Bolívia: FELCN apreende cloridrato de cocaína destinado à Espanha

Por Dialogo
abril 28, 2015



A Força Especial de Luta contra o Narcotráfico (FELCN) da Bolívia apreendeu 654 quilos de cloridrato de cocaína escondidos dentro de um veículo que foi interceptado pelos policiais em 20 de abril no posto de Tambo Quemado, na fronteira com o Chile. Eles também prenderam cinco bolivianos durante a apreensão.

A cocaína, estimada em no mínimo US$ 48 milhões, seria destinada a um porto e depois enviada para Málaga, na Espanha.

A apreensão marca a mais recente operação bem-sucedida de uma série de 3.263 operações antidrogas realizadas pela FELCN desde 1º de janeiro. Como resultado dessas operações, as autoridades capturaram quase 11 toneladas de cocaína e prenderam 1.060 supostos traficantes.

Entre essas operações, a FELCN apreendeu recentemente cerca de 27 t de folhas prensadas de cocaína, que foram disfarçadas como pacotes de erva-mate. As folhas, encontradas em uma residência no departamento de Santa Cruz, foram avaliadas em US$ 350.000, mas poderiam ter sido usadas na produção de 100 quilos de cocaína com valor de até US$ 90 milhões. Os policiais detiveram dois cidadãos bolivianos durante a apreensão das folhas de coca, que os narcotraficantes supostamente pretendiam enviar para o Chile e, em seguida, para o Líbano.

A Bolívia permite o plantio legal de coca em quantidades limitadas para utilização em chás e remédios e como parte de rituais religiosos andinos. No entanto, a única e principal finalidade das folhas picadas de coca seria o preparo para a produção de cocaína.

Marinha Nacional Colombiana destrói dois laboratórios de cocaína


A Força-Tarefa Poseidón contra as Drogas, da Marinha Nacional Colombiana, encontrou e destruiu dois laboratórios de cocaína no estado de Nariño em 20 de abril.

Os militares apreenderam 1.000 quilos de folhas de coca, 1.460 kg de produtos químicos sólidos, 4.364 litros de insumos líquidos utilizados no processo de produção de cocaína, 4.012 l de gasolina e outros suprimentos nas duas instalações. Os fuzileiros navais colombianos destruíram todo o contrabando de forma controlada.

A Marinha não informou se foram capturados suspeitos nem a que grupo narcotraficante ou do crime organizado pertenciam os laboratórios e materiais apreendidos.

Desde 1º de janeiro, a Força Naval Colombiana do Pacífico destruiu 124.918 l de insumos líquidos e mais de 24 t de produtos químicos sólidos utilizados na produção de cocaína e erradicou 40 estruturas envolvidas no tráfico de drogas. A Marinha está solicitando aos moradores que usem o disque-denúncia 147 para informar qualquer atividade suspeita, enquanto continua o combate à violência e ao tráfico de mercadorias ilícitas em toda a região do Pacífico colombiano.


A Força Especial de Luta contra o Narcotráfico (FELCN) da Bolívia apreendeu 654 quilos de cloridrato de cocaína escondidos dentro de um veículo que foi interceptado pelos policiais em 20 de abril no posto de Tambo Quemado, na fronteira com o Chile. Eles também prenderam cinco bolivianos durante a apreensão.

A cocaína, estimada em no mínimo US$ 48 milhões, seria destinada a um porto e depois enviada para Málaga, na Espanha.

A apreensão marca a mais recente operação bem-sucedida de uma série de 3.263 operações antidrogas realizadas pela FELCN desde 1º de janeiro. Como resultado dessas operações, as autoridades capturaram quase 11 toneladas de cocaína e prenderam 1.060 supostos traficantes.

Entre essas operações, a FELCN apreendeu recentemente cerca de 27 t de folhas prensadas de cocaína, que foram disfarçadas como pacotes de erva-mate. As folhas, encontradas em uma residência no departamento de Santa Cruz, foram avaliadas em US$ 350.000, mas poderiam ter sido usadas na produção de 100 quilos de cocaína com valor de até US$ 90 milhões. Os policiais detiveram dois cidadãos bolivianos durante a apreensão das folhas de coca, que os narcotraficantes supostamente pretendiam enviar para o Chile e, em seguida, para o Líbano.

A Bolívia permite o plantio legal de coca em quantidades limitadas para utilização em chás e remédios e como parte de rituais religiosos andinos. No entanto, a única e principal finalidade das folhas picadas de coca seria o preparo para a produção de cocaína.

Marinha Nacional Colombiana destrói dois laboratórios de cocaína


A Força-Tarefa Poseidón contra as Drogas, da Marinha Nacional Colombiana, encontrou e destruiu dois laboratórios de cocaína no estado de Nariño em 20 de abril.

Os militares apreenderam 1.000 quilos de folhas de coca, 1.460 kg de produtos químicos sólidos, 4.364 litros de insumos líquidos utilizados no processo de produção de cocaína, 4.012 l de gasolina e outros suprimentos nas duas instalações. Os fuzileiros navais colombianos destruíram todo o contrabando de forma controlada.

A Marinha não informou se foram capturados suspeitos nem a que grupo narcotraficante ou do crime organizado pertenciam os laboratórios e materiais apreendidos.

Desde 1º de janeiro, a Força Naval Colombiana do Pacífico destruiu 124.918 l de insumos líquidos e mais de 24 t de produtos químicos sólidos utilizados na produção de cocaína e erradicou 40 estruturas envolvidas no tráfico de drogas. A Marinha está solicitando aos moradores que usem o disque-denúncia 147 para informar qualquer atividade suspeita, enquanto continua o combate à violência e ao tráfico de mercadorias ilícitas em toda a região do Pacífico colombiano.
Share