Afegãos criam frente unida

Afghans Create United Front

Por Dialogo
junho 10, 2011


Os afegãos estão cada vez mais assumindo a responsabilidade pelo próprio futuro, afastando e impedindo o Talibã e outros insurgentes – unilateralmente e também junto com seus parceiros.

No distrito de Kajran, na província de Uruzgan, no dia 2 de junho cerca de 40 habitantes locais pegaram nas armas e se reuniram perto de dois postos de controle, formaram um escudo de proteção em torno de suas cidades e ajudaram a Polícia Local Afegã a protegê-las após ameaças de combatentes talibãs locais.

“Um idoso habitante da região disse que os talibãs ameaçam as cidades rotineiramente, e estão tentando intimidar os cidadãos, mas a população local tem resistido bravamente às atividades do Talibã”, disse o general-de-brigada do Exército alemão Josef Blotz, porta-voz da Força Internacional de Assistência à Segurança.

No dia 30 de maio, o 9º Comando Kandak respondeu a um bombardeio suicida realizado por insurgentes contra o Ministério dos Transportes e a sede da Equipe Italiana de Reconstrução da Província (PRT), na cidade de Herat.

Imediatamente depois que o bombardeiro suicida, feito com um colete de explosivo de fabricação caseira, foi detonado no portão do PRT, Blotz disse: “O Comando pôs rapidamente em ação uma força de reação, dirigiu-se à cidade e fez a segurança do prédio do PRT Italiano, do gabinete do governador de Herat e de Bagh-e-Azadi, matando os insurgentes remanescentes que haviam entrado no complexo”.

E por fim, mas não menos importante, no distrito de Sarobi na província de Paktika, ao longo da fronteira paquistanesa, onde a rede Haqqani é muito ativa, um policial local afegão deteve sozinho 15 insurgentes por tempo suficiente para que a coalizão e as forças afegãs pudessem derrotá-los.

Blotz disse: “Este é um exemplo de como a Polícia afegã tem sido cada dia mais considerada uma força de segurança viável pelos habitantes locais”.

Essas operações realizadas apenas pelos afegãos, bem como as operações em parceria entre as ANSF (Forças Nacionais Afegãs de Segurança) e a ISAF (Força Internacional de Assistência à Segurança), são elementos chave dos esforços afegãos e da coalizão para impedir que os inimigos do Afeganistão ataquem a população e o Governo desse país.

“Concordamos com o presidente Karzai em que as operações devem passar a ser a cada dia mais conduzidas pelo Afeganistão, e que as forças de coalizão desempenhem uma função de apoio enquanto as forças afegãs de segurança assumem o comando e a responsabilidade pelas operações em todo o país”, diz Blotz. “E estamos trabalhando para que isto se torne realidade – enquanto nós, evidentemente, trabalhamos com mais afinco ainda junto com nossos parceiros da Força Afegã de Segurança para garantir a proteção e a salvaguarda da população e de suas propriedades”.

Nos últimos 30 dias, as forças especiais afegãs e da coalizão realizaram centenas de operações conjuntas para garantir a segurança do povo afegão, para impedir a infiltração dos insurgentes em santuários fora do país, e para solidificar e expandir o terreno conquistado no ano passado. Muitas operações, incluindo todas aquelas realizadas na região da grande Cabul, que abriga um quinto da população afegã, foram conduzidas pelo Afeganistão.

Em todo o país, as pessoas não apenas trabalham em conjunto com as forças da coalizão para combater o inimigo e salvaguardar os cidadãos afegãos, mas também fazem a defesa unilateralmente – como as Forças Nacionais Afegãs de Segurança, como a Polícia Local Afegã, como população e como indivíduos.



Share