Arrow left
Arrow right

2010-12-10

Beisebol: Carlos Peña, o homem de US$ 10 milhões

Carlos Peña, que assinou um contrato de um ano no valor de US$ 10 milhões (R$ 17,2 milhões) com o Chicago Cubs essa semana, já ganhou mais de US$ 27 milhões (R$ 46,4 milhões) nas últimas sete temporadas. (Mike Cassese/Reuters)

Carlos Peña, que assinou um contrato de um ano no valor de US$ 10 milhões (R$ 17,2 milhões) com o Chicago Cubs essa semana, já ganhou mais de US$ 27 milhões (R$ 46,4 milhões) nas últimas sete temporadas. (Mike Cassese/Reuters)

Por Dave Carey para Infosurhoy.com – 10/12/2010

WASHINGTON, D.C., EUA – Carlos Peña teve apenas 19,6% de aproveitamento de rebatidas e foi eliminado 158 vezes em 484 entradas no bastão pelo Tampa Bay Rays, time da Liga Principal de Beisebol.

Sua recompensa? Dez milhões de dólares (R$ 17,2 milhões).

O Chicago Cubs fechou um valioso contrato com o dominicano de Santo Domingo, de 32 anos, porque o primeira-base tem uma rebatida bastante potente.

Peña teve a média de rebatidas mais baixa entre todos os jogadores da Liga Principal de Beisebol no ano passado, mas demonstrou força com 28 home runs e 84 corridas impulsionadas, levando o Rays ao título da Divisão Leste da Liga Americana.

“Eu acho meio engraçado essa tendência que temos de gravitar sobre o negativo”, disse Peña em entrevista coletiva para anunciar a assinatura do contrato. “Acho que precisamos começar a focar no lado positivo, principalmente no meu caso – eu sou assim. O ano passado foi difícil para mim. Quando olho para essa média eu sei que não representa o que sou. Eu sei que tive que enfrentar uma situação difícil.”

Peña enfrentou muitos problemas em campo nas últimas temporadas. Depois de atingir a melhor marca da carreira, com um aproveitamento de rebatidas de 28,2%, 46 home runs e 121 corridas impulsionadas em 2007, em seu primeiro ano no Rays, sua média caiu para 24,7% em 2008 e para 22,7% em 2009, antes de despencar para 19,6% na última temporada. O Rays tinha a opção de renovar com Peña depois que seu contrato de três anos, no valor de US$ 24 milhões (R$ 41,2 milhões), que lhe rendeu US$ 10 milhões (R$ 17,2 milhões) somente esse ano, venceu no final da última temporada, mas preferiu abrir mão do potente mas inconstante rebatedor.

“Acho que todas aquelas dificuldades me fortaleceram, me transformando em um jogador melhor, uma pessoa melhor e um homem melhor", disse Peña em entrevista coletiva. “Então, em vez de ficar batendo na mesma tecla, eu encaro o fato de que foi um ano difícil e que estou mais calejado.”

O Cubs terminou em quinto entre seis equipes na Divisão Central da Liga Nacional, com 75 vitórias e 87 derrotas, 16 jogos atrás do campeão Cincinnati.

“Ele é ideal para nós", disse o dirigente do Cubs, Jim Hendry, em entrevista coletiva. “Ele é um potente rebatedor canhoto e joga muito bem na defesa. Ele tem tudo e é também um grande cidadão, como todos nós já sabemos."

E talvez a última parte seja a mais importante. Peña deve trazer uma abordagem profissional a um clube conhecido pelo seu caos. Peña demonstrou seu desprendimento em janeiro, quando foi um dos primeiros atletas profissionais a ajudar as vítimas do terremoto no Haiti, doando alimentos e medicamentos, e fazendo aparições públicas para arrecadar dinheiro.

“Ele está disposto a se dedicar ao resto do grupo", disse aos repórteres o dirigente do Rays, Joe Maddon. “Quando se fala em liderança, eu acho que você precisa ter energia sobrando ao final do dia para se dedicar a alguém, e acho que é o que ele faz. Precisamos mais disso. Sua abordagem profissional está mesmo contagiando muitos dos outros garotos."

Confira aqui alguns dos outros jogadores latino-americanos com passe livre que podem impactar muito seus novos times na próxima temporada:

Adrián Beltré, terceira base

O dominicano de Santo Domingo completará 32 anos na próxima temporada, mas ainda espera receber um aumento de salário depois de faturar US$ 9 milhões (R$ 15,4 milhões) no ano passado com o Red Sox. Seu aproveitamento de rebatidas foi de 32,1%, com 28 home runs e 102 corridas impulsionadas. Ele deve assinar com o Los Angeles Angels, fortalecendo uma equipe que pode brigar pelo título da World Series.

Magglio Ordóñez, jardineiro/rebatedor designado

O venezuelano de Caracas de 36 anos, está achando difícil ganhar mais do que os US$ 17,8 milhões (R$ 30,6 milhões) que faturou com o Detroit Tigers na última temporada. Seu aproveitamento de rebatidas foi de 30,3%, com 12 home runs e 59 corridas impulsionadas, o que o colocou como um dos cotados às honras de Jogador do Ano da Liga Americana, antes de quebrar o tornozelo direito. Ele deve ter seu salário reduzido e renovar com o Tigers, continuando como fundamental na escalação.

Manny Ramírez, jardineiro/rebatedor designado

O veterano de 38 anos sofreu com uma série de contusões e é velho demais para entrar em campo todos os dias durante uma temporada de 162 partidas. Assim, ele deve assinar com um time da Liga Americana para que possa começar como rebatedor designado, e só rebater. Ramirez, um dominicano de Santo Domingo, teve um aproveitamento de rebatidas de 29,8% no ano passado, com 9 home runs e 42 corridas impulsionadas em apenas 90 partidas. Nessa 17ª temporada, Ramírez jogou suas 66 partidas pelo Los Angeles Dodgers, que o liberou, permitindo que ele assinasse com o Chicago White Sox, por quem atuou em 24 partidas. Ele faturou cerca de US$ 18,7 milhões (R$ 32,1 milhões) no ano passado, mas tudo indica que terá seu salário reduzido substancialmente para jogar em um time candidato ao título.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.

1 Comentário

  • gregory | 2011-10-23

    vocês são o melhor que eu evito