2009-09-11

11 de setembro — Resumo das notícias da América do Sul

Eduardo Herrera

QUITO, Equador — País recebe 3.000 refugiados colombianos: Por intermédio de um programa de regularização desenvolvido na fronteira entre os dois países, o governo do Equador concedeu quase 3.000 vistos a refugiados colombianos radicados na província amazônica de Sucumbíos. Entre os dias 20 de julho e 4 de setembro, o programa Registro Ampliado beneficiou 2.962 pessoas. O projeto tem o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) e é reconhecido como o primeiro do seu tipo a ser executado na América Latina.

[EFE, El Comercio]

BOGOTÁ, Colômbia — Venezuela restringe funcionamento de companhias aéreas colombianas: Em meio à crise que afeta as relações entre ambos os países, o governo da Venezuela impôs restrições as operações de transporte de carga e de passageiros de várias companhias aéreas colombianas. Segundo a Aeronáutica Civil da Colômbia, várias das frequências que haviam sido destinadas à companhia aérea Avianca foram suspensas, a Aerorepública já não pode operar as duas frequências que tinha na rota Bogotá-Caracas e a Aires espera desde fevereiro a renovação da sua permissão de funcionamento. Como consequência, a empresa venezuelana Vensecar está atendendo à totalidade do serviço de carga.

[Portafolio.com.co, Reuters, EFE]

SÃO PAULO, Brasil — Ministro dinamarquês pede acordo sobre mudança climática: Em visita à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, o ministro do Meio Ambiente da Dinamarca, Troels Lund Poulsen, pediu um esforço maior para que a 15ª Convenção sobre Mudança Climática, que se realizará de 7 a 18 de dezembro em Copenhague, produza um novo acordo que seja o sucessor do Protocolo de Quioto. Na reunião, os 184 países signatários de Quioto buscarão um novo pacto que limite as emissões dos gases que causam o aquecimento do planeta.

[EFE, Invertia.terra.com.br]

SANTIAGO, Chile — BancoEstado destina US$ 1 bilhão a pequenas e médias empresas: O BancoEstado de Chile anunciou que destinará US$ 1 bilhão para financiar projetos e investimentos de pequenas e médias empresas chilenas. O presidente do banco estatal, José Luis Mardones, destacou que o Fundo de Garantia para Pequenos Empresários (Fogape) já apresentou garantias de quase US$ 1,1 bilhão no primeiro semestre de 2009. Mesmo assim, a atividade econômica do país teve uma queda anual de 2,7% em julho e a expectativa é de que o PIB de 2009 seja 1,5% inferior ao de 2008.

[La Segunda, EFE]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.