2011-09-15

Professores de Acapulco protestam contra extorsões

CIDADE DO MÉXICO — Mais de 2.000 professores protestaram em 14 de setembro na cidade portuária de Acapulco, exigindo mais proteção contra tentativas de extorsão de seus salários e mais segurança nas escolas.

Os organizadores estimam que as atividades de 127 escolas foram interrompidas desde o começo da greve há três semanas.

“Queremos dialogar com o governador”, declarou o porta-voz Román López, referindo-se a Ángel Aguirre Rivero, governador do estado de Guerrero, no sul do país.

Os protestos começaram depois que os professores receberam inúmeras cartas com ameaças exigindo o pagamento de metade de seus salários.

Apesar de pedidos ao governo estadual para que as aulas continuassem, os professores exigem mais proteção e disseram que a proposta do governo de instalar nas escolas botões de pânico ligados às centrais de polícia não era suficiente.

Autoridades culpam as gangues criminosas alinhadas aos narcotraficantes pelo envio das cartas.

[AFP, 15/09/2011; impreso.milenio.com (México), 15/09/2011]

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.