Autoridades e jovens unem forças para combater a violência na Guatemala

Authorities and Youth Join Forces to Fight Violence in Guatemala

Por Dialogo
maio 20, 2015





Autoridades de segurança da Guatemala estão utilizando cada vez mais tecnologia para facilitar à população a denúncia de crimes e contribuir na luta contra a violência. Os cidadãos agora podem informar crimes utilizando um aplicativo online chamado "Espantacacos" ("assusta-bandido"), como resultado de um convênio assinado pelo Ministério de Assuntos Internos e a ONG Jóvenes contra la Violencia
(Jovens Contra a Violência).

O serviço, disponível no endereço www.espantacacos.org
, lançado em todo o país em 9 de março, foi baixado 2.500 vezes no primeiro mês de operação e recebeu 300 denúncias, afirmou a Diálogob
Javier Toledo, membro do projeto Jóvenes contra la Violencia .
Os relatos vieram de todos os departamentos da Guatemala, incluindo os mais distantes da capital. Uma vítima de crime fez um relato do vizinho México utilizando um smartphone, acrescenta Toledo. Cerca de 80% das denúncias envolveram roubo de telefones celulares, enquanto o restante foram furtos de bens pessoais como relógios e carteiras.

Quando o convênio foi assinado em 6 de abril, o ministro de Assuntos Internos, Mauricio López Bonilla, destacou que a Guatemala precisava de pessoas como os membros da Jóvenes contra la Violencia, porque trabalham para o bem do país.

"É importante que nós, guatemaltecos, nos envolvamos nas soluções, nas novas ferramentas e mecanismos que nos permitam, como sociedade, enfrentar os problemas de violência, criminalidade e conflito do país", afirmou. "Esse é o mérito aqui. É um trabalho árduo, longo e histórico, porque é a primeira vez que algo assim acontece, especialmente onde os jovens demonstram, com otimismo, um ponto de partida que vai dar esperança à população e aumentar a participação dos cidadãos na solução para os problemas do país."

López Bonilla também convidou a população a utilizar o aplicativo para denunciar crimes.

Como apresentar um relato no ‘Espantacacos’


Utilizar o aplicativo é fácil. O sistema permite a qualquer pessoa relatar um crime apenas fazendo o login e especificando se o ato ocorreu em uma passarela, rua, semáforo, rota de ônibus ou rodoviária. O aplicativo também dá ao usuário a opção de informar o bem que foi roubado, desde um telefone celular a um veículo, e permite que as pessoas denunciem outros crimes, como extorsão, roubo de residências ou sequestros.

A pessoa que faz a denúncia pode especificar se o suposto crime foi cometido por um homem, uma mulher ou um grupo; se o suspeito utilizou uma arma e, nesse caso, o tipo; e se o suposto autor agrediu fisicamente ou fez ameaças à vítima. Além disso, o usuário do aplicativo pode fornecer um resumo do suposto crime, indicar a data e hora do incidente, fornecer comentários sobre como o evento ocorreu e anexar arquivos ao relatório, como fotos ou vídeos.

Grupos comunitários ajudam a combater crimes


A Jóvenes contra la Violencia surgiu em 2009, quando vários grupos de jovens – incluindo Paz Joven
(Jovens para a Paz), Movimiento Cívico Nacional
(Movimento Cívico Nacional) e a Jóvenes contra la Violencia – uniram-se para ajudar a combater crimes.

Esses grupos se empenharam em desenvolver uma estratégia para permitir que a população expressasse como a criminalidade estava afetando suas vidas. Eles desenvolveram atividades comunitárias como “90 minutos contra a violência” e “Discussões contra a violência” nos bairros onde os moradores se uniram para combater as altas taxas de criminalidade.

O convênio assinado em abril afirma que o Ministério de Assuntos Internos prestará assessoramento técnico e operacional à Jóvenes contra la Violencia para o funcionamento eficaz do projeto. O grupo terá acesso às delegacias e a chefes da Polícia Nacional Civil, que devem responder aos relatos recebidos por meio do “Espantacacos” na prevenção, operação e investigação dos crimes relatados.

A Jóvenes contra la Violencia, por sua vez, é responsável por garantir a implementação eficiente do aplicativo e do site. Além disso, o grupo irá conscientizar e incentivar a participação dos cidadãos para a comunicação de crimes. Como a Jóvenes contra la Violencia é proprietária do aplicativo, do servidor do aplicativo, do domínio e do site, a organização deve fornecer as informações geradas ao Ministério de Assuntos Internos.

Utilizando a tecnologia para combater a criminalidade


A tecnologia é um componente importante da estratégia anticrime do grupo. Em 2012, a organização lançou seu primeiro aplicativo para denúncia de crimes usando alguns modelos de smartphone e um site.

“Acho que o app estava à frente de seu tempo, porque as pessoas não estavam acostumadas a usar aplicativos na Guatemala”, diz Toledo. No entanto, o grupo recebeu mais de 500 denúncias e teve mais de 600 downloads do aplicativo em 2012. Em 2013 e 2014, a organização trabalhou para melhorar o aplicativo, que foi relançado em 9 de março.

A organização também usa táticas convencionais. Por exemplo, em 2012, o grupo colocou em bairros de alta criminalidade manequins vestidos como policiais, portando cartazes como "Basta de roubos!".




