Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil capacita militares e civis

Brazilian Joint Center for Peacekeeping Operations Trains Military Personnel and Civilians

Por Eduardo Szklarz/Diálogo
julho 17, 2017

Com sete anos de atividade, o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB) é hoje referência internacional no treinamento de militares e civis que atuam sob a égide das Nações Unidas. Também conhecido como Centro Sérgio Vieira de Mello – em homenagem ao diplomata brasileiro morto em serviço no Iraque, em 2003 –, o centro já preparou mais de 3.500 pessoas, inclusive militares de nações parceiras como Argentina, Canadá, Chile, Estados Unidos e França. “O CCOPAB é procurado por vários países, seja para visitas, para envio de instrutores ou para receber alunos”, informou à Diálogo a Divisão de Comunicação Social da instituição. “Podemos dizer que somos considerados um centro de referência.” Os participantes podem receber diversos treinamentos, desde o Estágio de Preparação de Comandantes de Subunidade e Pelotão até o Estágio de Tradutores e Intérpretes Militares. A demanda é cada vez maior. O número de alunos por ano passou de 433 em 2010 para 611 em 2016, incluindo contingentes do Brasil (Marinha, Exército, Força Aérea, civis, policiais militares e bombeiros) e do exterior. “O motivo que levou o CCOPAB a se tornar referência foi o trabalho integrado, realizado com a presença de militares das três forças armadas, bem como a participação de policiais militares e civis no planejamento e execução dos cursos”, disse o Major Anderson Félix do Exército Brasileiro Geraldo, instrutor do CCOPAB e coordenador do Estágio de Preparação para Jornalistas e Assessores de Imprensa em Áreas de Conflito. “Essa integração permite a construção de Planos de Disciplinas integrados e multidisciplinares, que alinham as experiências práticas vivenciadas na missão (lições aprendidas) com a teoria ensinada nas salas de aula”, explicou o Maj Felix. “Fruto disso, o CCOPAB conseguiu a certificação, pelo Departamento de Operações de Paz da ONU, do Estágio de Estado-Maior para Missão de Paz, do Estágio de Observador Militar e do Estágio de Preparação de Policiais da ONU.” Cursos e estágios Brasileiros e estrangeiros recebem o mesmo conteúdo na sede do CCOPAB, no Rio de Janeiro. “As instruções da ONU são as mesmas no mundo inteiro. Então, seja militar, policial ou civil, todos recebem os mesmos conhecimentos”, disse o CCOPAB. “Temos cursos conduzidos em inglês, espanhol e português.” Entre os principais cursos, destacam-se: Estágio de Preparação de Comandantes de Organizações Militares e Estado-Maior: Marca o início da preparação para desenvolver atividades relacionadas ao emprego de um contingente de tropa em uma missão de paz. Durante uma semana, os alunos aprendem sobre o funcionamento da ONU e assuntos específicos para a missão onde a tropa será empregada. Estágio de Preparação de Comandantes de Subunidade e Pelotão: Prepara os militares para funções específicas de comandante de subunidade e pelotão em operações de paz, habilitando-os também para serem instrutores. Inclui táticas, técnicas e procedimentos utilizados nas missões, além de regras de engajamento e módulos de treinamento padronizados pela ONU. Estágio de Preparação para Missões de Paz: Prepara os estagiários para atuarem como oficial de Estado-Maior, observador militar nas Missões de Paz ou como policiais das Nações Unidas nas missões de paz, tudo em um ambiente multicultural. Curso de Desminagem Humanitária: Amplia a capacitação de oficiais, subtenentes, suboficiais e sargentos de engenharia para desempenharem a função de monitor ou supervisor internacional em missões de desminagem humanitária. Estágio de Coordenação Civil-Militar: Conduzido em inglês, prepara militares que exercerão tarefas relativas à coordenação civil-militar, oficiais de nações parceiras que participarão de missões de paz e integrantes de instituições civis parceiras. O CCOPAB também oferece o Estágio de Tradutores e Intérpretes Militares, que capacita militares voluntários para exercerem as funções de tradutor e intérprete em uma missão de paz. “Eles desenvolvem competências linguísticas em inglês, francês ou no idioma nativo do país hospedeiro, a fim de executarem tarefas próprias de um tradutor e intérprete”, disse o centro. Já no Estágio de Logística e Reembolso em Operações de Paz, a instituição treina oficiais e praças do Brasil e de nações parceiras para assumirem funções relacionadas à Administração e à Logística das Operações de Paz. “Além disso, O CCOPAB prepara jornalistas para atuarem em áreas de conflito”, disse o Maj Felix. “Este ano, formamos 38 profissionais de imprensa de todas as regiões brasileiras.” Os repórteres aprendem sobre direitos humanos e direito internacional humanitário, primeiros socorros, combate a incêndio, comportamento em estruturas colapsadas, ação contra minas e restos explosivos de guerra, comunicação e negociação, análise e mitigação de riscos em coberturas jornalísticas e progressão em área de risco. “Também têm palestras com profissionais que passam suas experiências”, concluiu. Trajetória do CCOPAB O CCOPAB foi criado em 2010, mas evoluiu a partir de outros organismos. O primeiro deles foi o Centro de Preparação e Avaliação para Missões de Paz do Exército Brasileiro, fundado em 2001 no âmbito da Divisão de Missão de Paz do Comando de Operações Terrestres. Seu propósito era orientar o preparo de todos os militares brasileiros designados para missões de paz. “Em 2005, o Exército Brasileiro criou o Centro de Instrução de Operações de Paz (CIOpPaz), que preparou a então Brigada Haiti, 3º Contingente, integrada pelo Grupamento de Unidades-Escola – 9ª Brigada da Infantaria Militarizada”, disse a instituição. Desde então, os contingentes foram empregados à luz do Capítulo VI da Carta das Nações Unidas, que trata das ações relativas a ameaças à paz, ruptura da paz e atos de agressão. Em 15 de junho de 2010, uma portaria do Ministério da Defesa designou o CIOpPaz para a preparação de militares e civis brasileiros e de nações parceiras a serem enviados em missões de paz. A portaria também alterou o nome do CIOpPaz para CCOPAB. Desafios das missões de paz Hoje, a formação para as missões de paz envolve importantes desafios. “As operações de paz são multidimensionais e têm imensa diversidade cultural. A comunicação, o respeito à diversidade, as diferentes culturas e línguas e o respeito ao gênero são conceitos que devem ser muito bem transmitidos”, disse o CCOPAB. “Neste aspecto, já adquirimos uma boa base metodológica.” Nos próximos anos, o centro pretende consolidar e expandir ainda mais sua experiência nesse campo. “O CCOPAB tem por objetivo tornar-se um centro de excelência nos aspectos relativos ao treinamento de civis, militares e policiais para as missões de paz e de desminagem humanitária”, completou a instituição. Além de contribuir para a formação de contingentes internacionais, o Brasil tem uma participação histórica em operações de paz. Enviou mais de 50.000 militares a cerca de 50 missões da ONU. Nos últimos anos, o país assumiu tarefas de coordenação e comando militar das operações da Missão de Estabilização das Naçoes Unidas no Haiti (MINUSTAH) em 2004, e na Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) em 2011. “A MINUSTAH trouxe a relevo nossa participação fundamental para a consecução da estabilidade política do Haiti”, disse um comunicado do Ministério da Defesa. “Já a UNIFIL se destaca por possuir o Brasil na liderança da única força naval atuando pela ONU no mundo.”
Share