2009-11-13

13 de novembro — Resumo das notícias da América Central e do Caribe

CIDADE DO MÉXICO, México — Educação do país tira nota baixa: A qualidade da educação no México recebeu a média de 6,5 segundo dados do Instituto Mexicano da Competitividade (IMCO). O diretor general do instituto, Roberto Newell, explicou que o problema não pode ser resolvido apenas com mais dinheiro, mas elevando o baixo nível dos professores e transformando o enfoque pedagógico do sistema de educação do país, o qual ele qualificou de "obsoleto". Os governos dos estados mexicanos gastam muito sem obterem resultados correspondentes ao investimento.

[SDP Noticias, El Universal]

SAN JOSÉ, Costa Rica — FMI destaca recuperação da atividade econômica: A atividade econômica costarriquenha vem mostrando claros sinais de recuperação, conforme afirma o chefe da missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) no país, Andreas Bauer. A avaliação de caráter preventivo foi feita como parte do acordo stand-by aprovado em abril entre o órgão e o país no valor de US$ 735 milhões para fortalecer a estabilidade macroeconômica. Além disso, o FMI projetou que o PIB nacional crescerá 2% em 2010 após a contração de 1,5 % prevista para 2009.

[ANSA, AFP]

CIDADE DA GUATEMALA, Guatemala — Polícia apreende grande carregamento de drogas: Cerca de 475 mil tabletes de pseudoefedrina foram apreendidos pela Polícia Nacional Civil (PNC) da Guatemala em um armazém junto ao Aeroporto Internacional La Aurora. As drogas apreendidas, que são usadas para a fabricação de narcóticos sintéticos como a metanfetamina, valem US$ 14 milhões no mercado ilegal. A apreensão ocorreu uma semana depois de as autoridades descobrirem outros 500 mil tabletes da mesma droga no aeroporto. Em outra operação no departamento de Petén, no norte do país, foram apreendidos 327 kg de maconha.

[La Prensa, EFE]

MANÁGUA, Nicarágua — UE quer aperfeiçoar qualidade do processo eleitoral: Em resposta a dois pedidos do ex-presidente nicaraguense Arnoldo Alemán, a União Europeia (UE) disse estar disposta a trabalhar com o Conselho Supremo Eleitoral (CSE) para melhorar a qualidade do processo eleitoral do país. Alemán, atual presidente honorário da principal força de oposição, o Partido Liberal Constitucionalista (PLC), solicitou assistência para os processos de atualização do sistema eleitoral, cadastramento e identificação de eleitores e observação independente. As próximas eleições acontecerão em novembro de 2011, quando mais de 2,8 milhões de eleitores escolherão o presidente e os deputados federais do país.

[El Nuevo Diário, La Voz de Houston]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.