2009-10-07

7 de outubro — Resumo das notícias da América do Sul

ASSUNÇÃO, Paraguai — País usa recursos estatais para pagar dívida à Venezuela: O presidente da estatal paraguaia Petropar, Juan González Meyer, esclareceu que recursos próprios do Estado foram usados para pagar uma dívida com a Venezuela referente à importação de petróleo. Ele respondeu a adversários políticos que o criticaram por supostamente querer que a dívida de US$ 269 milhões fosse paga com bônus do tesouro. González Meyer disse que havia a intenção de pagar com bônus, mas ela nunca chegou a ser concretizada. "Já não faz sentido perguntar se o Congresso foi ou não consultado", acrescentou.

[DPA, ABC Color]

BOGOTÁ, Colômbia — Uribe reitera que país quer manter boas relações com vizinhos: "Uma coisa é a nossa determinação para derrotar o terrorismo e outra muito diferente é o nosso afeto pelos povos irmãos", afirmou o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe. Ele enfatizou que o seu governo está enfrentando a guerrilha das FARC, mas ressaltou que também deseja manter as melhores relações possíveis com os países vizinhos. Na atualidade, os governos da Colômbia e do Equador trabalham para restaurar as suas relações diplomáticas, desgastadas desde o ataque colombiano contra um acampamento da guerrilha em solo equatoriano em março de 2008.

[DPA, El Espectador]

LIMA, Peru — Empresas de vários países mostram interesse no contrato ferroviário de Lima: O ministro peruano do Transporte, Enrique Cornejo, informou que empresas de China, Brasil e Espanha estão interessadas em realizar as obras de conclusão das instalações do trem elétrico de Lima, que foram interrompidas no final da década de 1980. O sistema começou a ser construído no primeiro mandato do atual presidente do Peru, Alan García, que na gestão atual ainda não conseguiu que o Ministério do Transporte iniciasse o processo de licitação. Segundo Cornejo, a definição da empresa responsável pode ocorrer antes do fim do mês.

[La República, EFE]

LA PAZ, Bolívia — Economia dá sinais de deflação: O Instituto Nacional de Estatística (INE) da Bolívia informou que o país registrou uma inflação trimestral de 0,11%, entre julho e setembro e que o acumulado nos nove meses deste ano é de 0,09%. Segundo o ministro de Planejamento do Desenvolvimento, Noel Aguirre, a meta anual de inflação, inicialmente projetada em 8%, foi revisada duas vezes neste ano, primeiro para 6,6% em abril e depois para 3% em julho.

[El Deber, DPA]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.