Venda de armas cresce 378% de 2007 a 2012 no Brasil

Por Dialogo
maio 31, 2013


Embora tenha sido aprovada em 2003 uma lei mais rigorosa, que aumentou de 21 para 25 anos a idade mínima para se obter um porte de arma de fogo, com a obrigatoriedade de exame psicológico, além de testes práticos, o número de registros de armas concedido a cidadãos brasileiros vem apresentando um crescimento, o que preocupa algumas autoridades, especialmente as da área de segurança pública, já que o país ocupa a primeira colocação mundial em mortes por armas de fogo.



Um levantamento inédito realizado pela Polícia Federal, responsável pela emissão de portes de armas e licenças, por solicitação do Jornal O Globo, um dos principais do país, aponta que de 2007 a 2012 o crescimento foi de 378%, considerando-se apenas armas novas e legalizadas. Em anos anteriores, as licenças para portes atingiam em média sete mil anuais e, em 2012, subiu para 31.500 o número de novos registros expedidos.



O motivo deste crescimento ainda é desconhecido pelos especialistas. Existem diversas teses que vão desde a ineficiência do aparelho de segurança estatal quanto à segurança da população até a questão do curto espaço de tempo na mídia para a veiculação das várias campanhas publicitárias ligadas ao desarmamento, realizadas pelo Ministério da Justiça.



Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, os prejuízos determinados pelo alto índice de homicídios custam aos cofres públicos a quantia aproximada de 17,7 bilhões de reais (US$ 8,69 bilhões) por ano.



O Exército destruiu ao longo de 2012 cerca de 230 mil armas de vários tipos e calibres, apreendidas durante operações policiais, além das que foram entregues pela população em campanhas de anos anteriores. Calcula-se que existam oito milhões de armas legalizadas por cidadãos brasileiros e quase a mesma proporção para armas ilegais, contrabandeadas de outros países ou roubadas em assaltos e de órgãos de segurança privada.



*André Luís Woloszyn, Analista de Inteligência Estratégica






Share