Arrow left
Arrow right

2010-06-16

Claudio Javier Silva Otálora e Franklin Alaín Gaitán Marentes, ambos suspeitos por tráfico de drogas, foram presos

Recente ação da polícia salvadorenha impediu que um avião transportasse um quilo de heroína para os Estados Unidos. (Robert Atanasovski/AFP/Getty Images)

Recente ação da polícia salvadorenha impediu que um avião transportasse um quilo de heroína para os Estados Unidos. (Robert Atanasovski/AFP/Getty Images)

Por Tiago Costa e Jon Gallo para Infosurhoy.com —16/06/2010

BOGOTÁ, Colômbia – Três traficantes suspeitos foram detidos na Colômbia e nos Estados Unidos no mês passado durante operações internacionais, em busca de acusados de tráfico de entorpecentes e lavagem de dinheiro em vários países, segundo autoridades. Claudio Javier Silva Otálora foi detido na semana passada em Puerto Gaitán, uma cidade no leste da Colômbia, durante a fase inicial da “Operação Bacia do Pacífico.” No início deste mês, Franklin Alain Gaitán Marentes foi detido em Bogotá, e Ricardo Villarraga Franco foi levado preso em Miami, na Flórida. Os três homens são suspeitos de serem os principais acusados do carregamento de duas grandes remessas de dinheiro apreendido na Colômbia e no México em 2009, disse o general Gilberto Luis Calle Ramírez, chefe da Direção Central de Polícia Judicial e Inteligência (Dijín) da Colômbia, à agência de notícias EFE. O primeiro carregamento, avaliado em US$ 27,7 milhões foi apreendido no porto colombiano do Pacífico, na cidade portuária de Buenaventura, no ano passado. Poucos dias depois, autoridades mexicanas apreenderam US$ 11 milhões em dinheiro na cidade de Manzanillo. “Nós estamos falando da operação mais importante dos últimos 15 anos com relação ao tráfico de drogas na Colômbia”, disse o general Ramírez à EFE . As prisões foram resultados de uma série de operações conjuntas pela Unidade Antinarcóticos e de Interdição Marítima (UNAIM) da Colômbia, pelo Serviço de Imigração e Aduanas (ICE, sigla em inglês) e pelos órgãos de segurança pública de vários outros países. “Estamos trabalhando nessa operação com a Procuradoria Geral e autoridades de outros países”, disse o general Ramírez à EFE.

Exército colombiano destrói imenso laboratório de cocaína

O exército colombiano desmantelou um enorme laboratório de cocaína em uma área rural do departamento de Cundinamarca que tinha a capacidade de fabricar uma tonelada de cocaína por mês, segundo disseram policiais à AFP. A sétima brigada do exército descobriu o laboratório, que é suspeito de pertencer a quadrilhas de traficantes lideradas por Pedro Oliverio Guerrero Castillo no município de Medina, segundo um relatório militar. “O esconderijo clandestino tem um valor de US$ 130 mil e produz uma tonelada de cocaína por mês. Essa operação afetou fortemente a atividade financeira de traficantes que operam nos departamentos colombianos de Cundinamarca e Meta”, segundo o relatório.

Luis Agustín Caicedo Velandia, suspeito por tráfico de drogas, preso na Argentina

Agustín Luis Caicedo Velandia, que era procurado pelos Estados Unidos por chefiar uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas da Colômbia, foi detido na Argentina no mês passado, de acordo com agentes do serviço secreto da Argentina e da agência americana antidrogas (DEA). Velandia, também conhecido como “Don Lucho”, é suspeito de liderar o impiedoso cartel El Dorado. Aos 44 anos de idade, Velandia foi preso em um shopping center em Buenos Aires, sugerindo às autoridades americanas pedido de extradição junto ao governo argentino. “Junto com os cartéis de Cali e Medellín, Don Lucho faz parte de uma das maiores organizações colombianas de tráfico de drogas”, disse o promotor público federal da Argentina, Guillermo Marijuán, à EFE. Velandia estava com um passaporte falso da Guatemala usando o nome de Carlos Martínez Castañeda, quando foi detido durante uma operação conjunta por agentes da Secretaria Argentina de Inteligência e agentes do DEA. Mas as autoridades confirmaram a identidade de Velandia através de suas impressões digitais e de outras informações fornecidas pelos Estados Unidos, disse o promotor Guillermo Marijuán à agência de notícias Telam. Marijuán disse que um tribunal federal na capital do país vai presidir a audiência de extradição de Caicedo Velandia, que é acusado de chefiar um cartel que movimentou US$ 180 mil apenas entre abril de 2007 e maio de 2008.

Juan José Pineda Vásquez e Genaro Pineda Rojas, ambos suspeitos por tráfico de drogas, foram presos

Policiais salvadorenhos prenderam dois tenentes militares da Guatemala, suspeitos de tentar contrabandear um quilo de heroína em um avião para os Estados Unidos, segundo reportagem da mídia. Juan José Pineda Vázquez e Genaro Pineda Rojas foram detidos no Aeroporto Internacional de Comalapa na capital do país quando tentavam viajar para Nova York com a heroína escondida em dois pares de botas. A droga, avaliada em US$ 72 mil, foi encontrada em 154 cápsulas que haviam sido colocadas nas botas dos tenentes e cobertas com meias, em 11 de junho, segundo disse o chefe do departamento antidrogas da Procuradoria-Geral, Jorge Cortez, ao El Diario de Hoy de El Salvador. “Nós tivemos estrangeiros que entraram no país por terra, e depois tentaram sair por via aérea. Nesse caso, o fato novo é que membros do exército da Guatemala estão envolvidos no tráfico internacional de drogas”, disse Cortez. Policiais salvadorenhos apreenderam 1.178 kg de entorpecentes avaliados em cerca de US$ 12 milhões, desde que o presidente Mauricio Funes assumiu o cargo em 1º de junho de 2009, de acordo com a Polícia Nacional Civil.

Esta reportagem está fechada para comentários e avaliações.