Arrow left
Arrow right

2010-10-20

México: Apreendidas cerca de 134 toneladas de maconha

As autoridades mexicanas confiscaram recentemente cerca de 134 toneladas de maconha, a maior apreensão da droga na história do país, segundo o Exército. (Jorge Deunes/Reuters)

As autoridades mexicanas confiscaram recentemente cerca de 134 toneladas de maconha, a maior apreensão da droga na história do país, segundo o Exército. (Jorge Deunes/Reuters)

Por Olga Vélez, Diego Gallardo e Diego Maya para Infosurhoy.com—20/10/2010

TIJUANA, México – O presidente Felipe Calderón obteve uma grande vitória na sua luta contra o narcotráfico essa semana quando forças de segurança confiscaram cerca de 134 toneladas de maconha, a maior apreensão da droga na história do país, informaram autoridades do Exército.

Os soldados e a polícia apreenderam a maconha em operações durante a madrugada em três bairros da cidade de Tijuana, após trocas de tiros em que 11 homens armados foram capturados, informou o general do Exército Alfonso Duarte Mújica em entrevista coletiva.

Segundo as autoridades, a droga seguia para os Estados Unidos e estava acondicionada em 10 mil pacotes, avaliados no México em cerca de US$ 340 milhões (R$ 570 milhões).

A maconha será incinerada, informou o general Duarte, segundo a The Associated Press.

A operação começou quando homens armados em veículos abriram fogo contra uma patrulha da polícia municipal. Ninguém foi morto, mas um policial e um suspeito foram feridos, disse o general Duarte.

Duarte informou ainda que a polícia prendeu 11 pessoas e pediu ajuda ao Exército e à polícia estadual. Os suspeitos revelaram a localização da maconha às autoridades, que foi encontrada em caminhões-baús e residências.

Antes dessa operação, as autoridades no estado da Baja Califórnia, onde fica Tijuana, já tinham apreendido 115 toneladas de maconha esse ano, segundo a AP.

Aeroportos no Brasil e na África Ocidental se unem contra o narcotráfico

DAKAR, Senegal – O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) lançou uma iniciativa para melhorar a comunicação entre a polícia e os aeroportos em sete países da África Ocidental e do Brasil, em um esforço conjunto para acabar com o narcotráfico internacional.

Os narcotraficantes vêm se aproveitando das falhas de comunicação entre as autoridades desses países para transformar a África Ocidental em uma base de transporte de drogas da América do Sul para a Europa, explicaram as autoridades.

Cheikhou Cissé, um funcionário de alto escalão do Ministério do Interior do Senegal, explicou que o objetivo da iniciativa, batizada de 'Aircop', é “estabelecer uma comunicação segura entre os aeroportos da África Ocidental e da América Latina", de acordo com a agência de notícias France-Presse.

Brasil, Cabo Verde, Gana, Costa do Marfim, República do Mali, Nigéria, Senegal e Togo estão participando do projeto, e o convite foi estendido à Guiné e Marrocos.

Entre 200 e 300 toneladas de cocaína entram na Europa anualmente por via aérea, segundo as Nações Unidas. A Aircop, que tem um custo estimado de € 2,3 milhões (R$ 5,3 milhões), é custeada na maior parte pela União Europeia, segundo a AFP.

“[O projeto] agregará todas as agências encarregadas de combater o narcotráfico e o crime organizado em seus respectivos países em uma unidade capaz de trabalhar em conjunto com parceiros regionais e transregionais” explicou Gilles Hervio, chefe da delegação da União Europeia em Dakar, ainda segundo a AFP.

México: Fuzileiros navais matam três supostos integrantes do Los Zetas

MONTERREY, México – Os fuzileiros navais trocaram tiros com supostos integrantes do cartel Los Zetas enquanto seguidores da gangue colocaram pelo menos 12 barreiras nas estradas da cidade de Monterrey, no nordeste do país, segundo autoridades.

Um fuzileiro naval e três suspeitos foram mortos durante um tiroteio em que supostos integrantes do Los Zetas abriram fogo e lançaram granadas contra uma patrulha em uma autoestrada na zona oeste da cidade, segundo comunicado da Marinha.

Durante o tiroteio, supostos integrantes da gangue sequestraram ônibus e outros veículos usados para bloquear pelo menos doze das principais ruas do centro da cidade, informou o procurador-geral do estado de Nuevo León, Alejandro Garza y Garza, segundo a The Associated Press.

As gangues frequentemente usam barreiras para impedir que as autoridades recebam reforços durante os tiroteios. A região se transformou em uma das mais violentas do país desde que o cartel do Golfo e o Los Zetas iniciaram a sangrenta disputa por território para controlar as lucrativas rotas de contrabando de drogas da região.

Três fuzileiros navais ficaram feridos e dois dos três suspeitos morreram quando o veículo em que viajavam se incendiou durante o tiroteio. Os fuzileiros navais apreenderam três fuzis automáticos, duas pistolas e munição após a batalha, de acordo com nota da Marinha.

“Muitos estados, incluindo o nosso, foram afetados pela guerra entre grupos criminosos e entre esses grupos e as autoridades”, disse o governador do estado de Nuevo León, Rodrigo Medina, segundo a AP. “Essa é uma guerra que nós não começamos, que não trouxemos para Nuevo León, mas que precisamos enfrentar.”

Colômbia: CTI desmantela célula do Los Rastrojos

BOGOTÁ, Colômbia – O Corpo Técnico de Investigação (CTI) informou que desmantelou uma célula da organização de narcotraficantes Los Rastrojos em uma operação que resultou na prisão de seis integrantes da Marinha suspeitos de ter auxiliado o grupo.

O pessoal da Marinha supostamente recebia pagamentos mensais para permitir que os membros da gangue conduzissem seus negócios ilegais nos municípios de Tumaco e Mosquera, no departamento de Nariño.

Essa célula do Los Rastrojos é acusada de traficar uma média de três toneladas de cocaína por mês, além de outras atividades criminosas ao longo da costa do Pacífico, afirmaram autoridades do CTI, segundo o site colombiano El Espectador.

Colômbia: Marinha apreende 343 kg de cloridrato de cocaína

BOGOTÁ, Colômbia – A Marinha apreendeu 343 kg de cloridrato de cocaína que estavam escondidos em um manguezal na Baía de Cispatá, próximo à cidade de San Antero, no departamento de Córdoba.

O narcótico, dividido em nove sacos, foi avaliado em cerca de US$ 8,5 milhões (R$ 14,1 milhões), segundo o site colombiano Todelar.com.

Nenhuma prisão foi efetuada durante o confisco, informaram as autoridades.

Colômbia: Exército destrói dois laboratórios e 8.400 kg de folhas de coca

BOGOTÁ, Colômbia – O Exército destruiu dois laboratórios de narcóticos contendo um total de 8.400 kg de folhas de coca e produtos químicos usados para transformar a planta em cocaína no município de Cumaribo, departamento de Vichada.

Os militares informaram que os laboratórios pertenciam à unidade José Antonio Páez León de Apure, das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), segundo o site colombiano El Espectador.com.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.

1 Comentário

  • guero | 2010-11-06

    Eles mesmos entregaram toda aquela maconha, vocês não percebem que é maconha velha e que a nova já está iniciada, eles não queriam aquela mais e deram para ganhar pontos pelo acordo que tem. Somente eles acreditam naquela farsa.