Autoridades de segurança da Guatemala estão utilizando cada vez mais tecnologia para facilitar à população a denúncia de crimes e contribuir na luta contra a violência. Os cidadãos agora podem informar crimes utilizando um aplicativo online chamado "Espantacacos" ("assusta-bandido"), como resultado de um convênio assinado pelo Ministério de Assuntos Internos e a ONG Jóvenes contra la Violencia
(Jovens Contra a Violência).

O serviço, disponível no endereço www.espantacacos.org
, lançado em todo o país em 9 de março, foi baixado 2.500 vezes no primeiro mês de operação e recebeu 300 denúncias, afirmou a Diálogob
Javier Toledo, membro do projeto Jóvenes contra la Violencia .
Os relatos vieram de todos os departamentos da Guatemala, incluindo os mais distantes da capital. Uma vítima de crime fez um relato do vizinho México utilizando um smartphone, acrescenta Toledo. Cerca de 80% das denúncias envolveram roubo de telefones celulares, enquanto o restante foram furtos de bens pessoais como relógios e carteiras.

Quando o convênio foi assinado em 6 de abril, o ministro de Assuntos Internos, Mauricio López Bonilla, destacou que a Guatemala precisava de pessoas como os membros da Jóvenes contra la Violencia, porque trabalham para o bem do país.

"É importante que nós, guatemaltecos, nos envolvamos nas soluções, nas novas ferramentas e mecanismos que nos permitam, como sociedade, enfrentar os problemas de violência, criminalidade e conflito do país", afirmou. "Esse é o mérito aqui. É um trabalho árduo, longo e histórico, porque é a primeira vez que algo assim acontece, especialmente onde os jovens demonstram, com otimismo, um ponto de partida que vai dar esperança à população e aumentar a participação dos cidadãos na solução para os problemas do país."

López Bonilla também convidou a população a utilizar o aplicativo para denunciar crimes.

Como apresentar um relato no ‘Espantacacos’


Utilizar o aplicativo é fácil. O sistema permite a qualquer pessoa relatar um crime apenas fazendo o login e especificando se o ato ocorreu em uma passarela, rua, semáforo, rota de ônibus ou rodoviária. O aplicativo também dá ao usuário a opção de informar o bem que foi roubado, desde um telefone celular a um veículo, e permite que as pessoas denunciem outros crimes, como extorsão, roubo de residências ou sequestros.

A pessoa que faz a denúncia pode especificar se o suposto crime foi cometido por um homem, uma mulher ou um grupo; se o suspeito utilizou uma arma e, nesse caso, o tipo; e se o suposto autor agrediu fisicamente ou fez ameaças à vítima. Além disso, o usuário do aplicativo pode fornecer um resumo do suposto crime, indicar a data e hora do incidente, fornecer comentários sobre como o evento ocorreu e anexar arquivos ao relatório, como fotos ou vídeos.

Grupos comunitários ajudam a combater crimes


A Jóvenes contra la Violencia surgiu em 2009, quando vários grupos de jovens – incluindo Paz Joven
(Jovens para a Paz), Movimiento Cívico Nacional
(Movimento Cívico Nacional) e a Jóvenes contra la Violencia – uniram-se para ajudar a combater crimes.

Esses grupos se empenharam em desenvolver uma estratégia para permitir que a população expressasse como a criminalidade estava afetando suas vidas. Eles desenvolveram atividades comunitárias como “90 minutos contra a violência” e “Discussões contra a violência” nos bairros onde os moradores se uniram para combater as altas taxas de criminalidade.

O convênio assinado em abril afirma que o Ministério de Assuntos Internos prestará assessoramento técnico e operacional à Jóvenes contra la Violencia para o funcionamento eficaz do projeto. O grupo terá acesso às delegacias e a chefes da Polícia Nacional Civil, que devem responder aos relatos recebidos por meio do “Espantacacos” na prevenção, operação e investigação dos crimes relatados.

A Jóvenes contra la Violencia, por sua vez, é responsável por garantir a implementação eficiente do aplicativo e do site. Além disso, o grupo irá conscientizar e incentivar a participação dos cidadãos para a comunicação de crimes. Como a Jóvenes contra la Violencia é proprietária do aplicativo, do servidor do aplicativo, do domínio e do site, a organização deve fornecer as informações geradas ao Ministério de Assuntos Internos.

Utilizando a tecnologia para combater a criminalidade


A tecnologia é um componente importante da estratégia anticrime do grupo. Em 2012, a organização lançou seu primeiro aplicativo para denúncia de crimes usando alguns modelos de smartphone e um site.

“Acho que o app estava à frente de seu tempo, porque as pessoas não estavam acostumadas a usar aplicativos na Guatemala”, diz Toledo. No entanto, o grupo recebeu mais de 500 denúncias e teve mais de 600 downloads do aplicativo em 2012. Em 2013 e 2014, a organização trabalhou para melhorar o aplicativo, que foi relançado em 9 de março.

A organização também usa táticas convencionais. Por exemplo, em 2012, o grupo colocou em bairros de alta criminalidade manequins vestidos como policiais, portando cartazes como "Basta de roubos!".
É assim que se faz fraternidade e solidariedade por pessoas que dão tudo de si, pelo bem-estar de quem necessita e não tem esperança, Que Deus sempre lhes dê esse espírito empreendedor,,, Bençãos. É bom ajudarmos uns aos outros, hoje por você, amanhã por mim.
Share