2013-08-20 | Educação

México: Professores fazem greve devido a avaliação de desempenho

CIDADE DO MÉXICO – Cerca de 2 milhões de estudantes perderam o primeira dia de aula em 19 de agosto, por causa de uma greve de professores que protestam contra a reforma que institui avaliações de desempenho, informaram autoridades governamentais.

Com a mudança, professores que tivessem rendimento medíocre poderiam perder aumentos e promoções, ou até mesmo ser demitidos.

A greve abrangeu principalmente o sul do México, nos estados de Oaxaca, Michoacán, Guerrero e Chiapas.

Cerca de 70.000 professores paralisaram as atividades para protestar contra a reforma aprovada em dezembro pelos três principais partidos do México e encaminhada para análise do Congresso pelo presidente Enrique Peña Nieto, disse o governador do estado, Gabino Cué.

A ação fez com que cerca de 1,3 milhão de estudantes perdessem as aulas, acrescentou o governador.

Cerca de 26 milhões de estudantes e 1,2 milhão de professores deveriam ter retornado às aulas na segunda-feira, com o fim das férias de verão.

No estado de Guerrero, onde a reforma também é muito impopular, os professores apresentaram-se para o trabalho, mas advertiram que também poderiam entrar em greve.

Cerca de 100 professores invadiram o Congresso na noite de 19 de agosto, enquanto os parlamentares debatiam outra lei de reforma educacional.

Do lado externo, manifestantes atiraram pedras e tombaram um veículo. Mas a polícia os dispersou, informou a Televisa .

[AFP (México), 20/08/2013; Proceso (México), 19/08/2013]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.