2011-04-13

Colômbia: Sucesso contínuo de Santos na luta contra o narcotráfico

Néstor Ramírez Muñoz, suposto líder da 22ª frente das FARC, foi preso pela polícia em Villavicencio, capital do departamento de Meta. (John Vizcaino/Reuters)

Néstor Ramírez Muñoz, suposto líder da 22ª frente das FARC, foi preso pela polícia em Villavicencio, capital do departamento de Meta. (John Vizcaino/Reuters)

Por Ezra Fieser e Olga Vélez para Infosurhoy.com—13/04/2011

BOGOTÁ, Colômbia – A luta do presidente Juan Manuel Santos contra o narcotráfico e o terrorismo obteve três grandes vitórias essa semana quando policiais prenderam um suposto líder de uma gangue, além de dois suspeitos de integrar as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Conheça o perfil dos suspeitos levados sob custódia:

• Hilber Nover Urdinola Perea, um suposto líder da gangue Los Machos, foi preso sob acusação de homicídio, sequestro, conspiração criminosa e narcotráfico no departamento de Cauca, no sudoeste do país, em 9 de abril, segundo as autoridades. A polícia havia oferecido uma recompensa de cerca de U$ 1 milhão (R$ 1,59 milhão) por informações que levassem à sua prisão. Hilber Perea, conhecido como o “Don H”, é sobrinho do chefão de drogas Ivan Urdinola, morto vítima de ataque cardíaco na prisão em 2002.

• Néstor Ramírez Muñoz, o suposto líder da 22ª frente das FARC, foi detido pela polícia em Villavicencio, capital do departamento de Meta, em 10 de abril. Ramírez, 47 anos, foi preso enquanto recebia tratamento médico na cidade. Ramírez, conhecido como “Géner Lara Muñoz”, supostamente se juntou às FARC aos 16 anos, informaram as autoridades. Sua suposta namorada, Paola Andrea Arévalo (Judith), também foi presa na operação.

• Pablo Emilio Rodríguez, um suposto integrante das FARC encarregado das finanças da organização, foi preso pela polícia em uma busca em Bogotá em 10 de abril.

As FARC são a maior organização terrorista no país andino e lutam contra o estado desde os anos 60. Mas o contingente das FARC tem diminuído na última década, principalmente porque o ex-presidente Álvaro Uribe e seu sucessor, Santos, fizeram do desmantelamento da organização prioridade máxima.

Honduras: Exército e polícia se juntarão no combate aos narcóticos

TEGUCIGALPA, Honduras – O Exército ajudará a polícia pela primeira vez em um esforço para aprimorar a luta do país contra o narcotráfico e o crime organizado.

“Treinamos integrantes das forças naval e aérea para combater o narcotráfico”, divulgou o ministro da Defesa Marlon Pascua ao jornal hondurenho La Tribuna.

Pascua explicou que os narcotraficantes “se aproveitaram da localização geográfica de Honduras para trazer drogas”, segundo o diário mexicano Provincia.

“Há muito a fazer na luta contra o crime organizado e o narcotráfico, mas os resultados aparecerão logo”, ressaltou Pascua, reconhecendo que o governo “não possui os recursos financeiros necessários para lidar com essas duas pragas.”

Equador: Nove toneladas de narcóticos apreendidas no primeiro trimestre de 2011

QUITO, Equador – Policiais apreenderam 9 toneladas de narcóticos no primeiro trimestre de 2011, informou o ministro do Interior Alfredo Vera.

As apreensões “mostram o grande esforço feito pela Polícia Nacional através da unidade antidrogras especializada no combate ao narcotráfico no Equador como nenhum outro país na região tem feito”, garantiu Vera em nota oficial.

O Equador apreendeu 18 toneladas no ano passado e confiscou um recorde de 68 toneladas em 2009.

Vera estimou em U$ 360 milhões (R$ 571 milhões) o valor dos narcóticos apreendidos de 2009 a 2011. A maioria dos narcóticos era destinada aos Estados Unidos via México ou América Central, segundo o site equatoriano Vistazo.com.

Argentina: Mais de 4.000 kg de maconha apreendidos

BUENOS AIRES, Argentina – Agentes antidrogas confiscaram mais de 4.000 kg de maconha em uma operação e prenderam dois suspeitos em conexão com a apreensão de 36 kg de maconha em outra busca, segundo a guarda costeira.

A primeira incursão, que resultou na apreensão de 4.135 kg, aconteceu antes da meia-noite de 8 de abril no município de Puerto Rico, segundo o jornal argentino El Liberal. Autoridades divulgaram que a maconha era avaliada em U$ 4,2 milhões (R$ 6,6 milhões).

O segundo confisco aconteceu na cidade de Montecarlo. Dois homens foram levados sob custódia depois que as autoridades encontraram aproximadamente 36 kg de maconha em seus carros durante uma blitz.

Os homens, cujas identidades não foram divulgadas pela polícia, foram levados à cidade próxima de Eldorado, na província de Misiones, onde serão acusados de narcotráfico, segundo o El Liberal.

Argentina: Polícia confisca armas e narcóticos

BUENOS AIRES, Argentina – A polícia argentina confiscou 54 armas, 1.000 doses de cocaína e 3 kg de maconha em buscas recentes no distrito de San Fernando, na capital do país, informaram as autoridades em 8 de abril.

As buscas resultaram em várias apreensões, incluindo a prisão de Guido Zappia, supostamente pego com 9 kg de cocaína. Zappia foi acusado de narcotráfico, segundo o jornal argentino El Comercial.

Colômbia: Autoridades apreendem mais de 800 kg de cocaína

CARTAGENA, Colômbia – Policiais e tropas navais prenderam um suspeito em conexão com o confisco de 803 kg de cocaína em uma fazenda na cidade de Pasacaballos, na cidade litorânea de Cartagena, informaram as autoridades em 7 de abril.

Os narcóticos seriam transportados para a América Central, e depois contrabandeados para os Estados Unidos, explicaram as autoridades.

O suspeito foi entregue aos promotores, que o acusarão de narcotráfico. O gabinete da Procuradoria abriu uma investigação para determinar a quem mais poderia ter pertencido a cocaína, que foi destruída pelas autoridades, segundo o site colombiano El Universal.com.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.