Brasil analisará o acordo para aviões de combate no início de 2012

Por Dialogo
julho 12, 2011


O Governo brasileiro não analisará as ofertas de bilhões de dólares para selar um contrato para os aviões de combate até o início de 2012, disse à Reuters o ministro da Defesa, Nelson Jobim, no dia 9 de julho.

O Brasil, que pretende reconstruir e ampliar a frota de aviões de sua força aérea, vem considerando as ofertas da francesa Dassault Aviation, da Boeing e da companhia sueca Saab.

“Nós as examinaremos no início do próximo ano. Neste momento estamos concentrados apenas na agenda nacional”, disse Jobim durante um fórum de negócios no sul da França.

Os contratos brasileiros devem estar avaliados em muito mais do que as propostas iniciais, que oscilariam entre US$ 4 e 6 bilhões, segundo a mídia local.
Os contratos de manutenção serão lucrativos e o Brasil eventualmente poderá adquirir mais de 100 aeronaves.

O Brasil quer ainda uma transferência de tecnologia para ajudar a criar empregos com a fabricação nacional de aeronaves de combate modernas e potencialmente exportá-las para seus vizinhos da América Latina.

“A principal necessidade é a transferência de tecnologia”, disse Jobim, que não quis dizer qual é a favorita entre as três ofertas que o Brasil analisa.



Share