2009-09-30

30 de setembro — Resumo das notícias da América Central e do Caribe

Winston F. Burges

CIDADE DO MÉXICO, México — Reservas internacionais apresentam queda: O Banco Central do México confirmou que as reservas internacionais do país caíram de US$ 76,54 bilhões para US$ 76,14 bilhões na última semana de setembro. O decréscimo foi de 0,53%, chegando a uma quantia de US$ 404 milhões, grande parte dela injetada no mercado cambial para controlar a taxa de câmbio. O país foi fortemente afetado pela crise econômica mundial, que gerou o mais alto nível de desemprego dos últimos 14 anos, deixando 2,5 milhões de mexicanos sem trabalho.

[Excélsior, Reuters, El Universal]

CIDADE DA GUATEMALA, Guatemala — Governo destaca a criação de empregos: Quase 94.000 postos de trabalho foram criados pelo Programa Nacional de Emergência e Recuperação Econômica (Pnere) em 2009. A informação é do diretor do programa, Marco Cerezo. Os cargos, criados direta ou indiretamente, se concentram nas pequenas e médias empresas do setor de construção de obras públicas e também na contratação de pessoal para os ministérios de Educação, Saúde e Governança. Para gerar os empregos, o governo investiu recursos no valor de US$ 481 milhões.

[La Hora, El Periódico]

SAN SALVADOR, El Salvador — Dívida pública representa a metade do PIB: Segundo projeções do governo e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para 2009, 2010 e 2011, a dívida do Estado salvadorenho com órgãos financeiros e entidades bancárias chegará a 50% do Produto Interno Bruto (PIB) do país no final deste ano. As autoridades salvadorenhas estimam que somente em 2014 a dívida voltará ao nível de 44% do PIB, atingido em 2008. Paralelamente, o FMI concedeu ao país um crédito de US$ 800 milhões para o caso de emergências.

[El Salvador.com, La Prensa Gráfica]

CIDADE DO PANAMÁ, Panamá — Presidente mantém alta popularidade: A administração do presidente Ricardo Martinelli conta com a aprovação de 77% dos panamenhos. Segundo uma pesquisa do instituto mexicano Consultora Mitofsky, o chefe de Estado ocupa o quarto lugar entre os presidentes mais populares da região. O salvadorenho Mauricio Funes lidera com 84% de apoio. O brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva tem uma aprovação de 81% e a chilena Michelle Bachelet, 78%. Martinelli assumiu o cargo no último dia 1º de julho.

[PA-Digital, La Prensa]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.