Arrow left
Arrow right

2009-08-18

18 de agosto — Resumo das notícias da América Central e do Caribe

Winston F. Burges

CIDADE DO MÉXICO, México — Governo reforça segurança em postos de alfândega: Cerca de 1.400 agentes foram despedidos dos 48 postos de alfândega do governo mexicano, grande parte deles localizados ao longo dos 3.000 km de fronteira com os EUA. Os postos serão assumidos por profissionais que receberam treinamento da Secretaria de Defesa Nacional no manuseio de armas e na administração de situações difíceis. O Serviço de Administração Tributária busca assim cumprir com a determinação do presidente Felipe Calderón de acabar com focos de corrupção e fortalecer a luta contra o tráfico de drogas.

[El Universal, Excélsior]

SAN SALVADOR, El Salvador — Crise atinge turismo e exportações de café: Conforme o Conselho Salvadorenho do Café, a crise internacional atingiu duramente os cafeicultores em El Salvador. No período de 12 meses encerrado em julho de 2009, as receitas dos produtores caíram 20,3%, enquanto as exportações tiveram uma queda de 19,6%. O emprego no setor do turismo, outra área vital para a economia salvadorenha, registrou uma queda de 3% em relação ao ano passado, o que representa a perda de 1.300 mil postos de trabalho entre 2008 e 2009.

[La Prensa Gráfica, Elsalvador.com]

CIDADE DO PANAMÁ, Panamá — Parlacen tenta evitar saída do Panamá: O Parlamento Centro-Americano (Parlacen) poderá ficar com somente quatro membros se a sua presidente, a hondurenha Gloria Guadalupe Oquelí, não convencer o presidente do Panamá, Ricardo Martinelli, a desistir de retirar o seu país da organização. Martinelli considera o Parlacen inútil e uma cova de imunidades e sua decisão é apoiada pelo cidadãos panamenhos. O vice-presidente e ministro das Relações Exteriores do Panamá, Juan Carlos Varela, anunciou que todas as providências jurídicas já foram tomadas para efetivar o desligamento.

[Nación, Elsalvador.com, EFE]

SAN JOSÉ, Costa Rica — América Central estuda reinício de negociações com União Europeia: Costa Rica, Nicarágua, Guatemala e El Salvador querem retomar em setembro as negociações do acordo de associação com a União Europeia, suspensas em função da crise política em Honduras. Os ministros de Comércio Exterior dos quatro países se reunirão em duas rodadas nesta semana na Costa Rica para discutirem como superar os dois obstáculos para concretização do acordo: a exportação de banana e a crise hondurenha. A vice-presidente do governo espanhol, María Teresa Fernández de la Vega, encabeça a negociação pelo lado europeu.

[AFP, El Nuevo Diario, Nación]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.