Suposto chefão do narcotráfico colombiano Daniel Barrera declara-se culpado pela segunda vez em tribunal federal dos EUA

Por Dialogo
novembro 24, 2014



O barão das drogas colombiano Daniel Barrera já confessou culpa em duas acusações federais de tráfico de drogas nos EUA e enfrenta mais uma acusação.

Barrera, conhecido como “El Loco”, pode ser condenado à prisão perpétua após se declarar culpado de conspirar para produzir cocaína sabendo que seria transportada para os Estados Unidos e outros países. Ele fez a confissão no Tribunal Federal de Nova York em 20 de novembro.

“Um chefão traficante que enriqueceu duas organizações terroristas e a si mesmo produzindo e vendendo veneno agora está prestes a perder sua riqueza, seu império e sua liberdade”, disse o promotor federal de Manhattan, Preet Bharara. El Loco colaborou em sua atividade narcotraficante com dois grupos terroristas, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e as Autodefesas Unidas da Colômbia.

Por meio de um intérprete, El Loco disse ao magistrado americano Ronald Ellis que ele e mais duas pessoas coordenaram uma enorme rede de narcotráfico de 1998 a 2011. Ele deve ser julgado em 27 de fevereiro de 2015 pelo juiz federal Alvin Hellerstein.

Em 9 de outubro, também no tribunal federal de Nova York, El Loco se declarou culpado de conspiração para lavar dezenas de milhões de dólares provenientes da cocaína. Ele deve ser julgado nos dois processos em 27 de fevereiro de 2015 pelo juiz federal Alvin Hellerstein. Depois que El Loco for sentenciado em Nova York, as autoridades federais o transportarão para Miami, onde ele também poderá ser condenado à prisão perpétua por participar de uma quadrilha de drogas.

Forças de segurança capturaram El Loco no momento em que ele estava fazendo uma chamada em uma cabine telefônica em San Cristobal, na Venezuela, em setembro de 2012. Eles também prenderam 36 supostos membros da sua organização e apreenderam 5 t de cocaína nas semanas anteriores à captura de El Loco. Já sob custódia, El Loco foi enviado para a Colômbia em novembro de 2012, onde ficou preso até sua extradição para os Estados Unidos em julho de 2013.

“O último dos grandes 'capos' caiu”, disse o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, após a captura de El Loco.

El Loco é acusado de supervisionar as rotas de tráfico que despachavam narcóticos da Colômbia para a América Central, o México e outros países sul-americanos. Ele adquiria pasta de cocaína das FARC, processava cerca de 400 t da substância por ano e foi um dos principais fornecedores de cocaína para a organização narcotraficante Don Lucho. Finalmente, os traficantes de drogas transportavam as drogas para os Estados Unidos.

Agentes federais norte-americanos suspeitam que El Loco tenha feito uma cirurgia plástica para mudar sua aparência e evitar a captura. Ele também teria mergulhado os dedos em ácido para evitar ser identificado por suas impressões digitais.

Polícia colombiana prende pai que teria forçado a filha a ser 'mula'


A polícia colombiana capturou em 21 de novembro um pai que supostamente obrigou sua filha de 11 anos de idade a engolir 104 cápsulas cheias de cocaína para que ela pudesse ser usada como uma 'mula' de drogas, afirmaram promotores.

Diego Fernando Mancilla Aguilar foi detido em uma residência a cerca de 30 quilômetros de Cali, sua cidade natal, no departamento de Valle del Cauca. Autoridades policiais o acusaram de tentativa de homicídio, de usar uma menor de idade para cometer um crime e de tráfico de drogas.

A filha de Aguilar Mancilla passou por uma cirurgia na semana passada depois que médicos encontraram entre 500 e 600 gramas de cocaína em seu corpo. Pelo menos uma das cápsulas explodiu em seu estômago.

Acredita-se que a menina, cujo nome não foi divulgado, seja a mais jovem 'mula' de drogas da história do país. Ela estava na UTI e sob proteção policial em 22 de novembro. O Instituto Colombiano de Bem-Estar Familiar tem a custódia temporária da menina, cujos pais recentemente pediram um visto para que ela pudesse viajar ao exterior.

“Um caso como este é horrível porque coloca a vida de uma menina de 11 anos em risco”, disse Jhon Arley Murillo, porta-voz da instituição. “Vamos tomar medidas para lhe oferecer proteção e retirá-la de seu ambiente familiar danoso.”

