial.

Cursos realizados

De acordo com o CF Kochulinski, o principal foco da instituição é o treinamento dos militares que compõem os contingentes da MB integrantes da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL), mas também possui outros cursos direcionados à atuação em missões de paz. O Estágio de Preparação de Contingentes de Tropa para Operações de Paz é um dos cursos ministrados. Realizado durante cinco dias, duas vezes por ano, é voltado tanto para cada força-tarefa marítima (FTM) da UNIFIL, quanto para cada Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais. O estágio prepara a tripulação do navio que seguirá para o Líbano, tendo no programa os requisitos necessários da ONU, referenciados no Material de Treinamento Essencial Pré-Implantação do Centro de Recursos de Manutenção da Paz da ONU.

“O treinamento prático acontece no Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão da Marinha e no navio cuja tripulação está sendo preparada, e inclui simulações de situações que ocorrem no cotidiano da UNIFIL, como as ações de abordagem em operações de interdição marítima”, exemplificou o CF Kochulinski. Já o Estágio de Operações de Paz de Caráter Naval para o Estado-Maior dos Contingentes é direcionado para os oficiais que irão assumir funções de assessoramento direto ao comandante da FTM, que são oficiais de Estado-Maior. “O curso ocorre em dois períodos por ano e é baseado na transmissão de conhecimentos por militares recém-egressos da missão ao futuro Estado-Maior da força de paz, principalmente nas atividades específicas relacionadas com as tarefas desempenhadas durante a função”, esclareceu.

No local acontece ainda, uma vez por ano, o Curso Especial de Negociação em Conflitos com Tomada de Reféns para Oficiais. O objetivo é o de preparar os oficiais para integrarem equipes de negociação ou grupos de assessoramento em gabinetes de crises que envolvam invasões de instalações com tomada de reféns. “Neste curso existe a possibilidade de participação de outras forças armadas, bem como militares das forças auxiliares, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros”, revelou o CF Kochulinski.

O oficial antecipou que em 2018, de forma pioneira e por solicitação da Academia Militar das Agulhas Negras, do Exército Brasileiro (EB), vai ser realizado um Estágio de Negociação exclusivo para cadetes, que terá como foco principal as atividades práticas de técnicas e regras básicas de negociação. “A escola é também responsável pelas instruções relacionadas à Patrulha Naval, voltada aos Grupos de Visita e Inspeção e Guarnição de Presa”, disse o CF Kochulinski.

Os militares da EsOpPazNav ainda apoiam o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), unidade do EB, em instruções teórico-práticas no Estágio de Desminagem Humanitária, direcionado aos militares da MB e do EB e de nações parceiras. “Auxiliamos na montagem de oficinas de aplicação prática dos métodos e equipamentos empregados em operações de desminagem humanitária, como a oficina de emprego real de explosivo e o desdobramento de equipes de desminagem, em uma área com as mesmas características do ambiente operacional encontrado neste tipo de atividade”, explicou o CF Kochulinski.

A parceria com o CCOPAB é recíproca, segundo explicou o oficial. O centro do EB é responsável pela coordenação da instrução de doutrina essencial para o desdobramento de contingentes em operações de paz, uma das etapas do treinamento das tropas da MB para a UNIFIL. “Mas a EsOpPazNav pretende assumir no futuro todas as tarefas de preparação do contingente da UNIFIL, tendo em vista o caráter naval da missão, bem como a capacidade da escola em conduzir quaisquer instruções necessárias ao desdobramento dos contingentes da Marinha em uma operação de paz”, destacou.

Preparação é aprovada pelos alunos

O Capitão-Tenente do CFN Adriano Amorim Filgueiras, que está desde o final de janeiro de 2018 atuando na FTM da UNIFIL, fez a preparação para a missão na EsOpPazNav. No Líbano, o oficial é encarregado do destacamento de segurança de fuzileiros navais do Comando da Força Tarefa Marítima e do Grupo de Reação a Ameaças Assimétricas.

Para o CF Filgueiras, durante a preparação na EsOpPazNav foi possível conhecer as experiências passadas pelos oficiais instrutores, antecipando prováveis cenários a serem encontrados, bem como repassando as determinações já consagradas nos documentos da ONU. “Devido às condições atípicas que um combatente está acostumado a enfrentar, foi muito importante uma orientação mais específica”, destacou. A capacitação envolveu ciclo de aulas e palestras ministradas por instrutores da escola e oficiais convidados com vasta experiência em operações de paz. “A expertise desses militares foi fundamental na preparação”, concluiu.
Share