Arrow left
Arrow right

2010-03-24

Guatemala tenta evitar extinção de espécies

Membros da divisão de proteção à natureza da Polícia Nacional Civil da Guatemala removem iguanas que morreram após terem sido contrabandeadas. A iguana está perto de se tornar uma espécie ameaçada de extinção. (Foto de Orlando Sierra/AFP/Getty Images)

Membros da divisão de proteção à natureza da Polícia Nacional Civil da Guatemala removem iguanas que morreram após terem sido contrabandeadas. A iguana está perto de se tornar uma espécie ameaçada de extinção. (Foto de Orlando Sierra/AFP/Getty Images)

Por Heidi Pineda para Infosurhoy.com — 24/03/2010

CIDADE DA GUATEMALA, Guatemala – Dezessete araras, 27 papagaios de diferentes espécies, 12 tucanos, quatro macacos, dois veados, um guaxinim, faisões, perus e cachorros.

A ampla variedade de espécies foi a mais recente amostra de maltratos aos animais na Guatemala - país conhecido tanto por sua fauna abundante como pelo seu elevado número de espécies que estão ameaçadas de extinção.

Estima-se que 10% das espécies de vertebrados do país estejam em risco de serem classificadas como ameaçadas de extinção, além de quatro famílias de plantas completas, incluindo 734 tipos de orquídeas, de acordo com a estratégia de biodiversidade nacional e o plano de ação para a conservação e uso sustentável.

Os animais apreendidos - em sua maioria nativos das selvas do norte da Guatemala, mas também de Honduras e de outros países da América Central - foram encontrados ecentemente em um jardim zoológico clandestino em uma residência perto do centro histórico da Cidade da Guatemala, disse o porta-voz da Polícia Nacional Civil (PNC), Donald González.

A captura, posse ou a comercialização de espécies ameaçadas de extinção é ilegal segundo a Lei de Proteção e Melhoramento do Meio Ambiente da Guatemala. Como a maioria dos animais recuperados estão ameaçados, de acordo com a PNC, um suspeito identificado como Jorge Adolfo Gómez foi preso sob a acusação de maus-tratos a animais, pois estaria no comando do jardim zoológico.

“Esses animais provavelmente sofreram maus-tratos e abusos porque foram mantidos em gaiolas, o que lhes causaram graves danos, uma vez que não estão adaptados ao cativeiro”, disse González ao Latin American Herald Tribune.

Os animais serão levados para o zoológico da Cidade da Guatemala temporariamente enquanto as autoridades decidem sobre a sua habitação permanente, de acordo com o Latin American Herald Tribune.

Os 82 mil hectares desmatados todos os anos na Guatemala geram US$ 687,6 milhões em bens e serviços provenientes da biodiversidade.

O Centro de Ação Legal, Ambiental e Social da Guatemala (CALAS) relatou que as espécies mais ameaçadas de extinção no país são os crocodilos, devido à crescente procura por sua pele e carne; tartarugas marinhas, por causa da excessiva coleta dos seus ovos e cascas, e gaviões e falcões, que são ameaçados pela perda iminente de seus habitats e pela poluição.

Papagaios e araras, macacos e gatos selvagens estão em risco de extinção devido à perda de seu habitat e ao comércio ilegal como bichos de estimação. Baleias e golfinhos também estão à beira de serem ameaçados de extinção por causa da pesca excessiva e da poluição.

Além da posse e venda de animais silvestres, o Conselho Nacional de Áreas Protegidas (Conap) informou que outros fatores principais que ameaçam a biodiversidade na Guatemala são o desmatamento, incêndios florestais, o avanço das terras agrícolas, o superdesenvolvimento, a poluição e a exploração massiva de recursos, tais como a coleta excessiva de ovos das tartarugas marinhas.

“Eu acho que você tem que vigiar o meio ambiente e, se eu estou correto, é bom não fumar para não o contaminar", disse o estudante, Luis Mijangos.

O representante da organização ambientalista Asociación Balam, Byron Castellanos, dá mais um exemplo das contradições na Guatemala: um dos 14 ecossistemas mais vitais para a biosfera Maya é o Parque Nacional Laguna del Tigre, em Petén, no norte do país. A área, que é um dos locais mais cobiçados para a exploração de petróleo, também é uma reserva e é o único ambiente onde a arara vermelha, que está em extinção, se reproduz.

O vice-presidente da Guatemala, Rafael Espada, disse ao jornal Prensa Libre no início deste mês, que ele concorda que as empresas explorem petróleo, desde que a perfuração seja dentro dos limites da lei, uma vez que há uma linha tênue entre a exploração de petróleo e o abuso dos recursos naturais.

“Acredito que é bom proteger [nossos recursos], para que não lamentemos depois”, disse a dona de casa Cintia Avalos. “Porque o que perdemos hoje, amanhã não vamos conseguir recuperar.”

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.

3 de Comentários

  • víctor chavez | 2012-12-26

    boa tarde só para lhe dizer que na Avenida 30 e Rua 46, zona 12 bairro Eureka no terceiro nível fundos na 46 foram sequestrados 2 tucanos e eles estão em uma gaiola o que é proibido uma vez que estão em perigo de extinção e eu estou clamando para que a associação protetora faça alguma coisa obrigado ajam logo obrigado

  • jeimy morales | 2011-08-21

    não posso acreditar, não posso fazer o que quero, odeio não poder fazer...{{{

  • jeimy morales | 2011-08-20

    pobres animais que sofrem muito com os maus tratos, deixá-los nas ruas perdidos sem dar-lhes o que comer.