A Espanha é considerada um ponto de transbordo de narcóticos da América do Sul com destino à Europa.




O barão das drogas colombiano Daniel Barrera já confessou culpa em duas acusações federais de tráfico de drogas nos EUA e enfrenta mais uma acusação.

Barrera, conhecido como “El Loco”, pode ser condenado à prisão perpétua após se declarar culpado de conspirar para produzir cocaína sabendo que seria transportada para os Estados Unidos e outros países. Ele fez a confissão no Tribunal Federal de Nova York em 20 de novembro.

“Um chefão traficante que enriqueceu duas organizações terroristas e a si mesmo produzindo e vendendo veneno agora está prestes a perder sua riqueza, seu império e sua liberdade”, disse o promotor federal de Manhattan, Preet Bharara. El Loco colaborou em sua atividade narcotraficante com dois grupos terroristas, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e as Autodefesas Unidas da Colômbia.

Por meio de um intérprete, El Loco disse ao magistrado americano Ronald Ellis que ele e mais duas pessoas coordenaram uma enorme rede de narcotráfico de 1998 a 2011. Ele deve ser julgado em 27 de fevereiro de 2015 pelo juiz federal Alvin Hellerstein.

Em 9 de outubro, também no tribunal federal de Nova York, El Loco se declarou culpado de conspiração para lavar dezenas de milhões de dólares provenientes da cocaína. Ele deve ser julgado nos dois processos em 27 de fevereiro de 2015 pelo juiz federal Alvin Hellerstein. Depois que El Loco for sentenciado em Nova York, as autoridades federais o transportarão para Miami, onde ele também poderá ser condenado à prisão perpétua por participar de uma quadrilha de drogas.

Forças de segurança capturaram El Loco no momento em que ele estava fazendo uma chamada em uma cabine telefônica em San Cristobal, na Venezuela, em setembro de 2012. Eles também prenderam 36 supostos membros da sua organização e apreenderam 5 t de cocaína nas semanas anteriores à captura de El Loco. Já sob custódia, El Loco foi enviado para a Colômbia em novembro de 2012, onde ficou preso até sua extradição para os Estados Unidos em julho de 2013.

“O último dos grandes 'capos' caiu”, disse o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, após a captura de El Loco.

El Loco é acusado de supervisionar as rotas de tráfico que despachavam narcóticos da Colômbia para a América Central, o México e outros países sul-americanos. Ele adquiria pasta de cocaína das FARC, processava cerca de 400 t da substância por ano e foi um dos principais fornecedores de cocaína para a organização narcotraficante Don Lucho. Finalmente, os traficantes de drogas transportavam as drogas para os Estados Unidos.

Agentes federais norte-americanos suspeitam que El Loco tenha feito uma cirurgia plástica para mudar sua aparência e evitar a captura. Ele também teria mergulhado os dedos em ácido para evitar ser identificado por suas impressões digitais.

Polícia colombiana prende pai que teria forçado a filha a ser 'mula'


A polícia colombiana capturou em 21 de novembro um pai que supostamente obrigou sua filha de 11 anos de idade a engolir 104 cápsulas cheias de cocaína para que ela pudesse ser usada como uma 'mula' de drogas, afirmaram promotores.

Diego Fernando Mancilla Aguilar foi detido em uma residência a cerca de 30 quilômetros de Cali, sua cidade natal, no departamento de Valle del Cauca. Autoridades policiais o acusaram de tentativa de homicídio, de usar uma menor de idade para cometer um crime e de tráfico de drogas.

A filha de Aguilar Mancilla passou por uma cirurgia na semana passada depois que médicos encontraram entre 500 e 600 gramas de cocaína em seu corpo. Pelo menos uma das cápsulas explodiu em seu estômago.

Acredita-se que a menina, cujo nome não foi divulgado, seja a mais jovem 'mula' de drogas da história do país. Ela estava na UTI e sob proteção policial em 22 de novembro. O Instituto Colombiano de Bem-Estar Familiar tem a custódia temporária da menina, cujos pais recentemente pediram um visto para que ela pudesse viajar ao exterior.

“Um caso como este é horrível porque coloca a vida de uma menina de 11 anos em risco”, disse Jhon Arley Murillo, porta-voz da instituição. “Vamos tomar medidas para lhe oferecer proteção e retirá-la de seu ambiente familiar danoso.”

A Espanha é considerada um ponto de transbordo de narcóticos da América do Sul com destino à Europa.


Share