2013-10-08

México: Professores encerram greve

CIDADE DO MÉXICO – Um sindicato mexicano que representa milhares de professores em greve anunciou, em 7 de outubro, que os professores retornarão às escolas, após protestos que deixaram 1,3 milhão de crianças sem aulas por quase dois meses.

Em greve desde o início do ano escolar, em 19 de agosto, o sindicato CNTE afirmou em um comunicado que os professores de Oaxaca, no sul do país, retornarão ao trabalho em cerca de 13.500 escolas em 14 de outubro.

Professores de Oaxaca e de outros estados participaram de vários protestos na Cidade do México nos últimos dois meses, em uma tentativa fracassada de inviabilizar a reforma educacional defendida pelo presidente Enrique Peña Nieto.

Os manifestantes provocaram grandes congestionamentos na cidade, bloquearam o acesso ao aeroporto internacional e conseguiram impedir que os parlamentares comparecessem a uma sessão do Congresso.

Professores acamparam na histórica praça Zócalo durante semanas, até que uma intervenção da polícia os retirou no mês passado.

Eles mudaram seu acampamento para o Monumento à Revolução, e a CNTE disse que “um grande número” de professores de Oaxaca permaneceria lá, enquanto outros voltariam ao trabalho.

O Congresso aprovou, no mês passado, uma lei educacional que retira o poder dos sindicatos sobre a educação e obriga os professores a passar por avaliações de desempenho periódicas para conseguirem empregos e promoções.

Para a CNTE, a reforma viola os direitos trabalhistas e os testes padronizados não levam em conta as diferentes condições de trabalho em estados mais pobres, onde muitos ensinam em salas de aula improvisadas a falantes não nativos de língua espanhola.

[AFP (México), 07/10/2013; El Universal (México), 07/10/2013; Excelsior (México), 07/10/2013]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.