• Home »
  • Uncategory »
  • Armies of Brazil, Colombia, and Peru Conduct Expansive Joint Operation in the Amazon

Pessoal do Exército da Guatemala ajuda a conter incêndios no país

Armies of Brazil, Colombia, and Peru Conduct Expansive Joint Operation in the Amazon

Por Dialogo
maio 18, 2016





Pelo menos 30 membros de cada brigada do Exército da Guatemala receberam treinamento este ano sobre como debelar incêndios florestais, pois, cada vez mais, o Sistema Nacional de Prevenção e Controle de Incêndios Florestais (SIPECIF) convoca o Exército para ajudar a combater as chamas.

Somente na segunda semana de abril, membros da Brigada Especial de Operações Florestais – junto com bombeiros e outros voluntários – passaram seis dias apagando as chamas no Parque Nacional de Laguna del Tigre, uma área protegida que compõe parte da Reserva da Biosfera de Maya, no departamento de Petén. “O Exército treina seu pessoal alistado e os torna disponíveis", disse o porta-voz do SIPECIF Adolfo Cifuentes a Diálogo
. “Para cada brigada militar, entre 50 e 80 membros estão sempre disponíveis, mas se mais pessoal for necessário, eles estarão sempre prontos para ajudar."

As brigadas do Exército em áreas que são, historicamente, palco dos maiores números de incêndios possuem a maioria dos militares com treinamento de combate a incêndios.


Dos 292 incêndios florestais registrados na Guatemala na segunda semana de maio, 38 aconteceram em Baja Verapaz; 38 em Totonicapán; 30 em Jutiapa; 28 em Quiché; 25 em Huehuetenango; e 23 em San Marcos, com os 110 restantes nos outros 16 departamentos do país centro-americano, segundo o Departamento de Proteção Florestal do Instituto Nacional de Florestas (INAB).

Entretanto, o diretor do Departamento de Proteção Florestal Roger Agustín disse que houve um total de 425 incêndios florestais, mas nem todos precisaram de atenção do SIPECIF, que é composto do Exército, do Conselho Nacional de Áreas Protegidas (CONAP), da Coordenação Nacional para Redução de Desastres (CONRED), da Associação Nacional de Municípios (ANAM) e do INAB.

Houve, em média, 530 incêndios florestais anualmente nos últimos cinco anos, que afetaram 9.571,3 hectares. Os 292 incêndios florestais deste ano na segunda semana de maio impactaram 5.543,3 hectares, relatou o INAB.

Cerca de 60% das chamas foram provocadas intencionalmente, 19% por queimadas agrícolas, 6% por lenhadores, 4% por fogueiras e a origem de 11% ainda não foram identificadas, segundo o INAB.

Previsão alta


As altas temperaturas de março provocaram o esgotamento das reservas úmidas do solo mais cedo do que o esperado, o que favoreceu a proliferação dos incêndios florestais.

O Instituo Nacional de Sismologia, Vulcanologia, Meteorologia e Hidrologia (INSIVUMEH) relatou que 62% dos incêndios ocorreram entre 10h e 16h, horário local, “o que está no período com radiação solar máxima e uma queda da umidade relativa”. Espera-se também que as temperaturas aumentem nos próximos meses, o que, junto com uma queda do teor de umidade "crie condições que contribuam para os incêndios florestais".

Além do treinamento fornecido para os 30 membros de cada brigada, o Exército Guatemalteco “preparou esquadrões de 12 brigadas com táticas", disse a Coronel de Saúde Militar e Porta-voz do Exército Karen López. "Suas equipes estão prontas porque sabemos que a maioria dos incêndios são provocados."

Suporte diferencial


O General de Infantaria Álvaro Pérez, diretor do Sistema Integrado de Redução de Risco do Ministério da Defesa, disse que sua instituição fornece pessoal para combater as chamas e coordena com bombeiros e com o CONRED. Recentemente, o pessoal do Sistema Integrado de Redução de Risco recebeu treinamento da Agência de Cooperação Brasileira na primeira semana de maio.

O Gen Pérez declarou que sua diretoria coordena a assistência do Exército para o SIPECIF, não só com pessoal disponível, como também com veículos que mobilizam seu próprio pessoal e aqueles de outas instituições. Agustín concordou que a ajuda do Exército contra os incêndios florestais é muito importante, já que o SIPECIF não tem um orçamento amplo o suficiente para contratar o pessoal necessário, então é por isso que o papel do Exército em fornecer 378 pessoal militar ao esforço é vital.
Share