Arrow left
Arrow right

2010-12-01

Brasil: Polícia carioca apreende 40 t de maconha em favelas

Os suspeitos José Alfredo Landa Torres (segundo a partir da direita) e Eden Campuzano Sierra são apresentados pela Polícia Federal em entrevista coletiva na Cidade do México. (Stringer/Reuters)

Os suspeitos José Alfredo Landa Torres (segundo a partir da direita) e Eden Campuzano Sierra são apresentados pela Polícia Federal em entrevista coletiva na Cidade do México. (Stringer/Reuters)

Por Olga Vélez para Infosurhoy.com—01/12/2010

RIO DE JANEIRO – A polícia apreendeu 40 toneladas de maconha e quase 300 kg de cocaína durante uma operação gigantesca nas favelas do Complexo do Alemão e Vila Cruzeiro em 28 de novembro, segundo autoridades.

“Só a polícia militar apreendeu 20 toneladas. O resto foi confiscado pela polícia civil [unidade e outras forças de segurança que também participaram da operação]", detalhou o porta-voz da Secretaria de Segurança do estado, segundo a Agence France-Presse.

124 pessoas foram presas, 148 detidas e 51 morreram durante a operação, que foi efetuada para reprimir uma rebelião das gangues do tráfico de drogas, segundo nota divulgada pelas autoridades em 30 de novembro.

“A apreensão desse volume de material ilegal e de armamentos em uma única operação policial acontece pela primeira vez na história do Rio de Janeiro”, destacou Marcos Maia, coordenador das forças policiais especiais.

A polícia lançou uma caçada às centenas de supostos narcotraficantes que podem estar escondidos nas favelas.

A polícia carregou os narcóticos em diversos veículos nas ruas da Grota, uma das 15 favelas que fazem parte do Complexo do Alemão. Policiais apreenderam ainda centenas de motocicletas, 15 veículos e uma série de armamentos, incluindo armas de fogo e fuzis de uso militar.

“Faremos o que for preciso para que os homens do bem derrotem aqueles que preferem viver na criminalidade”, declarou aos repórteres o presidente Luís Inácio Lula da Silva no início da semana.

Autoridades colombianas desmantelam rede de tráfico de heroína

BOGOTÁ, Colômbia – Policiais antidrogas se uniram à Agência Antidrogas dos EUA (DEA) para apreender 40 kg de heroína e prender 12 supostos integrantes de uma organização suspeita de traficar o narcótico para os Estados Unidos, informaram as autoridades.

O confisco e a apreensão aconteceram durante várias operações em 5 departamentos em 28 de novembro, segundo a divisão antidrogas da Polícia Nacional. O narcótico possui um valor de mercado de mais de US$ 6 milhões (R$ 10,2 milhões), informou a polícia.

Os supostos líderes da quadrilha, os irmãos Romulo e Ferney Andrade Lazo, e Jorge Fabián Ramírez, foram detidos com outros três homens que os Estados Unidos pediram extradição para serem julgados em Nova York, segundo a agência de notícias EFE.

As prisões aconteceram em operações simultâneas nos departamentos de Norte de Santander, Risaralda, Cauca, Cundinamarca e Tolima.

A organização supostamente usou serviços de carga, além de carregamentos de alimentos, para contrabandear a droga para os Estados Unidos, ainda segundo a EFE.

Em outra operação, a polícia também fez a maior apreensão de heroína do ano em 28 de novembro, na cidade de Cali, onde um suspeito foi detido depois que 31 kg da droga foram descobertos em seu veículo quando ele parou em um sinal de trânsito, informaram as autoridades.

México: Chefe de Polícia Hermila García é assassinada

MEOQUI, México – Hermila García, que foi empossada como chefe de polícia da cidade de Meoqui há apenas dois meses, foi baleada fatalmente a caminho do trabalho em 29 de novembro por um suposto pistoleiro a mando de narcotraficantes, segundo as autoridades.

Hermila, de 38 anos, comandava uma força policial composta por 90 integrantes em Meoqui, a cerca de 70 km da cidade de Chihuahua, capital do estado de mesmo nome. O corpo de Hermila foi descoberto em seu carro a cerca de 10 km do centro da cidade, segundo a Procuradoria-Geral.

As autoridades suspeitam que narcotraficantes estejam envolvidos em seu assassinato, pois os últimos empregos de Hermila incluem uma passagem como investigadora para a Procuradoria-Geral federal, informaram as autoridades, segundo a CNN.

Hermila, que era solteira, não tinha filhos, disseram as autoridades.

Ela era uma das várias mulheres que haviam se tornado chefes de delegacia de polícia em cidades pelo país com o afastamento de homens desses cargos, pois policiais de alta patente são alvos frequentes de narcotraficantes, explicaram as autoridades.

Marisol Valles García, uma estudante de criminalística de 20 anos, tornou-se chefe de polícia da cidade de Praxedis G. Guerrero, também no estado de Chihuahua, em outubro. O antecessor de Marisol foi baleado fatalmente em julho do ano passado, e a cidade estava sem chefe de polícia até sua nomeação para o cargo.

Silvia Molina, autoridade administrativa máxima do departamento de polícia de Ciudad Juárez, a maior cidade do estado, foi assassinada em 2008.

Chihuahua se tornou o estado mais violento do país, com mais de 2.700 homicídios apenas esse ano, e cerca de 8.000 mortes desde 2008, segundo a CNN.

México: José Alfredo Landa preso

CIDADE DO MÉXICO – José Alfredo Landa Torres, suposto líder do cartel La Familia em Morelia, capital do estado de Michoacán, foi capturado, informaram as autoridades.

Landa, de 37 anos, conhecido como “El Flaco”, e outros três suspeitos, foram presos depois que a polícia cercou uma residência nos arredores da cidade em 29 de novembro, informou Ramón Pequeño, chefe da divisão antidrogas da Polícia Federal, segundo a The Associated Press.

Pequeño disse que Landa foi encontrado de posse de mais de duas dúzias de escrituras de propriedade e de outros documentos que ele supostamente usava para extorquir os donos.

Landa virou manchete recentemente ao declarar que o La Família se dispersaria se o governo conseguisse garantir a segurança geral da cidade. Ele fez sua oferta às autoridades do governo deixando cartas nas ruas e enviando e-mails com sua proposta aos jornalistas.

O La Familia, que, segundo as autoridades, é o maior traficante de metanfetamina do país, atraiu atenção nacional há quatro anos ao atirar várias cabeças em uma casa noturna na cidade de Uruapan, no estado de Michoacán.

O presidente Felipe Calderón respondeu enviando milhares de tropas militares ao estado.

O La Familia se envolveu em inúmeros tiroteios com policiais, incluindo uma emboscada em junho passado, quando o cartel matou 12 policiais federais.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.

1 Comentário

  • ozmar | 2010-12-01

    Excelente reportagem. Eu parabenizo vocês pela sua objetividade em informar as notícias