2009-10-04

5 de outubro — Resumo das notícias da América do Sul

BRASÍLIA, Brasil — Força Aérea tomará decisão sobre compra de caças: A Força Aérea brasileira divulgará no fim do mês o relatório que orientará o governo na escolha do modelo de caças a serem adquiridos para a renovação da frota de combate do país. Terminou no dia 2 de outubro o prazo para que as três empresas que disputam a licitação apresentassem as suas propostas de venda de 36 caças, incluindo a transferência de tecnologia ao Brasil. Competem os aviões Rafale da empresa francesa Dassault, os Gripen NG da sueca Saab e os Super Hornet F/A-18 da americana Boeing.

[EFE, www.invertia.com]

CARACAS, Venezuela — Estudantes exigem visita da CIDH ao país: Com uma enorme passeata em Caracas no dia 3 de outubro, federações de estudantes universitários de oposição exigiram que o governo venezuelano permitisse a visita de uma delegação da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) ao país para analisar a situação de um grupo de dirigentes políticos atualmente presos. "OEA, venha e veja", gritou em coro a multidão, cujos representantes entregaram um manifesto ao Ministério das Relações Exteriores para que este avaliasse o pedido. Partidos de oposição, grupos civis e familiares dos dirigentes presos também participaram da marcha.

[DPA, El Universal]

QUITO, Equador — Remessas se recuperam no segundo trimestre: De acordo com os dados do Banco Central do Equador, as remessas de dinheiro feitas pelos equatorianos que vivem no exterior totalizaram US$ 609,6 milhões no segundo trimestre de 2009. O número evidencia uma recuperação, já que, no primeiro trimestre do ano, haviam entrado no país US$ 544,5 milhões em remessas. As remessas e as receitas provenientes da venda de petróleo sustentam a economia dolarizada do país, em vigor desde 2000, quando a moeda americana substituiu o sucre.

[Hoy, EFE]

BOGOTÁ, Colômbia — Filho de chefe das FARC morre em bombardeio: Um dos dez guerrilheiros das FARC que morreram durante o bombardeio aéreo de um acampamento no sul do país foi identificado pelas Forças Militares da Colômbia como "Sebastián", filho de Arquímedes Muñoz Villamil, conhecido como "Jerónimo", um dos integrantes da cúpula da guerrilha. O bombardeio foi uma operação conjunta entre a Força Aérea Colombiana (FAC) e o Exército do país, ambos orientados por informações obtidas pela polícia. A operação resultou na captura de "Omar", subchefe da frente 66 das FARC, que sobreviveu ao bombardeio.

[El Tiempo, EFE]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.